Segunda, 24 Outubro 2022 12:41

PROTEGENDO A POPULAÇÃO | Sesau intensifica capacitações para fortalecer vacinação em cidades fronteiriças Destaque

Escrito por Suyanne Sá

O Governo de Roraima, por meio da Sesau (Secretaria de Saúde), tem intensificado uma série de capacitações para profissionais de saúde que atuam em regiões de fronteira. A ideia é melhorar a cobertura vacinal do Estado, evitando a reintrodução de doenças já consideradas erradicadas.

Conforme a coordenadora Geral de Vigilância em Saúde, Valdirene Oliveira, as capacitações servem de preparação para a campanha de vacinação que será realizada no período de 3 a 12 de novembro, nas cidades gêmeas de Bonfim/Lethen e Pacaraima/Santa Elena de Uairén.

“Serão dez dias de imunização nas fronteiras, e os nossos técnicos estão capacitando, orientando e tirando todas as dúvidas das equipes que trabalharão nessa campanha”, destacou.

Realizada em parceria com Ministério da Saúde, a campanha de vacinação nas cidades gêmeas contará ainda com o apoio da Atenção Básica dos municípios de Bonfim e Pacaraima, Distrito Sanitário Especial Indígena do Leste, Operação Acolhida e OPAS (Organização Panamericana de Saúde).

Segundo a apoiadora do PNI (Programa Nacional de Imunizações) pela OPAS, Naiáde Bezerra, serão ofertadas todas as vacinas presentes no calendário de vacinação do país, a fim de preencher os cartões de vacinação de brasileiros e estrangeiros.

“Houve uma capacitação pontual justamente só para essa ação, para saber quais vacinas serão oferecidas e qual é o instrumento administrativo que estaremos utilizando para registrar essas doses de vacina tanto do lado brasileiro quanto de estrangeiros”, frisou.

Vale destacar que, neste período, serão abordados todos aqueles que não estiverem portando o cartão de vacina durante a passagem pelas fronteiras. Caso não esteja com o documento ou esteja com alguma dose em falta, o visitante deverá completar sua imunização no local indicado pelo fiscal.

“As fronteiras são portas abertas e precisamos elevar a cobertura vacinal entre essas cidades gêmeas. Então não importa se você é brasileiro ou estrangeiro vão pedir o cartão de vacina”, alertou Naiáde.