Quarta, 21 Setembro 2022 12:01

ATENÇÃO PSICOSSOCIAL | Em oito meses, CAPS III realizou mais de 2.700 consultas psiquiátricas Destaque

Escrito por Suyanne Sá
ATENÇÃO PSICOSSOCIAL | Em oito meses, CAPS III realizou mais de 2.700 consultas psiquiátricas Divulgação

No período de janeiro a agosto deste ano, o CAPS III (Centro de Atenção Psicossocial Edna Macellaro Marques de Souza) realizou mais de 2.700 atendimentos médicos psiquiátricos em pacientes do Estado. A unidade é referência no acolhimento de pessoas que sofrem de algum tipo de transtorno mental grave e persistente, que se encontram em situação de crise ou em processo de reabilitação.

 

Conforme o diretor da unidade, Maurício Caldart, o CAPS III realiza, aproximadamente, cerca de cem consultas mensais pela equipe de psicólogos, sendo que 40 deles estão relacionados a novos acolhimentos de pessoas que recorrem ao serviço psicossocial pela primeira vez ou que retomam o tratamento após abandono.

 

“Além do tratamento com medicamentos, nós realizamos atividades terapêuticas com educadores físicos e terapias ocupacionais, e atendimentos com psicopedagogos, assistentes sociais e equipe de enfermagem, justamente para melhorar o suporte e acompanhamento dos pacientes”, ressaltou.

 

O serviço de assistência social do CAPS III realiza o acolhimento inicial dos usuários, com orientações e também atendendo aos familiares. Dentro disso, é feito uma articulação com a rede de acolhimento, para que os pacientes busquem os seus direitos e assistência através das outras unidades.

 

“Fazemos acompanhamento em domicílios dos pacientes e também o acompanhamento dos familiares para ajudá-los nesse processo de tratamento”, frisou a assistente social da unidade, Talissa Nogueira.

 

Iolanda de Jesus é uma das pacientes que é acompanhada pelo Centro após diagnóstico de depressão e ansiedade grave. Com 62 anos, ela explicou que frequenta o CAPS há vários anos e tem a equipe do centro como uma família.

 

“No meu caso, eu não posso ficar sozinha, então quando eu venho para cá me sinto bem e acolhida. As técnicas aqui são melhores até que os meus próprios parentes, sempre bastante atenciosos”, relatou.

 

COMO FUNCIONA A REDE?

 

O acesso ao atendimento psiquiátrico em Roraima se dá de duas formas: por livre demanda ou encaminhamento, sendo a primeira opção por meio das UBS (Unidades Básicas de Saúde). Dependendo da situação, o paciente pode ser encaminhado para os demais pontos da RAPS (Rede de Atenção Psicossocial).

 

Fazem parte da rede a Clínica Médica Especializada Coronel Mota, que é a referência de ambulatório de psiquiatria e psicologia no estado; os CAPS que atuam em cada município; o CAPS II, unidade voltado para o atendimento infantil em Boa Vista; e o CAPS III.

 

Além desses pontos, há ainda o CAPS AD (Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Outras Drogas), que é destinado para o acolhimento e tratamento de pacientes dependentes de álcool e drogas.

 

Em casos de surtos psicóticos, tentativas de suicídio, crise por abstinência, é recomendado que o paciente seja encaminhado para o HGR (Hospital Geral de Roraima Rubens de Souza Bento), que é a referência no Estado para emergências psiquiátricas, com escala de atendimento de 24h.

 

“Ele chega até nós por encaminhamento ou então por demanda espontânea. os CAPS são classificados como serviços de portas abertas, onde a pessoa pode se referenciar até nós em qualquer dia e horário e será acolhido e orientado corretamente para o local onde vai receber o melhor atendimento possível”, completou Caldart.

 

O CAPS III fica localizado na avenida Capitão Ene Garcês, 497, Centro. O horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h.

 

PASSEIO CICLÍSTICO

 

No próximo domingo, 25, o Departamento de Políticas de Saúde Mental da Sesau (Secretaria de Saúde) vai promover um passeio ciclístico em alusão ao Setembro Amarelo, campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio.

 

 Qualquer pessoa pode participar da ação que iniciará com concentração na Praça Fábio Marques Paracat, a partir das 15h.

 

“O ‘Todos pela Vida’ é uma atividade alusiva ao setembro amarelo, convidamos a população a se concentrar na praça Fábio Paracat. Faremos um percurso curto, pode vir crianças e suas famílias, lembrando de trazer equipamento de segurança e uma garrafinha de água”, concluiu o diretor.

 

PROGRAMAÇÃO

 

15h – Concentração dos participantes na Praça Fábio Paracat;

16h – Início do percurso;

18h – Fim do percurso na Praça das Águas, em frente ao Portal do Milênio.