damiao

O Governo de Roraima divulgou, neste sábado (11), o fluxo de receitas e despesas referente ao mês de abril. O anúncio, conforme o governador Antonio Denarium, faz parte do compromisso da atual gestão com a transparência e o acesso à informação.

Segundo os dados consolidados pela Sefaz (Secretaria Estadual da Fazenda), a receita total do mês de abril não foi suficiente para cobrir as despesas com folha de pessoal e o mínimo de despesas de custeio, apresentando déficit de R$ 4.590.011,80.

A receita total foi de R$ 297.562.334,60. Deste valor, R$ 109.810.193,33 foram obtidos com arrecadação própria, sendo R$ 92.856.210,04 do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços); R$ 5.458.421,06 do IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores); R$ 10.875.210,32 do IRRF (Imposto de Renda Retido na Fonte); mais R$ 241.954,61 de ITCMD (Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação) e R$ 378.397,30 de outras receitas.

Porém, as despesas impositivas, aquelas que o Governo é obrigado constitucionalmente a repassar, somaram R$ 295.608.900,41. Deste total, a transferência para os municípios (25% do ICMS + 50% do IPVA) somou R$ 25.943.263,04. Os gastos com Educação (54% Educação Estado e 4% Educação Municípios) foram de R$ 66.505.764,65. Na saúde, foram investidos R$ 47.884.150,56.

O duodécimo dos Poderes ficou assim partilhado: R$ 20.991.666,67 para o Tribunal de Justiça; R$ 19.313.189,50 para a Assembleia Legislativa; R$ 7.491.054,50 para o Ministério Público Estadual; R$ 6.006.843,42 para o Tribunal de Contas do Estado; R$ 4.651.778,92 para a Defensoria Pública do Estado; R$ 4.277.429,50 para a Universidade Estadual de Roraima e R$ 1.406.739,33 para o Ministério Público de Contas do Estado.

As despesas seguiram com o pagamento das Folhas de Pessoal (exceto saúde, educação e UERR), que somaram R$ 53.196.168,10. Adiciona-se a esse valor o pagamento de encargos decorrentes do pagamento dos salários, sendo: R$ 4.466.375,15 da contribuição patronal do Iper (Instituto de Previdência do Estado de Roraima); R$ 944.910,43 de recolhimento do INSS e R$ 1.726.180,27 do PASEP mensal.

Chama a atenção o valor pago por parcelas de empréstimos contraídos em gestões anteriores, que totalizou R$ 17.601.044,76, ou quase quatro vezes o valor que o Governo investiu na educação superior, por meio da UERR. Foram destinados, ainda, R$ 2.468.942,49 para o pagamento de precatórios judiciais e R$ 10.183.633,64 para ações judiciais de professores. Outros R$ 549.775,48 foram utilizados para o pagamento de sentenças judiciais de pequeno valor.

Com isso, as despesas discricionárias, necessárias para o custeio e investimento, totalizaram R$ 6.543.445,99. Deste valor, R$1.436.489,59 foi destinado ao pagamento da alimentação do sistema prisional; R$ 2.199.617,00 para a restituição de convênios de gestões anteriores; R$ 1.942.928,79 para honrar contrapartidas de convênios e reajuste de contrato de repasse com a Caixa Econômica Federal. As despesas com combustível somaram R$ 727.868,56 (PMRR- Polícia Militar – jan/fev; PCRR – Polícia Civil- jan/fev/mar; Sejuc (Secretaria de Justiça e Cidadania) e Sefaz – março). Os gastos com material de expediente foram de R$ 110.602,20, e com tarifas bancárias, outros R$ 125.939,85.

"Dessa forma, o Governo do Estado demonstra o compromisso de informar a população, com total transparência, para que todos tenham conhecimento das dificuldades que a gestão passa, para organizar as despesas, além de ter uma dívida de DEA [Despesas de Exercícios Anteriores] de mais de R$6.000.000.000,00 [seis bilhões]", detalhou o governador Antonio Denarium.

 

 

O Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais), da PMRR (Polícia Militar de Roraima), comemora na próxima quinta-feira, dia 9, 11 anos de criação. Para celebrar a data, a Corporação inicia às 8 horas desta segunda-feira, 6, semana comemorativa com apresentação de duas palestras no auditório do MPE (Ministério Público Estadual).

A primeira será proferida pelo promotor do Tribunal do Júri, Diego Barroso, e a segunda, pelo comandante-geral da PMRR, coronel Antônio Elias Santana.

Para Elias Santana, é motivo de alegria comemorar os 11 anos de criação do Bope. Ele lembra que, em quatro destes 11 anos, ele foi o comandante da Unidade.

“É uma unidade extremamente identificada com o fazer polícia e, mais ainda, com o fazer polícia especializada, qualificada. Esperamos que nossa tropa “bopeana” renove o desejo e o espírito de servir e proteger nossa sociedade de modo qualificado”, disse.

HISTÓRICO - O Bope é a unidade de Policiamento Especializado da Polícia Militar de Roraima e integra o CPC (Comando de Policiamento da Capital). É composto pelos grupamentos do Canil, Força Tática, Choque e pelo Gate (Grupo de Ações Táticas Especiais).

Sua origem é da década de 1990, com a criação de um Canil Policial na sede do antigo 1º Batalhão de Polícia Militar. Em 1992, foi implantado o Gate.

Com a criação do Decreto Governamental 8.930-E, em 9 de maio de 2008, a então CIOE (Companhia Independente de Operações Especiais) foi transformada em Batalhão de Operações Policiais Especiais, mantendo a integridade de seus grupamentos originais.

As unidades especializadas desenvolvem atividades de combate a crimes de média e alta complexidade, em apoio ao policiamento ordinário nas áreas rurais e urbanas que compreendem a capital e interior do Estado.

Atualmente, o Batalhão é comandado pelo capitão Vilson Carlos Pereira Araújo. O subcomandante é o capitão Diego Souza.

“O Bope é a maior unidade especializada da Polícia Militar de Roraima e vem atuando, nesses 11 anos, no combate ao crime organizado de maneira geral, em ações de combate ao tráfico de entorpecentes e de armas de fogo, crimes violentos letais intencionais e, sem dúvida nenhuma, é considerado o escudo mais forte da sociedade roraimense, quando o assunto é segurança pública”, disse o comandante Araújo.

Companhia da Força Tática comemora 18 anos neste domingo

Um dos grupamentos do Bope, a Força Tática da PMRR completa, neste domingo, 5, 18 anos de sua criação. No ano em que a PMRR comemorava 26 anos de instituição, em homenagem, no dia 5 de maio de 2001, foi criada a Força Tática - FT 26 pelo Decreto nº 4.265-E.

PROGRAMAÇÃO

Segunda-feira, 6, Cerimonial de abertura da semana de comemoração (Palestra), às 8 horas, no auditório do Ministério Público;

Quarta-feira, 8, Desafio do aço (competição de tiro), às 8 horas, no estande de tiro do Cidade satélite;

Quinta-feira, 9, Competição de futebol, às 8 horas, na quadra de esportes do Quartel do Comando Geral da PM;

Domingo, 12, 1° Trail Run (Corrida Rústica), com largada, às 7 horas, do estacionamento do Garden Shopping;

Terça-feira, 14, Formatura militar geral do Bope, encerramento dos eventos, às 16 horas, em frente ao Batalhão.

 

Roraima é um Estado propício para a cajucultura. O cerrado é a vegetação ideal para o plantio do fruto. Pensando em desenvolver esse potencial, a Seapa (Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento) trouxe um pesquisador da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) Agroindústria Tropical, para capacitar o corpo técnico local, a fim de que possa levar a tecnologia disponível para o agricultor familiar em Roraima.

O pesquisador da Embrapa, Gustavo Saavedra, afirmou que a cultura do caju apresenta altas perspectivas de crescimento no mundo. Ele destacou que a atividade está baseada na castanha. Por ano, são produzidas quatro milhões de toneladas e a perspectiva de crescimento é para oito milhões de toneladas ao ano até 2025.

“Essa perspectiva abre muito espaço para o Brasil se inserir na cajucultura global, não só nos Estados originalmente produtores, que ainda constam no IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), que são Rio Grande do Norte, Ceará e Piauí, mas também outros Estados se agregarem para produzir castanha, mas não só ela e também o caju e movimentar toda uma economia”, pontuou.

Saavedra afirmou ainda que Roraima tem potencial para essa cultura, pois o cerrado se adequa muito ao cajueiro. “Aqui também existem cajueirais antigos, introduzidos por sementes há 30 anos. Eles ainda estão aí, não são produtivos, mas as plantas sobrevivem, então não é uma cultura que demanda muito, ela é bem adaptada ao clima”, disse.

O diretor do Dater (Departamento de Assistência Técnica e Extensão Rural) acredita que a capacitação é fundamental para o aperfeiçoamento dos conhecimentos do corpo técnico. “A capacitação sobre a cultura do caju é importante, pois estamos começando a trabalhar com a cultura em regiões como o Bonfim e o entorno de Boa Vista. Com a capacitação a gente pode ver os produtores que têm mais aptidão, ver as regiões que realmente têm aptidão para que possamos desenvolver a cultura em nosso Estado”, declarou.

A secretária-adjunta da Seapa, Luiza Maura, destacou a importância da capacitação. “É importante que comecemos e consolidemos a criação do polo cajueiro em Roraima, uma vez que temos a potencialidade dessa fruta tão latente. O incentivo à cajucultura em escala comercial pode nos destacar como referência, assim como tantas cidades no Nordeste”, disse.

Ela frisou ainda que a parceria entre Seapa e Embrapa tem sido positiva. “Temos parcerias com a Embrapa em outras áreas também. Certamente esse processo fortalecerá a agricultura familiar, alavancando o desenvolvimento agrícola do nosso Estado”, pontuou.

 

A Sejuc (Secretaria de Justiça e Cidadania), por meio de parceria com a Sesau (Secretaria estadual de Saúde) e Semsa (Secretaria municipal de Saúde), iniciou na manhã de sexta-feira, 3, a campanha de vacinação contra a gripe (H1N1) no sistema penitenciário de Roraima.

A imunização começou pela Cadeia Pública Feminina e contou com a participação de acadêmicos do Curso de Enfermagem do Centro Universitário Estácio da Amazônia.

A ação atende a uma recomendação da OMS (Organização Mundial de Saúde) que trata de grupos prioritários, dentre estes, trabalhadores da saúde; povos indígenas; puérperas (mulheres até 45 dias após o parto); idosos; professores de escolas públicas e privadas; pessoas com doenças crônicas ou imunidade baixa; jovens sob medidas socioeducativas; funcionários do sistema prisional; pessoas privadas de liberdade e profissionais das forças de segurança e salvamento: policiais, bombeiros, e membros ativos das Forças Armadas.

A ação prossegue na próxima semana. Na quarta-feira, dia 8, será feita na sede da Sejuc, para os servidores que atuam no sistema prisional, a partir das 8 horas. Na sequência, quinta-feira e sexta-feira, dias 9 e 10, serão vacinados os internos da Cadeia Pública masculina de Boa Vista.

Conforme o secretário de Justiça e Cidadania, André Fernandes, a imunização contra o vírus Influenza é de suma importância. “O problema é que achamos que se trata de uma doença tranquila. Entretanto, ela pode levar a complicações mais graves, como pneumonia, que pode ser causada pelo vírus Influenza e por bactérias oportunistas. Isso leva a internações e até ao óbito”, explicou, acrescentando que a atuação na prevenção, evita, inclusive, o congestionamento do sistema público de saúde.

De acordo com o secretário, as demais unidades prisionais do Estado também serão atendidas. O cronograma para realização da vacinação está em fase de elaboração.

A Sesau (Secretaria de Saúde), em parceria com o MS (Ministério da Saúde), o Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde) e o Hospital Israelita Albert Einstein, realiza o projeto de implantação da metodologia da planificação da atenção à saúde em Roraima.

Para o secretário-adjunto de Saúde, Eduardo José Cunha Morais, o Planifica SUS (Sistema Único de Saúde), planificação da atenção à saúde, traz uma nova perspectiva para o Estado, com foco na administração pública, no sentido de planejar e buscar uma identificação das falhas, para a correção dos rumos da saúde.

“Precisamos imediatamente renovar nossas energias, buscando parcerias, para que possamos efetivamente ter um resultado melhor. Sabemos das dificuldades do Estado e vamos trabalhar com quem já tem essa experiência, para que tenhamos uma saúde melhor para a população em geral”, explicou o secretário.

Ele destaca a iniciativa do Governo de Roraima, da Sesau e das prefeituras, com suas respectivas secretarias. “Todos irmanados, certamente teremos um excelente resultado. É um planejamento longo que vai até meados de 2020. Tenho certeza de que, com todos focados nesse objetivo, teremos uma saúde melhor”, disse.

O coordenador de Atenção Primária do Hospital Albert Einstein, Márcio Paresque, ressaltou que veio ao Estado, a fim de oferecer suporte técnico. “Com a implantação da planificação, a gente vem com o propósito de dar apoio técnico, tanto à Secretaria Estadual quanto às secretarias municipais, para o fortalecimento do SUS e para garantir essa integração dos dois pontos da rede: atenção primária e especializada”, frisou.

Conforme Márcio, as experiências exitosas se dão quando há uma parceria forte. “As parcerias entre os profissionais da assistência, que estão operacionalizando os serviços, com a gestão municipal e a gestão estadual, formam um casamento fundamental para o sucesso do projeto”, disse.

Para o diretor de Planejamento da Sesau, Nadson Sena, a oportunidade que o Estado está tendo de executar esse projeto envolvendo vários técnicos das áreas da atenção básica é muito importante.

“É um momento ímpar, porque traz para dentro do SUS a união de ações, com o objetivo comum de oferecer saúde à população. É um momento de grande desafio que vai trazer melhorias em curto, médio e longo prazo, tendo em vista o que realmente a população precisa para ter uma saúde resolutiva”, disse.

Quem também participou da reunião foi a consultora da Sesau, Marisa Pedrosa. Para ela, o projeto é de imensa relevância. “Receber esse projeto em Roraima é extremamente importante para fazer um diagnóstico das necessidades e reorganizar o setor saúde”, destacou.

A Sesau aderiu a seis projetos de fortalecimento da gestão estadual, com o Ministério da Saúde e o Conass. “Hoje, recebemos aqui o representante do Hospital Albert Einstein, que vai estar conosco por um ano e oito meses, nos orientando, nos capacitando para organizar a atenção especializada, a partir dos macroprocessos da Atenção Básica”, explicou Marisa Pedrosa.

Ela ressaltou ainda que o sucesso do projeto depende do envolvimento de todos os atores que dele participaram. “Hoje, temos uma equipe multissetorial. A Sesau, as Secretarias Municipais, o Conselho Estadual e os municipais de Saúde, instituições de ensino, unidades hospitalares, Coordenação de Atenção Básica e Coordenações de Atenção Especializada vão nos possibilitar esse diálogo; essa construção coletiva no período de um ano e oito meses”, finalizou.

Durante coletiva de imprensa concedida nesta terça-feira, 30, pela Comissão Externa da Câmara dos Deputados, formada por deputados federais para acompanhar os impactos sociais causados pela crise humanitária da Venezuela na vida dos brasileiros, o governador Antonio Denarium solicitou apoio para aumentar os valores do repasse do FPE (Fundo de Participação dos Estados) para Roraima.

“Espero que essa Comissão Externa da Câmara dos Deputados aponte para o governo federal - Ministério da Economia - que é preciso aumentar o repasse do FPE para o Estado. Nossa população cresceu em aproximadamente 20% e não houve nenhum incremento no Fundo de Participação dos Estados”, disse.

Denarium explicou ainda que, hoje, 25% dos recursos do FPE são aplicados na saúde e 18% na educação. De acordo com ele, o Estado precisa de mais investimentos diretos para custeio nessas duas áreas.

“Precisamos de mais investimentos por meio de custeios na saúde e na educação. Pegamos um governo sem gestão e com indícios de corrupção. Então, com a ajuda do governo federal e dos deputados federais nas ações do governo, tenho certeza de que vamos sair dessa situação deficitária”, destacou.

A comitiva é formada por cinco deputados federais de Estados diferentes, entre eles, o parlamentar da bancada de Roraima e coordenador da Comissão Externa, o deputado federal Antonio Carlos Nicoletti. Além dele, Eduardo Bolsonaro, general Eliéser Girão Monteiro Filho, coronel Chrisostomo de Moura e o delegado Pablo Oliva compõem o grupo.

Eles estiveram por dois dias acompanhando de perto os problemas que afetam a população roraimense e visitaram os hospitais e os abrigos da Operação Acolhida, gerenciados pelo Exército Brasileiro em Roraima.

O deputado federal Nicoletti ressaltou a importância da Operação Acolhida, diante da crise humanitária em Pacaraima.

"Parabenizamos o Exército Brasileiro pela Missão Acolhida, uma missão que veio realmente para ordenar Pacaraima na recepção dos venezuelanos. O que falta pra nós hoje, após as visitas nos hospitais, são mais investimentos na saúde, educação e segurança, porque 60% dos atendimentos na saúde são para venezuelanos", ressaltou.

A iniciativa das visitas foi idealizada pelo deputado Nicoletti e custeada com recursos próprios dos membros da Comissão. De acordo com o deputado Eduardo Bolsonaro, após um consenso entre parlamentares, parte das emendas individuais de cada um será doada para custeio no Estado e nos municípios.

"Há um comprometimento individual de cada deputado representado aqui. Todos nós concordamos em retirar uma cota das nossas emendas parlamentares. Cada um vai doar R$200 mil, o que vai totalizar quase R$1,5 milhão para investimentos aqui em unidades de saúde estaduais e municipais", explicou.

A comitiva fez um balanço da saúde e da educação no município de Pacaraima. Para eles, a situação é caótica. Além disso, os deputados reconheceram que existe a necessidade de aplicação da vigilância e patrulhamento da fronteira, para evitar a entrada descontrolada de imigrantes.

Após a visita, os deputados devem elaborar um relatório para ser apresentado aos ministérios responsáveis por cada área de atuação em Brasília. A ideia é solicitar ao governo federal a disponibilização de mais recursos.

Uma análise feita pela Coordenadoria Geral de Estudos Econômicos e Sociais da Seplan (Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento), com base nos dados do CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) divulgados pelo Ministério da Economia, mostra que em março deste ano foram criados 76 postos de trabalho com carteira assinada em Roraima, sendo o melhor resultado dos últimos 3 anos.

O setor de serviços foi o principal responsável pelo resultado positivo no mês passado, criando 167 novos empregos formais, a maior parte deles (132) no subsetor de serviços de alojamento, alimentação, reparação, manutenção e redação.

A indústria de transformação também continua gerando novas vagas de emprego. Esse foi o terceiro mês seguido de aumento nas contratações, onde foram criados 24 postos de trabalho. No acumulado do ano, a indústria de transformação foi a que mais empregou, com saldo positivo de 235 empregos formais.

As ocupações que mais ganharam postos de trabalho em março de 2019 foram: educador social (45), zelador (34) e emendador de cabos elétricos e telefônicos (33). Por outro lado, os profissionais que mais perderam postos foram: vendedor de comércio varejista (-22), operador de quadro de distribuição de energia elétrica (-22), servente de obras (-12) e trabalhador da cultura de arroz (-12).

No acumulado do ano, foram extintos 320 postos de trabalho, sendo que metade dos setores econômicos apresentou resultado negativo: construção civil (-508), comércio (-130), serviços industriais de utilidade pública (-107) e agropecuária (-20). Por outro lado, a indústria de transformação (235), serviços (199), administração pública (8) e indústria extrativa (3) registraram crescimento no mesmo período.

Conforme a avaliação do secretário de Planejamento, Marcos Jorge de Lima, os dados do CAGED do mês de março apontam para a retomada da atividade econômica no Estado de Roraima.

“Esse dado positivo, que é o melhor dos últimos três anos, demonstra claramente a retomada das contratações, o que é uma excelente notícia para o Dia do Trabalhador. Além de gerar novos empregos, estamos tendo a possibilidade, por meio da ação do Governo de Roraima, de antecipar o pagamento do servidor. Os servidores receberam dentro do mês e estão recebendo agora em dia”, destacou o secretário.

Marcos Jorge também pontuou que os indicadores de emprego continuarão sendo acompanhados com bastante cuidado, adotando ações para que na condição de indutor da economia o Estado possa seguir contribuindo para o crescimento do emprego formal e da atividade econômica.

A Caer (Companhia de Águas e Esgotos de Roraima) iniciou imediatamente a manutenção corretiva na rede de água, localizada na Praça do Centro Cívico, após rompimento de uma das adutoras que integram o Sistema de Água naquele trecho da Capital, ocorrido no final da manhã desta terça-feira, 30 de abril.

Uma equipe do Sistema de Águas, incluindo encanadores, auxiliares de encanador, motorista, operadores de máquina, foi envolvida do trabalho. A força-tarefa incluiu a utilização de caminhões de água e esgoto, retroescavadeira e equipamentos específicos para reparos desse porte. A previsão de conclusão do serviço é até às 18 horas desta terça-feira, 30.

“Enviamos uma equipe imediatamente para realizar os reparos no local. Já foi feita toda a limpeza no local, retirada do material como barro e areia e agora os técnicos seguem em caráter de urgência a retirada da parte danificada e substituição da área comprometida”, esclareceu o presidente da Caer, James Serrador.

Para realizar o trabalho foi necessário suspender o fornecimento de água para os Centros de Reservação e Distribuição (CRD’s) dos Bairros São Vicente e Raiar do Sol, abastecidos pela rede que apresentou problemas. Trata-se de uma rede que possui cerca de 10 anos de funcionamento e devido ao desgaste da ação do tempo apresentou problemas. No entanto a Companhia providenciou todo o material para a substituição imediata.

A Aderr (Agência de Defesa Agropecuária de Roraima) prorrogou o prazo de vacinação contra a febre aftosa para o dia 15 de maio. Dessa forma, o produtor terá mais tempo para vacinar todo o rebanho e cumprir com as metas de imunização. Esta é a 37ª Campanha de Vacinação contra a doença.

Conforme explicou o presidente da Aderr, Gelb Platão, a prorrogação se deu em virtude do prejuízo que pecuaristas tiveram com o fenômeno El Niño, que provocou forte estiagem em Roraima, causando o aumento de focos de calor e em consequência do surgimento de queimadas.

“Isso leva o produtor rural a enfrentar sérias dificuldades e afeta diretamente no desenvolvimento de uma cobertura vacinal positiva”, justificou.

Segundo o presidente da Faerr (Federação de Agricultura e Pecuária do Estado de Roraima), Silvio Silvestre, essas dificuldades são a pouca água para saciar o gado, falta de pastos e destruição de cercas que antes ajudavam na organização de um ambiente seguro para manejo.

“Diante deste cenário e após ouvir relatos contundentes dos pecuaristas do Estado, muitos deles membros de cooperativas, tivemos que solicitar a prorrogação da campanha”, explicou Silvestre.

Gelb Platão ressaltou que a equipe continuará mobilizada para garantir a meta de imunização. “Nossa meta é garantir a vacinação de todo o rebanho bovino e assim manter nosso certificado de área livre de febre aftosa com vacinação com reconhecimento internacional”, disse.

O Banco de Leite Humano do HMI (Hospital Materno Infantil Nossa Senhora de Nazareth) convoca a população para doar frascos de vidro que contenham tampa de plástico, como potes de café solúvel, por exemplo. Os potes são utilizados para a conservação do estoque da unidade e devem ser entregues na recepção da Maternidade.

De acordo com a coordenadora do Banco de Leite, Sílvia Furlin, as pessoas ainda não sabem que muitos desses frascos - geralmente utilizados no dia-a-dia das famílias, ou simplesmente descartados no lixo - podem ser reutilizados para outros fins. Com isso, ela reforça a necessidade desses potes para a unidade.

“É importante que a sociedade se mobilize para doar esses frascos. Qualquer pessoa pode se dirigir à recepção do HMI e doar esse item necessário para o nosso Banco de Leite”, ressaltou Sílvia.

BANCO DE LEITE – O estoque atual é satisfatório para atender os bebês internados na Utin (Unidade de Terapia Intensiva Neonatal) da Maternidade, onde é bastante utilizado. Apesar disso, o banco constantemente convoca as doadoras para reforçar e manter o estoque em níveis satisfatórios.

“Sempre há novos bebês nascendo na unidade, principalmente bebês prematuros, que são os que mais precisam de leite materno”, pontua Sílvia, acrescentando que se soma a isso a imigração venezuelana, que tem impactado diretamente no alto número de atendimentos naquela unidade hospitalar.

PARCERIA – Desde setembro de 2015, a Sesau (Secretaria Estadual de Saúde), junto ao CBMRR (Corpo de Bombeiros Militar de Roraima), mantém o projeto “Amigos do Peito”.

O projeto tem como objetivo buscar as doações de leite materno diretamente na residência das mães doadoras e transportar até o Banco de Leite, onde o material colhido passa por um processo de pasteurização, antes de ser utilizado para amamentar os recém-nascidos da Utin.

COMO DOAR – Para ser doadora, é necessário que a candidata esteja amamentando e tenha excedente de leite, além de ter negativado nos exames de HIV e VDRL, que diagnostica a Sífilis.

Caso todos os pré-requisitos sejam atendidos, a doadora deve comparecer ao Banco de Leite Humano do HMI ou, se preferir, ligar para os telefones 4009-4939 ou 4009-4909, para realizar o cadastro.

Página 1 de 2