Quarta, 19 Outubro 2022 17:14

PREVENÇÃO | Roraima registrou mais de mil casos de sífilis nos últimos dois anos Destaque

Escrito por Suyanne Sá
PREVENÇÃO | Roraima registrou mais de mil casos de sífilis nos últimos dois anos Ascom/Sesau

O Governo de Roraima, por meio da Sesau (Secretaria de Saúde), tem reforçado cada vez mais a importância da prevenção e diagnóstico precoce das IST's (Infecções Sexualmente Transmissíveis), em especial a sífilis.

 

Entre o ano de 2021 até a segunda semana de outubro de 2022, o estado registrou 1.131 casos confirmados de sífilis, sendo 754 casos em gestantes. A doença é transmitida por meio do ato sexual sem uso de preservativo, podendo também ser repassada durante a gestação ou no parto.

 

“Em razão desses números, pedimos para que as pessoas estejam atentas aos sinais, principalmente as gestantes, de maneira que possamos fazer o tratamento e evitar a sífilis congênita”, destacou a gerente do NCDST/AIDS (Núcleo Estadual de Controle das DST/AIDS), Sumaia Dias.

 

A sífilis é uma infecção causada pela bactéria Treponema pallidum, podendo se manifestar de várias formas. A transmissibilidade é ainda maior nos estágios primário e secundário da infecção.

 

Em formas mais graves da doença, como no caso da sífilis terciária, se não houver o tratamento adequado, pode causar complicações graves como lesões cutâneas, ósseas, cardiovasculares e neurológicas, podendo levar à morte.

 

PERIGO NA GESTAÇÃO

 

Sumaia ressalta ainda que a infecção pela sífilis pode colocar em risco não apenas a saúde do adulto, como também a de bebês durante a gestação. O acompanhamento das pacientes e parceiros sexuais durante o pré-natal é fundamental para prevenir a transmissão para a criança.

 

“No dia de Combate à Sífilis e Sífilis congênita, que é comemorado hoje, dia 19, nós pedimos que a população procure os métodos de prevenção para a sua vida. Nisso, nós temos o uso de preservativos, seja o masculino ou feminino, que é o insumo mais eficaz para que a pessoa não adquira uma IST e que pode ser encontrado em qualquer unidade básica de saúde”, completou.

 

Vale lembrar ainda que além da distribuição de preservativos, o NCDST/AIDS também realiza o teste rápido e a orientação para o usuário em ações de saúde, como forma de sensibilizar a população sobre os riscos das DTS’s. 

 

“O resultado destes testes demora 20 minutos, e tendo resultado positivo, o usuário pode buscar ajuda em alguma unidade básica de saúde para assegurar o seu tratamento”, finalizou Sumaia.