Sexta, 26 Agosto 2022 09:43

ALTA DEMANDA | Mais de 6 mil partos foram realizados na Maternidade em 2022 Destaque

Escrito por Suyanne Sá
ALTA DEMANDA | Mais de 6 mil partos foram realizados na Maternidade em 2022 Ascom/Sesau

Principal referência em unidade especializada e responsável por atender gestantes de Roraima e inclusive de outras nacionalidades, o HMI (Hospital Materno Infantil Nossa Senhora de Nazareth) realizou 6.323 partos em 2022, conforme dados do SAME (Serviço de Arquivo Médico Estatístico) da unidade.

As informações levam em consideração o número de procedimentos de partos normais e cesarianos feitos no período de 1º de janeiro até 22 de agosto. O número mostra por si que mesmo com a pandemia da covid-19, a procura pelos serviços se manteve elevada.

“Aproximadamente 30% desses partos são cesarianos e os outros 70% normais. Até o final deste mês a gente provavelmente vai alcançar ou ultrapassar o número de partos que ocorreram no ano anterior, que foi de 6.585”, observou o médico obstetra e coordenador da Ginecologia Obstétrica da Maternidade, Ruben Murillo Elorrieta.

Para conseguir acolher a todas as gestantes, uma vez que a demanda local oscila ao longo dos meses, é realizado o atendimento de todas as pacientes que procuram a unidade, ocorrendo a internação de pacientes que possuem critério clínico (trabalho de parto ou comorbidade que precise de tratamento clínico), enquanto as demais são atendidas e recebem orientação, além de serem referenciadas para o atendimento ambulatorial.

“O que tem acontecido nos últimos tempos, principalmente de 2017 para cá, é que houve um grande aumento de gestantes devido a migração da Venezuela para Roraima. A primeira onda de imigração levou a um aumento no número de partos ultrapassando a quantidade de 10 mil partos por ano”, completou o coordenador.

OUTRAS ESPECIALIDADES

Durante a pandemia, o número de partos diminuiu, mas com o avanço no combate ao vírus essa quantidade voltou a crescer na unidade. Além da parte obstétrica, graças à efetividade do avanço no controle da pandemia, as cirurgias eletivas puderam ser retomadas em 2022.

Ao todo, além dos partos normais e cesáreas, foram realizadas 578 curetagens pós-aborto e 200 cirurgias de urgência.

“As pacientes não conseguem agendar consultas nos postos de saúde, então chegam na unidade com pré-natal incompleto e sem o diagnóstico de várias comorbidades. Isso leva a um aumento no número de complicações, de internações na UTI neonatal e de cesarianas de urgência pelos quadros não diagnosticados”, comentou Murillo.

A unidade também contabilizou quase 500 procedimentos eletivos, tais como histerectomias, perineoplastia e laqueaduras. Até o final de agosto, a unidade deverá zerar a fila de pacientes que aguardam por procedimentos de laqueaduras.

SEGURANÇA DE MÃES E BEBÊS

A atenção ao recém-nascido é a principal prioridade da equipe multiprofissional do Hospital Materno Infantil Nossa Senhora de Nazareth, garantido a segurança dos pequenos nos seus primeiros dias de vida.

Na unidade, são realizados os primeiros exames, como teste do olhinho, da orelhinha e do coração antes mesmo de receber alta, além da parceria com cartório, facilitando os trâmites de registro da criança.

Esse mesmo cuidado também é estendido para as mães, que recebem suporte de orientação sobre aleitamento materno e cuidados no pós-parto, bem como a vigilância sobre a hemorragia pós-parto, que é uma das principais causas de mortalidade materna.

“Temos uma monitoração contínua a respeito disso [hemorragia pós-parto]. As pacientes do parto normal geralmente permanecem na maternidade por no mínimo 24 horas e as da cesariana ficam até 72h em observação, para prevenir hemorragias e outras complicações. Além disso, temos o monitoramento dos bebês e os primeiros cuidados”, explicou o Murillo.

A jornalista Ana Lúcia Montel, de 26 anos, teve a sua primeira filha, Maria Lúcia Montel, antes do previsto e por isso precisou fazer uma cesariana no dia 18. Ela contou um pouco da sua experiência durante essa semana internada na maternidade.

“Está sendo uma experiência boa desde quando eu cheguei na Maternidade. Fui bem tratada, recebi acompanhamento da equipe. Meu parto foi cesáreo e a equipe que estava comigo me ajudou bastante. Eu estava um pouco nervosa, mas foram compreensivos, me apoiaram nesse momento único e especial para quem é mãe e estou aqui me recuperando. Está sendo muito importante receber todo esse tratamento e os medicamentos todos corretos”, relatou.