Sexta, 25 Março 2022 09:10

DIA MUNDIAL DE COMBATE A TUBERCULOSE | Sesau ressalta a importância do diagnóstico e prevenção Destaque

Escrito por Ascom Sesau
DIA MUNDIAL DE COMBATE A TUBERCULOSE | Sesau ressalta a importância do diagnóstico e prevenção Ascom Sesau

A tuberculose ainda é um sério e desafiador problema de saúde pública global. Em 2020, cerca de dez milhões de pessoas adoeceram por tuberculose e 1,5 milhão morreram em decorrência da doença no mundo.

Nesta quinta-feira, 24, Dia Mundial de Combate à Tuberculose, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Saúde, reforçou a importância da prevenção à doença. Iniciou as atividades com uma oficina para os coordenadores de Atenção Básica dos municípios e capital, técnicos das ONGs responsáveis pela população imigrante e distritos sanitários indígenas, para discutir a situação da tuberculose no Estado, avaliar os indicadores epidemiológicos e operacionais, ações e estratégias para o controle em 2022.

De acordo com dados repassados pela gerente do Núcleo de Controle da Tuberculose, Angela Maria Feliz Alves Oliveira, em 2021, foram diagnosticados em Roraima, 349 casos de TB. Destes, 314 (90%) foram casos novos. A doença acomete todas as idades com predominância na faixa etária de 16 a 59 anos, com 85,5% dos casos e afetou principalmente o sexo masculino com 72,7% dos casos.

“O núcleo trabalha a questão do monitoramento dos casos notificados através do sistema, apoio aos municípios e equipes que nos procuraram para tirar dúvidas sobre a doença, encaminhamento para o centro de referência de tuberculose, visitas de monitoramento aos municípios, capacitação de recursos humanos. Hoje no dia mundial de combate à doença, vários municípios estão realizando atividades ao longo de todo o dia. Estivemos pela manhã no Dsei Leste realizando uma palestra sobre a prevenção da doença”, destacou a gerente Angela Oliveira.

O Núcleo Estadual de Controle da Tuberculose vem realizando ações contínuas para manter o controle da doença, visitas técnicas, monitoramento dos casos notificados, assessoria técnica aos municípios, Unidades Básicas de Saúde, saúde indígena, reuniões, capacitações, programação e distribuição dos medicamentos, articulação com a rede laboratorial de diagnóstico, controle e autorização para distribuição de medicamentos, reuniões online com vários setores (imigrantes, laboratórios, vigilância do óbito) em parceria com o Ministério da Saúde.

Vale ressaltar que durante a pandemia do Coronavírus, o Estado teve que reorganizar a rede de diagnóstico para tuberculose, garantindo a continuidade dos serviços, e com isso, conseguiu manter um número de casos diagnosticados esperados pelo Ministério da Saúde.