Avalie este item
(0 votos)

Dando sequência às ações de prevenção ao sarampo em Roraima, a Sesau (Secretaria de Saúde), por meio do NEPNI (Núcleo Estadual do Programa Nacional de Vacinação), realizou neste sábado, dia 15, o “Dia D” de Vacinação nos municípios do interior do Estado.

De acordo com Alice Dantas, gerente do NEPNI, as verificações têm como propósito reforçar a cobertura vacinal contra a doença no Estado. Desde o início da semana, o país inteiro tem realizado ações voltadas para a 1ª Etapa da Campanha Nacional de Vacinação, do MS (Ministério da Saúde).

“As equipes de saúde dos municípios estão mobilizadas para garantir a vacinação de todos que precisarem”, destacou.

Para esta primeira etapa, que segue até o dia 13 de março, foram distribuídas cerca de cinco mil doses aos municípios para vacinação do público-alvo. A meta é chegar aos 95% de cobertura vacinal, ou seja, imunizar 4.695 crianças e adolescentes, entre cinco e 19 anos.

“É importante que os pais ou responsáveis aproveitem a oportunidade para levarem as crianças e adolescentes pra verificar a necessidade de tomar a vacina, e assim garantir a proteção contra o sarampo, uma doença que pode complicar e causar morte”, ressaltou.

Dados do NCDE (Núcleo de Controle das Doenças Exantemáticas) apontam para 58 notificações da doença em 2019, sendo apenas um caso confirmado, 55 descartados após análise laboratorial, e outros dois sob investigação.

"Depois do Dia D, a vacina vai continuar disponível em todas as salas de vacina. Basta procurar uma Unidade Básica de Saúde mais próxima da sua casa e garantir a proteção, porque quem ama cuida e a vacinação é um ato de amor”, finalizou Alice Dantas.

Avalie este item
(0 votos)

O CNPCP (Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária) encerrou nessa sexta-feira, 14, uma visita de inspeção nas unidades prisionais de Boa Vista. Na avaliação, que levou em consideração pontos positivos e questões que necessitam de melhorias, o que se destacou foi o investimento que o Governo do Estado vem fazendo na reforma de presídios e na construção de novas unidades.

Além do trabalho de infraestrutura, o membro suplente do Conselho Nacional, Pery Assis, relatou uma melhora significativa na qualidade das refeições servidas aos detentos quando comparada à comida que era servida em anos anteriores.

A inspeção federal foi executada mediante portaria designada pelo CNPCP e Ministério da Justiça e Segurança Pública. “Essa visita de avaliação é feita com periodicidade em todas as unidades da Federação. Roraima não foi escolhido por estar em intervenção federal no sistema prisional”, explicou Assis.

Ele frisou que existem muitos pontos positivos quando o assunto é infraestrutura. “Podemos ver uma melhoria significativa. Com todas as obras concluídas, segundo o Governo do Estado, até o final do ano, Roraima será exemplo para os demais estados brasileiros, pois irá reduzir drasticamente o problema de superlotação”, detalhou.

Hoje, em Roraima, estão em fase de construção o presídio de Rorainópolis e a Cadeia Pública de Monte Cristo. Já a Pamc (Penitenciária Agrícola de Monte Cristo), a Cadeia Pública Masculina e a Cadeia Pública Feminina de Boa Vista passam por obras de reforma e ampliação.

O titular da Sejuc (Secretaria de Justiça e Cidadania), André Fernandes, explicou que o Governo do Estado vem reestruturando o sistema prisional de Roraima com obras, melhorias na alimentação, educação e ressocialização dos presos por meio do trabalho.

“Isso leva tempo, não dá para resolver um problema de abandono de 10, 15 anos em seis dias. Nós estamos trabalhando junto ao governador Antonio Denarium, com a ciência dele e com a liberação dele. Estamos usando os recursos de forma consciente para que tudo fique melhor no Estado de Roraima”, disse.

A mudança é perceptível para além da área de infraestrutura, a melhoria na qualidade das refeições servidas aos detentos também foi um dos pontos levantados pelo CNPCP. “Quando comparado com relatórios de anos anteriores, podemos constatar a diferença. A melhoria é relatada tanto pelos presos como pelos familiares, que também relatam melhoria no atendimento nas unidades prisionais em dias de visita”, afirmou Assis.

Apesar dos pontos positivos, a inspeção federal também apontou a necessidade de melhorias em algumas áreas. O membro do Conselho afirmou que é preciso trabalhar melhor a questão da saúde e citou como exemplo o recente caso em que os presos foram acometidos com uma grave doença de pele.

“O problema é grave, mas não será resolvido de uma hora pra outra. Pudemos constatar pelos relatórios anteriores, existia assim um certo descaso da política de Estado para com o setor penitenciário. Neste último ano, mais especificamente com a Força Tarefa de Intervenção, melhorou consideravelmente em diversos pontos e deve melhorar ainda mais no médio e longo prazo”, apontou Assis.

A visita se encerrou com uma reunião no Palácio Senador Hélio Campos com a participação da Comissão de Direitos Humanos da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Defensoria Pública, Ministério Público, Vara de Execução Penal do TJRR (Tribunal de Justiça) e FTIP (Força-Tarefa de Intervenção Penitenciária).

Avalie este item
(0 votos)

Devido ao período de estiagem, a Balsa Trombeta, que interliga a Vila Passarão às comunidades indígenas do Baixo São Marcos, enfrenta dificuldades para realizar a travessias dos moradores da região.

Em busca de alternativa para resolver o problema, o Governo de Roraima por meio da Seapa (Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento) deu início nesta sexta-feira, 14, aos trabalhos paliativos para a construção de um porto alternativo que melhore o acesso.

Nesse primeiro momento foi realizado em um local com maior profundida, próximo ao porto, serviço de limpeza e correção das erosões. Além disso, um trator de lâmina foi utilizado para realizar melhorias na subida do barranco, onde a Balsa será atracada.

Na próxima semana, com o apoio da Seinf (Secretaria de Infraestrutura) será feito o revestimento e compactação para aumentar a eficiência do porto provisório.

De acordo com o diretor do Depag (Departamento de Produção Agropecuária) setor responsável pela balsa, Marlon Maia, o baixo nível do rio faz com que a embarcação encalhe constantemente, causando transtornos aos usuários do serviço de travessia.

“Estamos realizando o serviço paliativo para a construção de um porto alternativo para melhorar a travessias no local e não prejudicar quem depende do serviço”, relatou Marlon.

Atualmente a balsa oferece a população sete horários de travessia, ida e volta, que se inicia às 06h30 e segue às 07h30, 10h, 11h30, 13h, 16h e 18h. "A população depende da Balsa diariamente, tanto para transporte coletivo, quanto para a travessia dos produtos agrícolas, a exemplo do cultivo de melancia", disse Marlon.

Segundo ele, em dias de festejo, na região de Baixo Contigo, a travessia se intensifica, transportando no mínimo 15 carros, por dia. “É importante destacar também que ali existem pessoas que dependem da Balsa para ir ao médico, receber aposentadoria, escoamento a produção, além dos serviços de manutenção elétrica, transporte coletivo e policiamento oferecidos as comunidades”, ressaltou.

MANUTENÇÃO – Ao logo dos anos a embarcação não recebia a devida manutenção, fato que ocasionou a deterioração do patrimônio.

No dia 24 de novembro do ano passado, após ser encalhada a Balsa e levou 44 dias para ser resgatada pela equipe da Seapa. Após o resgate o Depag deu início a manutenção e realização de pequenos reparos.

Para a manutenção foram feitos reparos e melhorias na parte mecânica, com a troca do motor de partida, trocas do eixo e da bomba de óleo, trocas do filtro da bomba de água, da corrente e do leme. A embarcação recebeu também reparos na parte elétrica. Foi feita a instalação do botão que aciona a partida do motor e o conserto no relógio de temperatura.

Avalie este item
(0 votos)

O Governo de Roraima, por meio da Sesau (Secretaria de Saúde), tem dado continuidade ao trabalho de enfrentamento do Coronavírus, como parte das ações previstas no Plano de Contingência, construído pelo Governo Federal.

Na próxima segunda-feira, 17, a equipe da CGVS (Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde), por meio dos Departamentos de Vigilância Epidemiológica, Ambiental e Vigilância Sanitária, fará a apresentação do Plano Estadual de Contingência, a partir das 8h30, no Auditório José Mário Guerra do Aeroporto Internacional de Boa Vista- Atlas Brasil Cantanhede.

A reunião tem como foco o alinhamento de fluxos de atendimento, estabelecidos pelos municípios em conjunto com o Estado.

Participarão do encontro representantes dos municípios de Pacaraima, Normandia, Rorainópolis e Bonfim, além de representantes das unidades hospitalares, Unidades Básicas de Saúde, Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), Operação Acolhida, DSEI Leste e Yanomami e secretários de Saúde.

Conforme a coordenadora geral de Vigilância em Saúde, Neila Teixeira de Macedo, as decisões que serão acertadas durante a reunião serão incluídas no Plano de Contingência Estadual.

“A troca de informações com os municípios de fronteira é fundamental para o fortalecimento da vigilância do Coronavírus, para que possamos fazer o enfrentamento adequado de possíveis casos”, declarou Neila.

PLANO - O Plano Estadual de Contingência já foi concluído, aprovado pelo CIEVS (Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde) e apresentado ao Ministério da Saúde, para aprovação do COE Nacional.

“A última etapa a ser realizada será o alinhamento dos fluxos para deixar claro de que forma cada unidade de saúde atenderá o paciente, se houver algum caso confirmado”, finalizou.

 

Avalie este item
(0 votos)

Cerca de 150 voluntários percorreram, na manhã deste domingo (26), as praias do Caranã ao Cauamé, em Boa Vista, para a largada oficial das ações ambientais da Caer (Companhia de Águas e Esgotos de Roraima). O percurso foi de 4,5 km até a ponte do Cauamé, onde o lixo recolhido foi pesado antes de ser entregue às instituições de reciclagem. A Caminhada Ecológica está em sua 5ª edição e, só em 2019, retirou 300 quilos de resíduos das margens dos rios e igarapés da capital.

“Ficamos felizes, pois estamos recolhendo cada vez menos resíduos. Isso é sinal de que estamos alcançando nossos objetivos. Todo mundo ganha com isto: população e meio ambiente. Cuidar do meio ambiente é um dever de todos”, destacou o presidente da Caer, James Serrador.

Menos lixo recolhido

“A conscientização está se espalhando”. Com esta afirmação, a chefe do Núcleo de Meio Ambiente (NMA), Airlene Carvalho, comemorou o resultado da campanha. “Recolhemos 70 quilos de resíduos e isto significa que a sociedade está cada vez mais consciente do seu papel. Estou muito feliz”, disse.

Amanda de Souza participou pela primeira da campanha ambiental e aprovou a iniciativa. “Sempre acompanhei pela televisão e prometi para mim mesma um dia vir participar. Achei incrível, passamos por lugares lindos, agradável. Vou participar novamente, pois preciso fazer minha parte nesse mundo”, afirmou a dona de casa, de 54 anos.

RAP DA ÁGUA

Banhistas e voluntários aproveitaram o término da caminhada e participaram de jogos na areia, vôlei e futebol. Um lanche foi distribuído aos participantes.

Giulia Amaral, uma menina de apenas oito anos e que já tem um vasto trabalho de conscientização ambiental nas suas redes sociais também esteve presente e, mais uma, vez apresentou o Rap da Água. A canção foi composta pelo estagiário da Assessoria de Comunicação da Caer, Haroldo Fernandes, e aborda sobre a importância da economia de água no planeta.