Terça, 02 Agosto 2022 09:34

PRODUÇÃO DE PROTEÍNA ANIMAL | Governo recebe mais 5000 aves para projeto em comunidades Indígenas Destaque

Escrito por Ayan Ariel
PRODUÇÃO DE PROTEÍNA ANIMAL | Governo recebe mais 5000 aves para projeto em comunidades Indígenas Ederson Brito

O Governo de Roraima tem trabalhado para fomentar a produção de alimentos nas comunidades indígenas. Uma das ações é a implantação dos polos aviários nas comunidades, executados pela SEI (Secretaria do Índio).

Para isso, a pasta está enviando pintinhos para 100 polos aviários nas comunidades indígenas, localizadas em Alto Alegre, Amajari, Uiramutã, Pacaraima, Normandia, Cantá, Bonfim e Boa Vista. A distribuição será feita em quatro etapas e, em cada uma dessas, cada comunidade contemplada receberá 50 pintinhos por vez.

“Junto com esses animais, nós enviamos a ração comercial em quantidade suficiente para atender o número de pintos recebido. Juntamente com esses pintinhos, será oferecida a ração alternativa, que é a folha da macaxeira seca triturada, a raspa da macaxeira e crueira, a partir da fase de crescimento”, explicou a diretora do Departamento de Produção Indígena da Sei, Wisdenia Silva de Souza.

O projeto foi iniciado este ano e a primeira remessa de pintinhos foi enviada no dia 11 deste mês. O envio será feito a cada 30 dias pelos próximos três meses, fazendo com que o produtor indígena tenha, no aviário, aves de 1, 30, 60 e 90 dias ao final das etapas, garantindo a eles animais com idade e peso para o abate e comercialização.

Segundo a diretora, para que seja feita a distribuição, os pintos passaram por um processo de aclimatação, para redução do stress sofrido pelo transporte e garantir a sanidade dos animais para o deslocamento até às comunidades. Wisdenia também pontuou como foram escolhidas as comunidades a serem atendidas pelo projeto.

“As comunidades solicitam o projeto à Secretaria e depois que os polos cumprirem com a contrapartida, que é a construção do aviário e a participação nas capacitações, a Secretaria realiza a entrega dos pintos e ração”, disse.

A implantação dos polos aviários é mais uma ação feita pelo Governo de Roraima para fomentar e fortalecer as comunidades indígenas, bem como aumentar a oferta de proteína animal, garantindo a segurança alimentar dentro dessas localidades, como pontuado pelo titular da SEI, Marcelo Pereira.

“Nós temos, nessas comunidades, a oferta de proteína oriunda da bovinocultura e da agricultura. Então estamos fortalecendo essa oferta com os projetos de avicultura. Os indígenas já têm uma habilidade em trabalhar com a questão da avicultura, então vamos estar somente implementando esse projeto”, destacou.

OUTRAS FRENTES

Projetos do Governo fomentam a produção agrícola e piscicultura nas comunidades indígenas

Além do novo projeto de avicultura, o Governo do Estado por meio da Secretaria do Índio vem desenvolvendo ações que estão mudando o cenário nas comunidades indígenas.

A exemplo da Piscicultura nas Comunidades Indígenas, que disponibilizará cerca de 150 mil alevinos (filhotes de peixe), bem como a ração para o primeiro ciclo de produção

Com a previsão de que cada peixe pese 1,5 kg ou 2 kg no fim do ciclo, o objetivo é que se tenha uma produtividade de quase 300 toneladas. Até o momento,  27 comunidades indígenas, em sete municípios, possuem tanques aptos a receberem os alevinos.

A equipe da SEI segue com os levantamentos diários em todos os municípios para garantir a execução do Piscicultura nas Comunidades Indígenas, enquanto o processo de aquisição dos alevinos segue em sua fase final.

PLANTIO DE GRÃOS

O Governo também tem desenvolvido, nas comunidades indígenas, o Projeto de Grãos em Terras Indígenas. Em 2022, está prevista a colheita de 1.500 hectares de feijão caupi e milho, o que deve beneficiar 1.418 famílias em 118 polos de produção.

O projeto teve início em 2020, com as primeiras tratativas juntos aos povos indígenas e, em 2021, os primeiros resultados apareceram: cerca de 800 hectares de cultivo de grãos foram plantados em 52 polos de produção. No cultivo desses grãos, foram colhidas 16 mil sacas de milho e 272 de feijão caupi.

A iniciativa se divide em várias etapas em suas frentes de serviço, como o preparo de área, plantio e primeira e segunda adubação de cobertura.