Segunda, 12 Setembro 2022 10:38

POTÊNCIA AGRÍCOLA | Abertura da colheita de soja intensifica o agronegócio em Roraima Destaque

Escrito por Michel Sales
POTÊNCIA AGRÍCOLA | Abertura da colheita de soja intensifica o agronegócio em Roraima Neto Figueredo

A Fazenda Savana, no município de Bonfim, sediou a Abertura Oficial da Colheita da Soja no Cerrado de Roraima, Safra 2022, neste sábado, 10.  A grande festa contou com a presença de produtores rurais, investidores, técnicos, acadêmicos e autoridades.

O evento foi uma iniciativa da Aprosoja Roraima e teve o apoio do Sistema OCB-RR, Banco da Amazônia, Faerr (Federação de Agricultura e Pecuária), Senarr (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural) e Governo do Estado. “Essa é a nona vez que realizamos tamanha celebração da produção agrícola em nosso Estado. E nesse intuito, me sinto muito contente, pois iremos colher uma excelente safra de soja”, destacou o produtor Paulo Wolbert.

Para o presidente da Aprosoja em Roraima, Geraldo Falavinha, a estimativa até 2030 é que o Estado possa atingir uma área plantada em torno de 500 mil hectares de soja, totalizando enorme renda para Roraima, e reforçou. “A soja vem desenvolvendo as regiões em diversos setores, dentre eles a revenda de máquinas agrícolas, caminhões, indústria, comércio e as demandas da pecuária”, comentou.

Na oportunidade, o presidente também destacou as pendências do setor produtivo. “Atualmente, enfrentamos grandes dificuldades com as rodovias federais em Roraima para escoar a produção até o Amazonas, fator que encarece a logística de transportes de insumos: calcário, fertilizantes e demais produtos essenciais para o desenvolvimento e sucesso da agricultura no Estado. Ainda enfrentamos dificuldades também com a reposição de peças, enquanto muita coisa tem que ser trazida de avião, além da burocracia. Contudo, a Aprosoja possui hoje 70 associados e conseguimos credenciar a entidade como signatários da Lei 215, fator que nos garante mais competitividade para que possamos chegar de fato aos 500 mil hectares de soja até 2030”, enfatizou.

Representando o governador Antonio Denarium, o secretário estadual Emerson Baú destacou a atuação do Poder Executivo fomentando a infraestrutura na agricultura. “Com a adição de políticas públicas voltadas para o desenvolvimento de Roraima no setor primário, o Governo do Estado tem multiplicado a produção de grãos nos últimos anos, favorecendo o cenário de quem trabalha e produz com o agronegócio. Com isso, novas empresas têm investido na nossa região impulsionando pesquisa, melhoramento genético, inovação e tecnologia, beneficiando mais qualidade produtiva, reforçando também novas representações comerciais com os países fronteiriços”, observou o titular da Seadi (Secretaria de Agricultura, Desenvolvimento e Inovação).

Baú ainda reforçou que Roraima possui a maior taxa de crescimento em uma fronteira agrícola nacional. “Nos anos de 2018, 2019 e 2020, o Estado totalizou uma área de plantio de soja de aproximadamente 38.200, 40.000 e 49.800 hectares, respectivamente. Com a adoção de políticas públicas voltadas para o desenvolvimento do Estado a partir de 2019, trabalhamos a regularização fundiária e ambiental, além de diversos incentivos e melhoria da infraestrutura ligada ao setor primário com a atual gestão”, concluiu.

 

A SOJA E O AGRONEGÓCIO

 

Em Roraima, mais de 160 propriedades produzem soja e juntas totalizaram mais de 100 mil hectares do grão com uma produtividade média de 57,8 saca/ha, numa projeção de crescimento para 2023 de 40% da área produtiva, considerado este indicativo uma independência econômica e política para os Estados que trilha a economia do agronegócio.

Considerando ainda a produção das culturas de arroz, milho, milheto, sorgo e gergelim, a expectativa é que Roraima também supere os 140.000 hectares de área cultivada ainda em 2022. Dessa forma, o cenário econômico do agronegócio no Estado se mostra otimista para os anos seguintes, destacando os agricultores e pecuaristas roraimenses como protagonistas dessa história.

Na atual gestão ainda são destaques: o fortalecimento das cadeias produtivas com a instalação de indústrias de beneficiamento de soja para produção de óleo refinado e outros produtos; instalação de empresas prestadoras de serviços técnicos e de consultoria; crescimento e abertura de indústrias especializadas em suplementação e alimentação animal; estímulo na produção de proteína animal pela maior oferta de matéria prima para fabricação de rações.

O avanço da produtividade em Roraima também se deve às parcerias com o Banco do Brasil, Banco da Amazônia e as Cooperativas de Crédito incentivando a melhoria dos processos de gestão. Com isso, muito dinheiro vem circulando na economia roraimense.

 

ESTÍMULO PRODUTIVO

 

O Governo de Roraima tem efetivado renda ao povo do campo, possibilitando linhas de crédito, incentivos fiscais, manejo, gerenciamento, tecnologia, fluxo das colheitas, valorização e expansão dos negócios – ampliando o desenvolvimento econômico das famílias rurais de pequeno e grande porte do Estado.

Nesta consolidação, a Seadi vem organizando as categorias produtivas a partir do diagnóstico de produções e da avaliação logística em todo o Estado, elaborando políticas públicas que atendam às necessidades específicas dos produtores e suas localidades, apoiando as comunidades com a entrega de patrulhas mecanizadas, segurança jurídica e demais necessidades dos produtores para a efetivação criteriosa e ávida da produção.

O fomento à agricultura familiar e familiar indígena pela ampliação do projeto de grãos, totaliza em 2022 três mil hectares sendo plantados, sendo 1.500 hectares na Agricultura Familiar e outros 1.500 hectares na Agricultura Familiar Indígena.

O Governo do Estado investiu ainda R$ 49.856.345,00 na compra de equipamentos agrícolas como tratores, grades aradoras e niveladoras, distribuidor de calcário, plantadeira de grãos, caixas individuais para sementes, pulverizadores, roçadeiras acopladas no trator, carretas agrícolas, perfurador de solo, enxadas rotativas e trilhadeiras de cereais. Além da aquisição desses equipamentos, o Governo tem oferecido toda a logística, além dos insumos e assistência técnica especializada.