Terça, 30 Agosto 2022 18:51

ACESSIBILIDADE CAP-DV | celebra 21 anos de serviços prestados a pessoas com deficiência visual em Roraima Destaque

Escrito por Layse Menezes
ACESSIBILIDADE CAP-DV | celebra 21 anos de serviços prestados a pessoas com deficiência visual em Roraima Ascom/Seed

Incentivar a independência de pessoas da comunidade escolar e da sociedade que possuem deficiência faz parte do trabalho desenvolvido há 21 anos pelo CAP-DV (Centro de Apoio Pedagógico para Atendimento às Pessoas com Deficiência Visual). A unidade vem transformando a realidade de muitos que necessitam de auxílio para exercer atividades do cotidiano.

Para celebrar o aniversário do centro, que é no dia 3 de setembro, a unidade irá realizar diversas atividades durante esta semana, de forma a integrar alunos e usuários e divulgar ações pedagógicas ofertadas à comunidade.

Haverá visita guiada de alunos das escolas da rede estadual Monteiro Lobato, Penha Brasil, CEM (Colégio Estadual Militarizado) Irmã Maria Teresa Parodi e CEM Pedro Elias Albuquerque ao CAP-DV, com atividades sensoriais para que eles possam sentir a experiência da falta da visão.

Antecedendo a data de aniversário, no dia 2 de setembro, haverá uma comemoração para a comunidade a partir das 8h30, com apresentação do Coral do CAP-DV, peça teatral, apresentação de materiais pedagógicos desenvolvidos na unidade e atividades sensoriais com os participantes e visitantes. Todos estão convidados a prestigiar o evento.

A UNIDADE

O Centro de Apoio Pedagógico foi instituído por meio de um decreto no dia 3 de setembro de 2001 para atender a toda pessoa com deficiência visual do Estado.

A coordenadora da unidade, Silvana Gouvêa, explica que no formato atual, o CAP-DV é formado por núcleos, como o de produção de Sistema Braille para a execução de materiais pedagógicos como livros, textos e apostilas.

“O núcleo de apoio pedagógico disponibiliza apoio a estudantes, usuários e professores. O de tecnologia dispõe da utilização de ferramentas para o acesso à informação e o de prática da vida diária, trabalhamos a convivência social, orientação e mobilidade”, detalha Gouvêa.

Além disso, o centro oferece o serviço de estimulação visual voltado às crianças com baixa visão, indicado por oftalmologistas a fim de estimular o resíduo visual do usuário.