Mostrando itens por marcador: governoderoraima

Começam nesta segunda-feira, 22, as inscrições do processo seletivo da Univirr (Universidade Virtual de Roraima) que irá contratar professores para cursos de língua Macuxi, Wapichana e também Informática. Estão sendo ofertadas três vagas, sendo uma para cada curso.

Os interessados devem fazer a inscrição até o dia 26 de junho exclusivamente pela internet, no portal da Univirr no endereço www.univirr.edu.br. A seleção será por meio de análise curricular e comprovação de títulos. Será feita contratação imediata e também haverá formação de cadastro reserva.

O candidato deve acessar o portal, preencher o formulário eletrônico de inscrição, digitalizar documentos e anexar ao formulário. O edital do processo seletivo com todas as informações do certame foi publicado no DOE (Diário Oficial do Estado) N° 3.742, do dia 16 de junho.

Os professores contratados vão ministrar aulas online. Eles deverão planejar, elaborar, ministrar aulas e atividades gravadas que serão disponibilizadas no portal da Univirr. Também deverão interagir com os estudantes através de meios estabelecidos pela instituição para esclarecer dúvidas durante o curso. A remuneração será por hora/relógio de aula ministrada (gravada), com valor unitário de R$ 50,00 e o contrato terá duração de seis meses.

“Neste momento, nosso intuito é atender as comunidades indígenas, preparando os profissionais, inclusive para concursos”, destacou Raimundo Nonato Carneiro Mesquita, reitor da Univirr.

CRONOGRAMA – De acordo com o cronograma, a publicação dos candidatos inscritos será divulgada no dia 29 de junho. A análise e avaliação dos documentos serão realizadas de 30 de junho a 3 de julho.

As demais fases ocorrerão todas no mês de julho, sendo o resultado preliminar publicado no dia 7, o prazo para os recursos, no dia 8 e o resultado final, dia 10. A convocação para entrega de documentos e contratação dos candidatos aprovados está prevista para o período que vai de 13 a 16 de julho.

INSTITUTO DE LÍNGUAS – Além do lançamento do processo seletivo, o reitor Raimundo Nonato Carneiro Mesquita anunciou que em breve a Univirr deverá implantar o Instituto de Línguas, em parceria com outras IESs (Instituições de Ensino Superior) para melhor atender à população.

“Em breve, a Univirr, em parceria com o Instituto Insikiran da UFRR (Universidade Federal de Roraima) e com a UERR (Universidade Estadual de Roraima), vai implantar o Instituto de Línguas para oferta de línguas indígenas e das línguas utilizadas nas fronteiras de nosso Estado, como Inglês e Espanhol”, anunciou o reitor.

Publicado em DESTAQUES
Segunda, 22 Junho 2020 00:44

COMUNICADO

O Governo de Roraima, por meio da Sesau (Secretaria de Saúde), e do COERR (Centro de Operações Especiais de Saúde Pública de Roraima) torna pública a divulgação do BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO PARA ATUALIZAÇÃO SOBRE O CORONAVÍRUS.

A divulgação da situação epidemiológica com relação à doença faz parte do Plano de Contingenciamento montado pelas autoridades de saúde do Estado.

As publicações vão ocorrer diariamente no site da Sesau (www.saude.rr.gov.br) e no portal roraimacontraocorona.rr.gov.br.

A nova atualização informa o Estado contabiliza até o momento 15.013 notificações para a COVID-19, de acordo com os critérios de definição de caso do Ministério da Saúde.

Destes, 8.188 foram confirmados segundo município de residência, sendo 5.420 por RT-PCR e 2.768 por teste rápido, 6.825 foram descartados e 251 óbitos.

Com relação apenas as confirmações para a doença, 173 em Alto Alegre, 63 no Amajari, 5.994 casos foram notificados em Boa Vista, 116 em Bonfim, 281 no Cantá, 42 em Caracaraí, 234 em Caroebe, 55 em Iracema, 139 em Mucajaí, 31 em Normandia, 304 em Pacaraima, 373 em Rorainópolis, 175 em São João da Baliza, 66 em São Luiz e 33 em Uiramutã.

Já sobre os casos descartados, 209 em Alto Alegre, 76 em Amajari, 5.359 notificações ocorreram em Boa Vista, 106 em Bonfim, 111 no Cantá, 37 em Caracaraí, 127 em Caroebe, 64 em Iracema, 256 em Mucajaí, 19 em Normandia, 114 em Pacaraima, 121 em Rorainópolis, 82 em São João da Baliza, 65 em São Luís e 09 em Uiramutã.

O Estado também contabiliza 251 óbitos por Coronavírus (COVID-19), 05 em Alto Alegre, 03 em Amajarí, 196 no município de Boa Vista, 05 no Bonfim, 06 no Cantá, 01 em Caracaraí, 02 em Caroebe, 01 em Iracema, 02 em Mucajaí, 03 em Normandia, 13 em Pacaraima, 08 em Rorainópolis, 02 em São João da Baliza, 01 em São Luís e 01 em Uiramutã.

Além disso, 2.791 pacientes diagnosticados com a doença receberam alta de isolamento e encontram-se recuperados.

Deste total, 41 em Alto Alegre, 18 em Amajari, 2.174 são de Boa Vista, 57 de Bonfim, 50 no Cantá, 15 em Caracaraí, 43 em Caroebe, 04 em Iracema, 43 em Mucajaí, 06 em Normandia, 125 em Pacaraima, 108 em Rorainópolis, 18 em São João da Baliza, 39 de São Luiz e 02 em Uiramutã.

Por conta do crescimento de casos, a OMS (Organização Mundial de Saúde) declarou que o mundo vive uma pandemia da doença.

Publicado em DESTAQUES

Roraima possui cerca de 70 mil indígenas de 11 etnias que se encontram espalhadas por várias regiões do Estado, ocupando 47% da área territorial. Em respeito à tradição desses povos, o Governo de Roraima em conjunto com a coordenação da Operação Acolhida implementou o método de atendimento humanizado na Área de Proteção e Acolhimento, também conhecida como Hospital de Campanha.

Enfermarias foram especialmente desenvolvidas com leitos-rede, respeitando a cultura e a tradição dos povos indígenas. No entendimento do governador Antonio Denarium, os indígenas merecem todo respeito e atenção especial. "Os pacientes indígenas com COVID-19 que forem internados no Hospital de Campanha poderão optar por ficar nessas enfermarias, para sua melhor comodidade", ressaltou.

Ao todo, o Hospital de Campanha disponibilizou 80 suportes com redes. Além disso, Denarium destacou o esforço para colocar um atendimento de médicos especializados com a ajuda de tradutores, que prestarão o apoio técnico aos pacientes indígenas quando for necessário. "Esse é um trabalho que já realizamos em nossas unidades de saúde de referência do Estado e que apresenta resultados positivos, devido à dedicação de uma equipe capacitada e especializada", complementou.

O coordenador da Operação Acolhida, general Antônio Barros, disse que a implantação de um atendimento especializado aos indígenas, com a utilização da rede, faz parte de um esforço conjunto importante, porque pode contribuir diretamente na recuperação desses pacientes. "Foi por esse motivo que decidimos implementar a ideia, pois o paciente indígena ao ficar internado se sentirá familiarizado e confortável mesmo estando dentro de um Hospital", ressaltou.

Ele frisou também que o trabalho de articulação com o Dsei [Distrito Sanitário Especial Indígena] e Funai [Fundação Nacional do índio] foi fundamental para a execução do método de atendimentos especializado. "Procuramos entender o processo de atendimento que é realizado com os indígenas. O índio poderá utilizar a rede por opção, conforme a sua necessidade do momento", explicou.

Atendimento humanizado no Hospital Materno-Infantil e no Hospital Geral de Roraima

No Hospital Materno-Infantil Nossa Senhora de Nazareth (HMINSN), as gestantes indígenas contam com enfermarias com leitos e armadores de redes instalados. O dispositivo de humanização é uma forma de possibilitar conforto e familiarização, pois é dessa forma que os povos indígenas costumam dormir.

A Coordenação Indígena é responsável por ser elo entre paciente, Maternidade e Casa do Índio (Casai). O setor trabalha com o acolhimento logo na porta de entrada com a presença de intérpretes de Língua Indígena à disposição dos profissionais de saúde e usuários do SUS (Sistema Único de Saúde).

No Hospital Geral de Roraima Rubens de Souza Bento, o setor da Saúde indígena foi implantado em 2001. O serviço conta com a parceria da Casai, que disponibiliza mão de obra pra ajudar nos atendimentos.  A equipe é composta por antropólogo e gerente do serviço, técnicos de enfermagem, assistente administrativo e intérpretes de Língua Indígena.

Os indígenas têm direito à alimentação diferenciada quando não querem comer a mesma refeição destinada aos outros pacientes. Nas internações, se desejarem a presença de pajés, curandeiros, padres, pastores, terão acesso a esse serviço. O setor de saúde indígena também conta com um projeto de “quartos humanizados”, que são os quartos com sistema de redes.

 

Publicado em DESTAQUES

O governador Antonio Denarium mais uma vez mostrou a preocupação com a recuperação dos pacientes em tratamento contra a COVID-19. No final da manhã deste sábado, 20, ele acompanhou pessoalmente a segunda etapa de transferência de 13 pacientes do HGR (Hospital Geral de Roraima Rubens de Souza Bento) para a APC (Área de Proteção e Cuidados), mais conhecida como Hospital de Campanha.

Conforme o governador, estão sendo transferidos para o Hospital de Campanha, neste primeiro momento, os pacientes estabilizados, que passaram pela triagem e regulação estabelecidas pela equipe médica do HGR.

"Os pacientes que estão na UTI [Unidade de Terapia Intensiva], utilizando respiração mecânica, permanecerão no Hospital Geral. Aos poucos, vamos desafogar os atendimentos realizados aqui no Hospital [HGR]. Estou confiante de que estamos seguindo no rumo certo, atingindo o nosso objetivo que é contribuir com a recuperação dos pacientes", acrescentou.

O titular da Sesau (Secretaria de Saúde), Marcelo Lopes, ressaltou a importância do trabalho conjunto com a equipe da Operação Acolhida [Exército Brasileiro], que está preparada para atuar na transferência dos pacientes.

"A remoção dos pacientes contou com o apoio de uma equipe médica especializada, coordenada pela Operação Acolhida, responsável pelo Hospital de Campanha. Nós, da Secretaria de Saúde, estamos fazendo essa ponte entre o HGR e a APC", afirmou.

Lopes disse ainda que a Secretaria está em discussão permanente com a coordenação da Operação Acolhida sobre os protocolos de atendimentos, para que as transferências dos pacientes ocorram de forma tranquila.

"O Hospital de Campanha abriu com 80 leitos disponíveis. Na próxima semana, mais 172 devem estar prontos para receber mais pacientes. Conforme a demanda, a Unidade poderá dispor de até 782 leitos", ressaltou.

Avaliação do atendimento e entrega de insumos

O governador Antonio Denarium fez questão de visitar o setor de Grande Trauma do HGR para avaliar o trabalho realizado pela equipe de saúde.

"Considero essa visita de extrema importância para mostrar que estamos preocupados com esse momento delicado pelo qual estamos passando em nossa saúde do Estado", avaliou.

Ele assegurou que continuará tomando as medidas necessárias para a manutenção dos atendimentos com o fornecimento contínuo de materiais e medicamentos.

"Vamos continuar oferecendo as condições necessárias aos médicos para que possam realizar o melhor atendimento aos pacientes em recuperação da COVID-19. Toda semana, iremos fornecer insumos que chegarão ao Estado por meio de um avião cargueiro que fretamos para trazer todos os materiais", enfatizou Denarium.

 

Publicado em MANCHETES
Domingo, 21 Junho 2020 01:10

COMUNICADO

O Governo de Roraima, por meio da Sesau (Secretaria de Saúde), e do COERR (Centro de Operações Especiais de Saúde Pública de Roraima) torna pública a divulgação do BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO PARA ATUALIZAÇÃO SOBRE O CORONAVÍRUS.

A divulgação da situação epidemiológica com relação à doença faz parte do Plano de Contingenciamento montado pelas autoridades de saúde do Estado.

As publicações vão ocorrer diariamente no site da Sesau (www.saude.rr.gov.br) e no portal roraimacontraocorona.rr.gov.br.

A nova atualização informa o Estado contabiliza até o momento 14.875 notificações para a COVID-19, de acordo com os critérios de definição de caso do Ministério da Saúde.

Destes, 8.120 foram confirmados segundo município de residência, sendo 5.364 por RT-PCR e 2.756 por teste rápido, 6.755 foram descartados e 251 óbitos.

Com relação apenas as confirmações para a doença, 171 em Alto Alegre, 63 no Amajari, 5.956 casos foram notificados em Boa Vista, 116 em Bonfim, 275 no Cantá, 41 em Caracaraí, 234 em Caroebe, 55 em Iracema, 138 em Mucajaí, 31 em Normandia, 304 em Pacaraima, 372 em Rorainópolis, 156 em São João da Baliza, 66 em São Luiz e 33 em Uiramutã.

Já sobre os casos descartados, 209 em Alto Alegre, 76 em Amajari, 5.328 notificações ocorreram em Boa Vista, 106 em Bonfim, 108 no Cantá, 36 em Caracaraí, 127 em Caroebe, 64 em Iracema, 256 em Mucajaí, 19 em Normandia, 112 em Pacaraima, 95 em Rorainópolis, 80 em São João da Baliza, 65 em São Luís e 09 em Uiramutã.

O Estado também contabiliza 251 óbitos por Coronavírus (COVID-19), 05 em Alto Alegre, 03 em Amajarí, 196 no município de Boa Vista, 05 no Bonfim, 06 no Cantá, 01 em Caracaraí, 02 em Caroebe, 01 em Iracema, 02 em Mucajaí, 03 em Normandia, 13 em Pacaraima, 08 em Rorainópolis, 02 em São João da Baliza, 01 em São Luís e 01 em Uiramutã.

Além disso, 2.786 pacientes diagnosticados com a doença receberam alta de isolamento e encontram-se recuperados.

Deste total, 41 em Alto Alegre, 18 em Amajari, 2.174 são de Boa Vista, 57 de Bonfim, 50 no Cantá, 15 em Caracaraí, 43 em Caroebe, 04 em Iracema, 43 em Mucajaí, 06 em Normandia, 125 em Pacaraima, 108 em Rorainópolis, 18 em São João da Baliza, 34 de São Luiz e 02 em Uiramutã. Por conta do crescimento de casos, a OMS (Organização Mundial de Saúde) declarou que o mundo vive uma pandemia da doença.

Publicado em DESTAQUES

A Seapa (Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento), por meio do PAA (Programa de Aquisição de Alimentos), recebe há mais de um mês os produtos da agricultura familiar. Os agricultores que se cadastraram para o exercício de 2020 iniciaram a entrega dessa mercadoria e, ao mesmo tempo, toda carga recebida foi repassada a entidades cadastradas pelo Programa.

Até o momento, 50 produtores de seis municípios, Rorainópolis, Iracema, Pacaraima, Alto Alegre, Amajari e Boa Vista, já foram atendidos pelo PAA; e mais de 157 toneladas de alimentos foram distribuídas. Cerca de 50 entidades foram beneficiadas com o recebimento dos produtos, até agora; e o valor pago chega a R$128 mil.

Segundo o titular da Seapa, Emerson Baú, o PAA tem por finalidade auxiliar produtores da agricultura familiar a escoar o sobressalente da produção. “Além de ajudar os produtores rurais, as entidades beneficiadas têm a oportunidade de receber alimentos frescos e saudáveis. Neste momento de pandemia causada pelo novo coronavírus, toda ajuda é válida para estas entidades que tanto precisam”, frisou Baú.

Esses produtos são distribuídos em escolas, creches, unidades de saúde, entre outras entidades. O PAA proporciona uma alternativa de rentabilidade para o produtor rural. Ele não perde mercadoria e ainda tem a segurança de vender por meio do Programa.

A coordenadora do PAA na Seapa, Paula Silva, informa que o recebimento e entrega dos produtos estão sendo feitos de acordo com os critérios definidos pelo técnico de cada CPR (Casa do Produtor Rural), devido à COVID-19. “As redes de ensino, mesmo funcionando com ensino a distância, continuam recebendo os produtos do PAA para a distribuição entre os alunos matriculados”, ressaltou.

O produtor rural deve observar as normas de higiene estabelecidas para o recebimento dos produtos na CPR como medida de prevenção e combate à COVID-19.  

Entidades beneficiadas

Lisiane Lauro Lazzarotto, gerente de Programas Sociais, do Sesc (Serviço Social do Comércio), fala sobre como funciona o Mesa Brasil, uma das entidades que recebem os alimentos do PAA.

“A gente abre as inscrições para instituições que atendem famílias, idosos e crianças. Logo depois, a assistente social faz a visita, vê se está dentro dos critérios, para realizar efetivamente o cadastramento. Aí, quando começamos a receber os produtos, fazemos a triagem. Por exemplo, tem uma instituição parceira que doou iogurte, então essa doação eu direciono para os idosos e para as crianças”, disse Lazzarotto.

A gerente de Programas Sociais explica que a triagem é feita para atender ao perfil do público beneficiado. “Os produtos da Seapa e da Conab [Companhia Nacional de Abastecimento] a gente só direciona para as instituições que possuem o registro no Conselho Municipal de Assistência, mas sempre fazendo a triagem conforme os produtos que recebemos”, informou.

PAA – Criado em 2003, o PAA é uma ação do Governo Federal para colaborar com o enfrentamento da fome e da pobreza no Brasil e, ao mesmo tempo, fortalecer a agricultura familiar. Para isso, o Programa utiliza mecanismos de comercialização que favorecem a aquisição direta de produtos de agricultores familiares ou de suas organizações, estimulando os processos de agregação de valor à produção. Cada agricultor pode fornecer até R$ 6,5 mil em produtos por ano.

Ao todo, 664 agricultores familiares foram cadastrados para fornecer alimentos para o PAA em 2020. Para o recebimento dos produtos, 278 entidades tiveram o cadastro confirmado. 

Publicado em DESTAQUES

O governador de Antonio Denarium participou nesta sexta-feira, 19, da coletiva de imprensa promovida pela coordenação da Área de Proteção e Cuidados, mais conhecida como Hospital de Campanha, da Operação Acolhida. A ação teve como objetivo a oficialização da abertura da unidade com 80 leitos e sobre a remoção de mais 20 pacientes internados no HGR (Hospital Geral de Roraima Rubens de Souza Bento), que ocorrerá ainda esta noite.

A coletiva foi conduzida pelo coordenador do Hospital de Campanha, general Barros e contou com a participação do presidente da ALE-RR (Assembleia Legislativa de Roraima), deputado Jalser Renier; do defensor Público Geral, Stélio Dener; da procuradora Geral do MPRR (Ministério Público de Roraima), Janaína Carneiro; do juiz auxiliar do TJRR (Tribunal de Justiça de Roraima), Aluizio Vieira; do vice-reitor da UFRR (Universidade Federal de Roraima), Silvestre da Nóbrega; e do representante do Hospital Sírio Libanês e Banco Itaú, José Pereira de Souza.

De acordo com Denarium, após a transferência dos primeiros pacientes do HGR para o Hospital de Campanha, ocorrida na noite de quinta-feira, 18, haverá uma nova transferência pacientes. “O Governo do Estado também ampliou o número de UTI's, ontem iniciamos a transferência dos primeiros paciente para o Hospital de Campanha e abrimos mais 47 leitos de enfermaria para atendimento de COVID-19 e mais 40 semi-intensivos. À medida que seja estruturado o atendimento, vai sendo ampliada a quantidade de internados”, destacou.

Denarium disse ainda que o Governo já contratou um avião cargueiro, da empresa Azul, para realizar o transporte semanal de insumos e medicamentos para suprir a deficiência no atendimento no Estado. “Aqui em Roraima, devido a distância, temos uma dificuldade muito grande para realizar o transporte de cargas e, para acabar com essa necessidade, nós contratamos um cargueiro da Azul, com voos semanais de São Paulo, para trazer produtos médicos hospitalares, EPI's e medicamento”, completou.

Para o secretário de Saúde, Marcelo Lopes, a abertura do Hospital de Campanha representa um dia de esperança para toda a população roraimense. “Hoje é um dia de esperança. A população pode ter a certeza da condição de atendimento e tratamento de todos os pacientes diagnosticados com a doença”, relatou.

Marcelo disse ainda que a Sesau (Secretaria de Saúde) vai evoluir na transferência dos pacientes do HGR. “Vamos aumentar na transferência dos pacientes do HGR, até completar os 80 leitos, e na próxima semana serão novos 170 leitos. Esses que estão sendo transferidos inicialmente para (APC), são pacientes com sintomas mais leves, ou seja, estamos retirando aqueles que estão acomodados nos corredores”, explicou.

Publicado em MANCHETES
Sábado, 20 Junho 2020 02:25

COMUNICADO

O Governo de Roraima, por meio da Sesau (Secretaria de Saúde), e do COERR (Centro de Operações Especiais de Saúde Pública de Roraima) torna pública a divulgação do BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO PARA ATUALIZAÇÃO SOBRE O CORONAVÍRUS.

A divulgação da situação epidemiológica com relação à doença faz parte do Plano de Contingenciamento montado pelas autoridades de saúde do Estado.

As publicações vão ocorrer diariamente no site da Sesau (www.saude.rr.gov.br) e no portal roraimacontraocorona.rr.gov.br.

A nova atualização informa o Estado contabiliza até o momento 14.774 notificações para a COVID-19, de acordo com os critérios de definição de caso do Ministério da Saúde.

Destes, 8.037 foram confirmados segundo município de residência, sendo 5.294 por RT-PCR e 2.743 por teste rápido, 6.737 foram descartados e 245 óbitos.

Com relação apenas as confirmações para a doença, 171 em Alto Alegre, 63 no Amajari, 5.905 casos foram notificados em Boa Vista, 116 em Bonfim, 269 no Cantá, 41 em Caracaraí, 234 em Caroebe, 55 em Iracema, 138 em Mucajaí, 31 em Normandia, 293 em Pacaraima, 372 em Rorainópolis, 147 em São João da Baliza, 64 em São Luiz e 32 em Uiramutã.

Já sobre os casos descartados, 209 em Alto Alegre, 76 em Amajari, 5.318 notificações ocorreram em Boa Vista, 106 em Bonfim, 106 no Cantá, 36 em Caracaraí, 127 em Caroebe, 64 em Iracema, 256 em Mucajaí, 19 em Normandia, 112 em Pacaraima, 95 em Rorainópolis, 75 em São João da Baliza, 65 em São Luís e 09 em Uiramutã.

O Estado também contabiliza 245 óbitos por Coronavírus (COVID-19), 05 em Alto Alegre, 03 em Amajarí, 192 no município de Boa Vista, 05 no Bonfim, 06 no Cantá, 01 em Caracaraí, 02 em Caroebe, 01 em Iracema, 02 em Mucajaí, 03 em Normandia, 11 em Pacaraima, 08 em Rorainópolis, 02 em São João da Baliza, 01 em São Luís e 01 em Uiramutã.

Além disso, 2.786 pacientes diagnosticados com a doença receberam alta de isolamento e encontram-se recuperados.

Deste total, 41 em Alto Alegre, 18 em Amajari, 2.174 são de Boa Vista, 57 de Bonfim, 50 no Cantá, 15 em Caracaraí, 43 em Caroebe, 04 em Iracema, 43 em Mucajaí, 06 em Normandia, 125 em Pacaraima, 108 em Rorainópolis, 18 em São João da Baliza, 34 de São Luiz e 02 em Uiramutã.

Por conta do crescimento de casos, a OMS (Organização Mundial de Saúde) declarou que o mundo vive uma pandemia da doença.

Publicado em DESTAQUES

Após assumir interinamente a Presidência do Iper (Instituto de Previdência do Estado de Roraima), Adriana Padilha, que até então ocupava o cargo de vice-presidente, resolveu dar início a uma campanha informativa sobre o próprio instituto. “Eu percebo que as pessoas ainda têm muitas dúvidas sobre a nossa missão, a arrecadação, os investimentos e até a previdência, que é o nosso fim maior”, explicou ela.

De acordo com Adriana, em 2018 foi criado o programa IPER: Transparência e Educação Previdenciária, cujo objetivo era esclarecer dúvidas referentes à previdência e mostrar aos servidores efetivos como era feita a gestão dos recursos previdenciários. "Ao longo do ano, percorremos todos os órgãos da administração pública, direta e indireta. O foco agora é o público em geral”, contou Adriana, acrescentando que as informações serão divulgadas semanalmente nas redes sociais do Iper.

VOCÊ CONHECE O IPER? – O Instituto de Previdência do Estado de Roraima foi constituído sob a forma de autarquia no dia 31 de dezembro de 1991, pelo artigo 134 da Constituição Estadual, e implementado pelo artigo 2º do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias como único gestor do Regime Próprio de Previdência Social do Estado de Roraima.

Em funcionamento desde 2001, o Iper garante aos servidores estaduais efetivos e seus dependentes os benefícios previdenciários que lhes sejam devidos, como aposentadorias, auxílios e pensões, zelando pela boa gestão dos recursos, sempre pautado na sustentabilidade financeira e atuarial.

São segurados os servidores públicos estaduais efetivos (pouco mais de 17 mil), chamados de ativos, e os aposentados (quase 600) e pensionistas (cerca de 1.000), conhecidos como inativos.

Publicado em DESTAQUES

Nesta quinta-feira, 18, encerrou a Semana de Conciliação realizada pela Caer (Companhia de Águas e Esgotos de Roraima), em parceria com TJRR (Tribunal de Justiça de Roraima), por meio do Cejusc (Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania). A campanha, iniciada dia 15 de junho, facilitou a negociação de dívidas altas para os 200 clientes da companhia.

O Mutirão de Conciliação de Débitos ocorreu por videoconferência e ofereceu condições especiais de pagamento aos usuários inadimplentes. O presidente da Caer, James Serrador, avaliou a campanha de forma positiva, pois 70% dos acordos foram fechados. “Foi um resultado extremamente positivo para a companhia, embora tenham ocorrido algumas complicações em relação ao comparecimento e à participação de alguns usuários, por meio do sistema de videoconferência”, destacou James.

A empresa ofereceu aos usuários descontos de até 100% nos juros e multas e parcelamento dos débitos em até 60 vezes na própria fatura e/ou 12 vezes no cartão de crédito. Outra facilidade foi o prazo para pagamento da entrada de 10% do valor negociado, que foi estendido para 30 dias contados da data da homologação do acordo.

Os devedores receberam a carta-convite e participaram da negociação por meio de videoconferência. Os acordos firmados na audiência virtual tem a mesma validade jurídica que as negociações presenciais. Os clientes fizeram as audiências de casa, com os colaboradores da empresa e servidores do TJRR, todos em sala virtual criada pelo sistema do Tribunal de Justiça.

Publicado em DESTAQUES