Sexta, 05 Agosto 2022 09:52

MAIS SAÚDE | Governo retoma cirurgias cardíacas em Roraima Destaque

Escrito por Lidiane Oliveira
MAIS SAÚDE | Governo retoma cirurgias cardíacas em Roraima Ayla Grandez

Com o propósito de reafirmar o compromisso com o bem-estar da população, o Governo de Roraima, por meio Secretaria de Saúde, alcançou mais uma conquista importante no processo de reestruturação da saúde roraimense. Pacientes que possuem diagnóstico para a realização de cirurgias cardíacas de grande porte não precisam mais sair de Roraima para realizar os procedimentos.

O Governo do Estado se empenhou e reorganizou o fluxo de trabalho, incluindo a implantação de UTI cardiológica e leitos de enfermaria no HGR (Hospital Geral de Roraima Rubens de Souza Bento), para garantir que as cirurgias cardíacas sejam realizadas em Roraima, proporcionando mais conforto e segurança aos pacientes. Graças ao trabalho, só em julho, 11 pessoas foram operadas por uma equipe completa composta por médicos cardiologistas e cirurgiões.

A retomada das cirurgias cardíacas foi anunciada durante coletiva de imprensa nesta quinta-feira, 4, no Salão Nobre do Palácio Senador Hélio Campos.

“Esse tipo de procedimento não era executado pelo Estado desde de 2006 e quando assumi o governo, foi uma das prioridades do meu plano de gestão, porque não podíamos deixar as pessoas dependendo de TFD o tempo todo, visto que nem todos os lugares tinham disponibilidade para receber os pacientes. Quero parabenizar a equipe técnica, médicos e enfermeiros que não mediram esforços para nos ajudar a dar esse passo tão importante para que possamos em breve, zerar a fila não apenas da cardiologia, mas de todas as especialidades cirúrgicas”, esclareceu o governador Antonio Denarium.

De acordo com a secretária de saúde, Cecília Lorenzon, a retomada das cirurgias cardíacas é uma das metas definidas para virar a página da saúde em Roraima, iniciada em 2019 pelo Governo.

“O trabalho começou em 2019 com a identificação de demandas, mas foi necessária uma pausa por conta da pandemia e agora, em 2022, pudemos retomar o projeto para garantir maior conforto para a população, melhoria nos atendimentos, melhor acolhimento, humanização e respeito ao paciente”, complementou a secretária.

Médicos falam sobre os benefícios das cirurgias realizadas em Roraima –

De acordo com o cirurgião cardíaco João Bosco Pellattiero de Oliveira, é uma oportunidade ímpar a oferta de cirurgias cardíacas em Roraima.

Ele explica que todos os grandes centros encontram-se saturados e essa iniciativa do Governo é nobre do ponto de vista assistencial e de saúde.

“Tive o prazer de realizar a primeira cirurgia cardíaca em Roraima. E ver essa Administração preocupada em voltar a realizar esse tipo de procedimento, me deixa muito satisfeito, pois dar a importância devida para essa área é louvável, principalmente porque essas cirurgias envolvem uma série de equipamentos e ter esse material disponível e uma equipe médica de primeira linha é fundamental. Por isso me sinto seguro de realizar cirurgias aqui, com a mesma qualidade que em São Paulo, disse o cirurgião.

De acordo com o coordenador da área de cardiologia, Alexandre Klippel, é uma satisfação enorme poder apresentar os primeiros resultados do trabalho.

“Desde 2006 não se realizava cirurgias dessa natureza em Roraima. Esperávamos o TFD e, às vezes, era preciso esperar muito por causa da liberação de vaga em outros Estados e agora, com as cirurgias no HGR, temos a família mais próxima, dando o acolhimento ideal.  Oferecer apoio do familiar é fundamental para a recuperação do paciente, por isso, agradeço e temos a sensação de dever cumprido”, reforçou o médico.

PLANEJAMENTO

As doenças cardiológicas estão entre as que mais matam no mundo. Em Roraima, mensalmente cerca de 15 novos pacientes são diagnosticados com a necessidade de cirurgia cardíaca. Por isso a equipe se programa para atender até 30 pacientes por mês. Para tanto será reforçado o diagnóstico.

"A proposta é utilizar toda a capacidade que pode ser redimensionada para atender a demanda conforme seja necessário. O nosso objetivo é zerar a fila e manter o procedimento de forma permanente, reduzindo custos e aumentando a possibilidade de recuperação do paciente", disse o coordenador.

INVESTIMENTOS

O Governo também investiu na compra de medicamentos indicados para o tratamento do infarto agudo do miocárdio e mantém o estoque abastecido. 

Além disso, adquiriu 12 aparelhos de anestesia com monitorização de agentes anestésicos; dois desfibriladores cardioversor, com funções adulto; 10 eletrocardiogramas; 54 monitores multiparâmetro, dois microscópios cirúrgicos, para uso em neurocirurgia no HGR; dois sistemas de cirurgias guiadas por imagens, Neuronavegador e 30 desfibriladores, totalizando 114 equipamentos.

Também contratou mais médicos especialistas. Atualmente, a Secretaria de Saúde conta com 15 cardiologistas e contratou mais sete através do seletivo, sendo que três, são específicos de arritmologia, responsável pela realização do diagnóstico, prevenção e tratamento de pacientes com arritmia.