×

Aviso

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 232

Para muitas pessoas, os super-heróis são aqueles personagens que vemos em filmes e desenhos animados, mas para a estudante Elen Ji Chang, de 11 anos, aluna do Colégio Militar Estadual CEL PM Derly Luiz Vieira Borges, os caminhoneiros são os verdadeiros heróis. A aluna conquistou o 1° lugar na fase estadual do 48° Concurso Internacional de Redação de Cartas realizado pelos Correios.

O objetivo do concurso, que este ano tem como tema “Escreva uma carta sobre o seu herói”, é melhorar a alfabetização através da arte epistolar, ou seja, escrita de cartas, além de incentivar a expressão da criatividade e a melhora dos conhecimentos linguísticos de crianças e adolescentes.

A estudante escreveu sobre a greve dos caminhoneiros, ocorrida em 2018. Segundo ela, os profissionais são importantes para o desenvolvimento do país e muitas vezes são invisíveis.

“Quando os caminhoneiros paralisaram, houve um colapso na economia do Brasil. Eles são essenciais para o funcionamento do país e é importante que as pessoas saibam disso”, explicou Elen, falando sobre o motivo da escolha do seu tema.

A professora de Língua Portuguesa e orientadora, Eliane Melo, destacou a importância do concurso como uma ferramenta estratégica para propor conhecimentos aos alunos. “Eu sempre incluo este concurso ao meu plano anual de aulas, pois ele serve como ferramenta para os alunos adquirirem novos conhecimentos”, revelou.

Para iniciar as atividades, a professora explicou que apresenta o tema em sala de aula para os alunos, explica a importância e dialogam sobre o assunto. Após isso, são realizadas pesquisas para execução dos textos.

“Os alunos escrevem, leio, sugiro mudanças, parabenizo os acertos, peço que sejam originais e criativos. Não podem copiar nada da internet, apenas usá-la como fonte de pesquisa para conhecimento do tema abordado”, explicou Eliane.

 As redações devem ser em formato de carta, escritas a mão, usando caneta esferográfica preta ou azul e conter no máximo 900 palavras. Segundo Eliane, não é só a premiação que importa e sim os conhecimentos que os estudantes irão adquirir.

“O aluno precisa ter contato com a leitura e escrita de diferentes textos que circulam na nossa vida diária e precisamos ir além dos muros da escola. Não é só a premiação que vale, mas, principalmente os conhecimentos que irão adquirir”, disse a professora.

 A gestora pedagógica do colégio, Rozmeri Binsfeld, destacou a participação da estudante no concurso. “Estamos muito felizes e orgulhosos, pois a Elen só tem 11 anos e fez uma redação brilhante. O concurso é uma forma de enriquecer, com temáticas variadas, os conhecimentos dos alunos, contextualizando o ensino e o currículo trabalhado na nossa escola”, finalizou Rozmeri.

 Além da carta sobre os caminhoneiros, a estudante também escreveu sobre os bombeiros e voluntários que auxiliaram no resgate das vítimas do rompimento da barragem Córrego do Feijão, em Brumadinho, Minas Gerais.

Os três primeiros colocados na fase estadual e as respectivas escolas recebem prêmios em dinheiro. O vencedor da fase nacional, além de troféu e R$ 5.000,00,

Publicado em Educação

 Uma iniciativa da Marinha Brasileira, em parceria com o Governo de Roraima, por meio da (PCRR) Polícia Civil, possibilitou a realização do Curso Especial para Tripulação de Embarcações de Estado no Serviço Público.

No total, 29 policiais estaduais, sendo 28 da PCRR e um policial militar, participam do curso que acontece na APICS (Academia de Polícia Integrada Coronel Santiago). O curso teve início nesta segunda-feira, dia 06, e encerra-se na sexta-feira, dia 11.

 De acordo com o diretor do DPE (Departamento de Polícia Especializada), Renê de Almeida, o curso está sendo coordenado pelo NUPEN (Núcleo de Pesquisa e Ensino) da Polícia Civil. Os instrutores da Marinha irão capacitar os agentes estaduais para tripular embarcações ou conduzir pequenas embarcações de até seis metros de comprimento.

 Os policiais vão receber instruções a respeito da legislação, termos náuticos e navegação, entre outros, necessários à atividade de navegação.

 Ao término do curso, os alunos receberão uma carteira específica, habilitando-os para condução de veículos marítimos oficiais. O curso tem duração de duas semanas com 40 horas, sendo 34 de aulas objetivas e 6 de aulas práticas

Publicado em Secom

 

Dados do CBMRR (Corpo de Bombeiros Militar de Roraima) apontam para uma grande incidência de acidentes de trânsito nos horários de maior pico na capital roraimense, coincidindo exatamente aos horários de entrada no trabalho ou na escola, horário de almoço, e término de expediente ao final do dia.

Em razão disso, a Corporação mantém alerta os seus militares do Resgate para atender, no menor tempo possível, situações envolvendo acidentes graves.

Entre meia-noite e 6 horas da manhã, nos meses de janeiro a abril, há um equilíbrio no número de ocorrências neste horário, porém, a partir das 7 horas da manhã, quando inicia o horário de maior movimentação no trânsito, o número de acidentes cresce consideravelmente.

Nos quatro primeiros meses do ano, fevereiro foi o mês com o maior número de acidentes, entre 7h e 7h59 da manhã, com registro de 15 ocorrências, de um total de 37 acidentes. Já no horário das 8 horas, ocorreram 14 acidentes de trânsito, em janeiro, e 15, no mês de abril, de um total de 44 ocorrências.

Dos horários levantados pela Corporação, entre 12h e 12h59, há a maior concentração de acidentes de trânsito na capital, total de 55. Janeiro teve 14, fevereiro 10, março 17, e abril 14 ocorrências. O registro de acidentes segue elevado às 13h e às 14h, com 43 e 39 respectivamente.

O final do dia também inspira preocupação dos bombeiros. Das 17 às 19 horas, há a maior concentração de ocorrências. Em janeiro, houve 14, em fevereiro, 5, em março, 10, e em abril 15 acidentes.

Às 17 horas, nos quatro primeiros meses do ano, foram atendidos 47 acidentes; às 18 horas, 44, e a partir das 19 horas, 49 acidentes. Nas horas seguintes, o número de ocorrências cai um pouco, porém ainda segue elevado até as 22 horas, com o quantitativo de 34, às 20 horas, 33, às 21 horas, e 35, às 22 horas.

MAIO AMARELO – Com atividades previstas até o dia 24 de maio, a Campanha Maio Amarelo 2019, com o tema “No Trânsito o Sentido é a Vida”, fomenta discussões e atitudes voltadas à necessidade urgente da redução do número de mortes no trânsito.

Como ocorreu em 2018, o MPRR (Ministério Público Estadual), por meio da Promotoria de Saúde assumiu compromisso de integrar os órgãos de trânsito e coordenar as ações que serão desenvolvidas durante a campanha, que consiste em palestras, rodas de conversas, blitze educativas e, até corridas esportivas, a fim de sensibilizar as pessoas a serem mais prudentes no trânsito, evitando acidentes.

Além do Detran (Departamento Estadual de Trânsito), a ação conta com as parcerias da PMRR (Polícia Militar de Roraima), Smtran (Superintendência Municipal de Trânsito), Guarda Civil Municipal, PRF (Polícia Rodoviária Federal) e das secretarias estaduais de Saúde e Educação, instituições de ensino superior públicas e particulares e empresas privadas.

Publicado em MANCHETES

O Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais), da PMRR (Polícia Militar de Roraima), comemora na próxima quinta-feira, dia 9, 11 anos de criação. Para celebrar a data, a Corporação inicia às 8 horas desta segunda-feira, 6, semana comemorativa com apresentação de duas palestras no auditório do MPE (Ministério Público Estadual).

A primeira será proferida pelo promotor do Tribunal do Júri, Diego Barroso, e a segunda, pelo comandante-geral da PMRR, coronel Antônio Elias Santana.

Para Elias Santana, é motivo de alegria comemorar os 11 anos de criação do Bope. Ele lembra que, em quatro destes 11 anos, ele foi o comandante da Unidade.

“É uma unidade extremamente identificada com o fazer polícia e, mais ainda, com o fazer polícia especializada, qualificada. Esperamos que nossa tropa “bopeana” renove o desejo e o espírito de servir e proteger nossa sociedade de modo qualificado”, disse.

HISTÓRICO - O Bope é a unidade de Policiamento Especializado da Polícia Militar de Roraima e integra o CPC (Comando de Policiamento da Capital). É composto pelos grupamentos do Canil, Força Tática, Choque e pelo Gate (Grupo de Ações Táticas Especiais).

Sua origem é da década de 1990, com a criação de um Canil Policial na sede do antigo 1º Batalhão de Polícia Militar. Em 1992, foi implantado o Gate.

Com a criação do Decreto Governamental 8.930-E, em 9 de maio de 2008, a então CIOE (Companhia Independente de Operações Especiais) foi transformada em Batalhão de Operações Policiais Especiais, mantendo a integridade de seus grupamentos originais.

As unidades especializadas desenvolvem atividades de combate a crimes de média e alta complexidade, em apoio ao policiamento ordinário nas áreas rurais e urbanas que compreendem a capital e interior do Estado.

Atualmente, o Batalhão é comandado pelo capitão Vilson Carlos Pereira Araújo. O subcomandante é o capitão Diego Souza.

“O Bope é a maior unidade especializada da Polícia Militar de Roraima e vem atuando, nesses 11 anos, no combate ao crime organizado de maneira geral, em ações de combate ao tráfico de entorpecentes e de armas de fogo, crimes violentos letais intencionais e, sem dúvida nenhuma, é considerado o escudo mais forte da sociedade roraimense, quando o assunto é segurança pública”, disse o comandante Araújo.

Companhia da Força Tática comemora 18 anos neste domingo

Um dos grupamentos do Bope, a Força Tática da PMRR completa, neste domingo, 5, 18 anos de sua criação. No ano em que a PMRR comemorava 26 anos de instituição, em homenagem, no dia 5 de maio de 2001, foi criada a Força Tática - FT 26 pelo Decreto nº 4.265-E.

PROGRAMAÇÃO

Segunda-feira, 6, Cerimonial de abertura da semana de comemoração (Palestra), às 8 horas, no auditório do Ministério Público;

Quarta-feira, 8, Desafio do aço (competição de tiro), às 8 horas, no estande de tiro do Cidade satélite;

Quinta-feira, 9, Competição de futebol, às 8 horas, na quadra de esportes do Quartel do Comando Geral da PM;

Domingo, 12, 1° Trail Run (Corrida Rústica), com largada, às 7 horas, do estacionamento do Garden Shopping;

Terça-feira, 14, Formatura militar geral do Bope, encerramento dos eventos, às 16 horas, em frente ao Batalhão.

Publicado em Segurança Pública

 

Roraima é um Estado propício para a cajucultura. O cerrado é a vegetação ideal para o plantio do fruto. Pensando em desenvolver esse potencial, a Seapa (Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento) trouxe um pesquisador da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) Agroindústria Tropical, para capacitar o corpo técnico local, a fim de que possa levar a tecnologia disponível para o agricultor familiar em Roraima.

O pesquisador da Embrapa, Gustavo Saavedra, afirmou que a cultura do caju apresenta altas perspectivas de crescimento no mundo. Ele destacou que a atividade está baseada na castanha. Por ano, são produzidas quatro milhões de toneladas e a perspectiva de crescimento é para oito milhões de toneladas ao ano até 2025.

“Essa perspectiva abre muito espaço para o Brasil se inserir na cajucultura global, não só nos Estados originalmente produtores, que ainda constam no IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), que são Rio Grande do Norte, Ceará e Piauí, mas também outros Estados se agregarem para produzir castanha, mas não só ela e também o caju e movimentar toda uma economia”, pontuou.

Saavedra afirmou ainda que Roraima tem potencial para essa cultura, pois o cerrado se adequa muito ao cajueiro. “Aqui também existem cajueirais antigos, introduzidos por sementes há 30 anos. Eles ainda estão aí, não são produtivos, mas as plantas sobrevivem, então não é uma cultura que demanda muito, ela é bem adaptada ao clima”, disse.

O diretor do Dater (Departamento de Assistência Técnica e Extensão Rural) acredita que a capacitação é fundamental para o aperfeiçoamento dos conhecimentos do corpo técnico. “A capacitação sobre a cultura do caju é importante, pois estamos começando a trabalhar com a cultura em regiões como o Bonfim e o entorno de Boa Vista. Com a capacitação a gente pode ver os produtores que têm mais aptidão, ver as regiões que realmente têm aptidão para que possamos desenvolver a cultura em nosso Estado”, declarou.

A secretária-adjunta da Seapa, Luiza Maura, destacou a importância da capacitação. “É importante que comecemos e consolidemos a criação do polo cajueiro em Roraima, uma vez que temos a potencialidade dessa fruta tão latente. O incentivo à cajucultura em escala comercial pode nos destacar como referência, assim como tantas cidades no Nordeste”, disse.

Ela frisou ainda que a parceria entre Seapa e Embrapa tem sido positiva. “Temos parcerias com a Embrapa em outras áreas também. Certamente esse processo fortalecerá a agricultura familiar, alavancando o desenvolvimento agrícola do nosso Estado”, pontuou.

Publicado em Secom

 

O Governo do Estado, por meio da Sejuc (Secretaria de Justiça e Cidadania), fez na manhã deste domingo, 5, na APICS (Academia de Polícia Integrada Coronel Santiago), homenagem com realização de corrida de quatro quilômetros e entrega de brevês a alguns agentes da FTIP (Força Tarefa de Intervenção Penitenciária), que deixam a missão neste mês de maio, retornam para seus estados de origem e serão substituídos por outros servidores.

Conforme o coordenador Institucional da Força Tarefa, Maycon Rottava, as atividades são uma maneira de agradecer e prestigiar os agentes que foram designados por seus Estados para prestação de serviço em Roraima.

“Esta cerimônia é para unir cada vez mais o sistema penitenciário e a Força Tarefa, além de mostrar o comprometimento que todos têm com o Estado, com o viés de realmente cumprir a Lei de Execução Penal; humanizar a pena para a população carcerária e melhorar a qualidade de vida do servidor”, ressaltou.

Em discurso para os agentes, o secretário de Justiça e Cidadania, André Fernandes, classificou o grupo como uma família. “A Força Tarefa é uma família e perdura por muito tempo, por isso é importante a valorização desse pessoal que está indo embora. É o reconhecimento dessas pessoas que saíram de suas casas, vieram de longe, estão aqui há meses longe de suas famílias. Eles devem perceber que são valorizados pelo esforço que estão fazendo”, afirmou.

Presente na cerimônia, o secretário de Segurança Pública, Márcio Amorim, destacou o trabalho realizado e fez um agradecimento aos agentes. “Vocês vieram para manter a ordem, no momento em que o Estado passava por uma das piores crises no sistema prisional. Voltem para suas casas, levando o sentimento de dever cumprido e a gratidão deste povo. Roraima sempre será a casa de vocês”, afirmou em breve discurso.

Entre os que deixam a Força Tarefa nos próximos dias, Felipe Campos, do Estado de Alagoas, frisou a relevância de compor a Delegação de Agentes Penitenciários de oito unidades da Federação designados para a missão de intervenção no sistema prisional de Roraima.

“Participar da Força Tarefa é uma experiência única. Houve integração entre unidades federativas irmãs; tivemos acesso ao know how do Departamento Penitenciário Nacional e isso vai contribuir muito para atividades rotineiras em nossos Estados, quando reassumirmos nossas funções”, disse.

Com dez anos de experiência no sistema prisional, o baiano Santiago Batista também volta para seu Estado nos próximos dias e destacou a importância das atividades desenvolvidas em Roraima. “A experiência de fazer parte da Força Tarefa, juntar forças, somar e trabalhar, é inenarrável. Representar meu Estado e servir ao País foi um feito muito importante pra mim”, frisou.

 

Secretário de Justiça e Cidadania ressalta trabalho desenvolvido e melhorias alcançadas no sistema prisional

De acordo com André Fernandes, desde o dia 26 de novembro de 2018, quando a Força Tarefa de Intervenção Penitenciaria entrou na Pamc (Penitenciária Agrícola do Monte Cristo), houve avanças importantes para o sistema carcerário e aumento da sensação de segurança para a sociedade.

“Não foi registrada mais nenhuma fuga ou morte de interno na unidade. Isso demonstra que o trabalho sério, sendo feito com condições, principalmente, com estrutura adequada, funciona. A sensação de segurança nas ruas também já mudou bastante; houve redução dos homicídios”, ressaltou.

Ele também enfatizou a necessidade de investir em ações para ressocialização da população carcerária. “Costumo dizer que cobramos todas as obrigações, mas precisamos fornecer a eles todos os direitos que têm. Trazendo para dentro das unidades prisionais: educação, saúde, segurança interna, por exemplo, facilitaremos esse processo”, afirmou.

O secretário de Justiça e Cidadania mencionou ainda a campanha de vacinação contra a gripe, que começou pela Cadeia Pública Feminina, na sexta-feira, 3, e será realizada em todas as unidades prisionais; e a retomada das visitas na Pamc. Segundo ele, as visitações serão reiniciadas na segunda-feira, 6, na Penitenciária. Será permitida a entrada de 80 visitantes por dia, 40 pela manhã e outros 40 à tarde.

Publicado em Segurança Pública

 

Com o tema “No Trânsito o Sentido é a Vida”, a Campanha Maio Amarelo 2019, em Roraima, segue com atividades até o dia 24 de maio. Neste fim de semana, haverá Blitz Educativa, às 17 horas deste sábado, 4, na Praça do Centro Cívico; e a I Corrida Detran-RR, com largada às 7h30 desse domingo, 5, em frente à sede do Departamento Estadual de Trânsito.

O tema deste ano propõe estimular condutores, pedestres e passageiros a optarem por um trânsito mais seguro. “A imprudência e a falta de atenção são as principais causas de acidentes no perímetro urbano. Os condutores não só falam ao celular como também teclam. Essa prática tem sido frequente entre condutores de automóveis e também entre os motociclistas”, destacou o diretor-presidente do Detran-RR, Igo Brasil.

Dados dos Comandos de Policiamento da Capital e do Interior, da PMRR (Polícia Militar de Roraima), mostram que foram registrados 3.800 acidentes de trânsito em 2017. Em 2018, houve uma redução de 27,6%,com um total de 2.752. Este ano, no mês de janeiro, também teve uma redução de 38,9%, comparado a janeiro de 2018.

No ano passado, os veículos que mais se envolveram em acidentes foram os automóveis, com 3.244; motocicletas, com 1.905; e caminhonetes, com 960. Em todo o ano de 2018, houve 136 mortes em acidentes de trânsito em Roraima. Comparando o primeiro mês do ano passado e deste ano, houve redução de 9,5% do número de acidentes fatais.

Assim como no ano passado, o MPRR (Ministério Público Estadual), por meio da Promotoria de Saúde, assumiu o compromisso de integrar os órgãos de trânsito e coordenar as ações que serão desenvolvidas durante a campanha. A ação conta, este ano, com a parceria da Polícia Militar, Smtran (Superintendência Municipal de Trânsito), Guarda Civil Municipal e PRF (Polícia Rodoviária Federal), além das secretarias estaduais de Saúde e Educação, instituições de ensino superior, públicas e particulares, e empresas privadas.

A Campanha Maio Amarelo consiste em blitze educativas, palestras, rodas de conversas e até corridas esportivas, com a finalidade de sensibilizar as pessoas sobre a atitude de prudência no trânsito, para garantir segurança e evitar acidentes.

Conforme a programação, que está sujeita a mudanças, as ações prosseguem até o dia 24 de maio.


CONFIRA DATAS, ATIVIDADES E LOCAIS:


Segunda-feira, 6/5

Às 9h, palestra na Escola Ayrton Senna

Terça-feira, 7/5

Às 8h30 e às 14h30, palestra e teatro – na Escola Martinha Thury

Quinta-feira, 9/5

Às 16h, palestra - na Escola de Aplicação
Às 18h blitz educativa – na Escola de Aplicação

Sexta-feira, 10/5

Às 15h, palestra - na Escola Severino Cavalcante
Às 18h, blitz educativa - na Escola Severino Cavalcante

Segunda-feira, 20/5

Às 9h, palestra e teatro – no Sesi (Serviço Social da Indústria)

Terça-feira, 21/5

Às 9h, palestra e teatro – no Sesi

Quarta-feira, 22/5

Às 9h, palestra – na Escola Municipal Vila Jardim

Quinta-feira, 23/5

Às 16h30, palestra para alunos e servidores – Faculdade Atual Estácio de Sá
Às 18h30, blitz educativa – na Faculdade Estácio de Sá

Sexta-feira, 24/5

Às 08h30, teatro – na Defensoria Pública

Publicado em Segurança Pública

Por conta das manifestações que ocorreram nessa terça-feira, 30, na Venezuela, a PMRR (Policia Militar de Roraima) está com duas equipes na fronteira, fazendo patrulhando no entorno do município de Pacaraima.

O comandante-geral da Polícia Militar, coronel Elias Santana, ressaltou a intensificação do êxodo, difícil de ser contido. Na tarde de terça-feira, 30, houve um fluxo incomum em Pacaraima. Aproximadamente, 850 venezuelanos ingressaram no Brasil e passaram pro triagem pela Polícia Federal.

“Estávamos apreensivos. Então, reforçamos o policiamento no perímetro urbano de Pacaraima, já que a questão fronteiriça não afeta a PM, mas nos precavemos para manter as pessoas informadas”. Santana ressaltou que havia expectativa de que o movimento pudesse surgir com mais intensidade, nesta quarta, 1º de maio, historicamente, um dia de manifestações na Venezuela.

“Fizemos contato com o pessoal em Pacaraima e pedimos informações sobre a região fronteiriça. O dia está tranquilo e não há praticamente movimento de pessoas ingressando no Brasil. Isso serve para tranquilizar principalmente no âmbito da fronteira urbana, onde tudo está dentro da normalidade”, explicou o comandante.

“Estamos atentos, temos uma companhia em Pacaraima e, além das ações urbanas de policiamento ostensivo, também monitoramos os movimentos de acesso de pessoas pela fronteira, sobretudo, naquelas chamadas rotas não regulares”, reforçou Elias Santana.

O comandante destacou ainda que, mesmo com o feriado do Dia do Trabalho, a PM mantém reforço em Pacaraima, a fim de cumprir a contento o policiamento ostensivo, monitorando também a situação da entrada de pessoas no Brasil por rotas alternativas.

Publicado em Segurança Pública

Servidores da Seed (Secretaria de Educação e Desporto) participaram nesta terça-feira, 30, de uma Web Conferência para discussão do I Plano Nacional de Educação Escolar Indígena (PNEEI). O evento ocorreu no período da tarde no auditório da Secretaria.

A Web Conferência foi coordenada pela Secretaria de Modalidades Especializadas de Educação do MEC (Ministério da Educação). Participaram do evento representantes de vários Estados como Roraima, Ceará, São Paulo, Amazonas e Minas Gerais.

De Roraima, participaram a secretária de Educação e Desporto, Leila Perussolo, secretário Adjunto de Educação, Semaias Alexandre, técnicos da DIEI (Divisão de Educação Indígena), gestores escolares indígenas e servidores dos centros regionais.

"É importante discutirmos a Educação Escolar Indígena principalmente em Roraima, Estado com grande diversidade indígena. Respeitar as especificidades de cada povo é essencial. E iremos trabalhar para garantir uma educação de qualidade também para os povos indígenas de nosso Estado", disse a secretária de Educação e Desporto, Leila Perussolo.

Segundo a chefe do DIEI, Gleide Almeida, é de suma importância debater esse plano, pois em Roraima predomina a cultura indígena e esse primeiro momento foi para esclarecermos dúvidas, informações que vão servir como base para o próximo encontro.

Entre os assuntos abordados na Web Conferência estão os sete eixos do PNEEI que são: “Gestão da Educação Escolar Indígena e Regulamentação das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Escolar Indígena na Educação Básica”, “Territórios Etnoeducacionais”, “Infraestrutura”.

Além de “Práticas pedagógicas e material didático”, “Valorização e formação de professores indígenas”, “Oferta da Educação Escolar Indígena na Educação Básica e no Ensino Superior” e “Sistema de Avaliação da Educação Escolar Indígena”.

O PNEEI vem como apoio para a implementação das deliberações realizadas na II Conferência Nacional de Educação Escolar Indígena, realizada em março de 2018.

RORAIMA – Em Roraima, diversas ações vêm sendo realizadas em busca do fortalecimento da Educação Escolar Indígena. Entre elas, um processo seletivo para contratação de professores indígenas. Foram ofertadas 1463 vagas e os salários variam de R$ 1.068 a R$ 3.782 reais. O resultado preliminar será publicado no dia 06 de maio.

O resultado final deve ser divulgado no dia 13 de maio, data também prevista para a convocação dos classificados no certame. Já a apresentação para assinatura de contrato e lotação, ocorrerá no período de 15 a 17 de maio. Além disso, no segundo semestre, a Seed também irá trabalhar para a realização de concurso público específico para professores indígenas.

Em busca de atender a demanda de Educação das diferentes comunidades indígenas, o Ceforr (Centro Estadual de Formação dos Profissionais da Educação de Roraima) oferece quatro cursos de Magistério Indígena. O maior deles é o Tamî’kan (palavra da língua macuxi que quer dizer “sete estrelas”).

O curso Tamî’kan é dividido em quatro módulos: aproximadamente 45 dias no primeiro semestre e outros 45 dias no segundo, durante dois anos. Ao longo desse tempo, os professores se instalam no Ceforr. Em cada etapa, são oferecidas seis disciplinas, cada uma com 60 horas/aula.

Em todas as atividades, as decisões são tomadas em conjunto entre todos. O diálogo é a base do trabalho e o resultado é que as turmas têm grande protagonismo. As aulas mesclam o Português com a Língua Materna dos povos presentes.

Todo esse trabalho é reconhecido pelo Conselho Estadual de Educação, pelo MEC (Ministério da Educação) e por vários estados do País, que sempre tiveram em Roraima a principal referência quando se trata de Educação Escolar Indígena, em especial políticas e práticas de formação de professores.

O Estado de Roraima foi pioneiro em inovações na Educação Escolar Indígena no Brasil. Em 1998, Roraima recebeu o prêmio nacional “Professor Paulo Freire de Educação”, pelo projeto de Formação Docente do Magistério Parcelado Indígena. Somente no ano de 2001 os estados do Amazonas, Amapá, Bahia, Paraná e Tocantins iniciaram o curso Magistério Indígena.

De acordo com dados do Censo Escolar 2018, em Roraima existem 260 escolas indígenas e 16.076 alunos matriculados.

Publicado em Educação

A Sesau (Secretaria de Saúde), em parceria com o MS (Ministério da Saúde), o Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde) e o Hospital Israelita Albert Einstein, realiza o projeto de implantação da metodologia da planificação da atenção à saúde em Roraima.

Para o secretário-adjunto de Saúde, Eduardo José Cunha Morais, o Planifica SUS (Sistema Único de Saúde), planificação da atenção à saúde, traz uma nova perspectiva para o Estado, com foco na administração pública, no sentido de planejar e buscar uma identificação das falhas, para a correção dos rumos da saúde.

“Precisamos imediatamente renovar nossas energias, buscando parcerias, para que possamos efetivamente ter um resultado melhor. Sabemos das dificuldades do Estado e vamos trabalhar com quem já tem essa experiência, para que tenhamos uma saúde melhor para a população em geral”, explicou o secretário.

Ele destaca a iniciativa do Governo de Roraima, da Sesau e das prefeituras, com suas respectivas secretarias. “Todos irmanados, certamente teremos um excelente resultado. É um planejamento longo que vai até meados de 2020. Tenho certeza de que, com todos focados nesse objetivo, teremos uma saúde melhor”, disse.

O coordenador de Atenção Primária do Hospital Albert Einstein, Márcio Paresque, ressaltou que veio ao Estado, a fim de oferecer suporte técnico. “Com a implantação da planificação, a gente vem com o propósito de dar apoio técnico, tanto à Secretaria Estadual quanto às secretarias municipais, para o fortalecimento do SUS e para garantir essa integração dos dois pontos da rede: atenção primária e especializada”, frisou.

Conforme Márcio, as experiências exitosas se dão quando há uma parceria forte. “As parcerias entre os profissionais da assistência, que estão operacionalizando os serviços, com a gestão municipal e a gestão estadual, formam um casamento fundamental para o sucesso do projeto”, disse.

Para o diretor de Planejamento da Sesau, Nadson Sena, a oportunidade que o Estado está tendo de executar esse projeto envolvendo vários técnicos das áreas da atenção básica é muito importante.

“É um momento ímpar, porque traz para dentro do SUS a união de ações, com o objetivo comum de oferecer saúde à população. É um momento de grande desafio que vai trazer melhorias em curto, médio e longo prazo, tendo em vista o que realmente a população precisa para ter uma saúde resolutiva”, disse.

Quem também participou da reunião foi a consultora da Sesau, Marisa Pedrosa. Para ela, o projeto é de imensa relevância. “Receber esse projeto em Roraima é extremamente importante para fazer um diagnóstico das necessidades e reorganizar o setor saúde”, destacou.

A Sesau aderiu a seis projetos de fortalecimento da gestão estadual, com o Ministério da Saúde e o Conass. “Hoje, recebemos aqui o representante do Hospital Albert Einstein, que vai estar conosco por um ano e oito meses, nos orientando, nos capacitando para organizar a atenção especializada, a partir dos macroprocessos da Atenção Básica”, explicou Marisa Pedrosa.

Ela ressaltou ainda que o sucesso do projeto depende do envolvimento de todos os atores que dele participaram. “Hoje, temos uma equipe multissetorial. A Sesau, as Secretarias Municipais, o Conselho Estadual e os municipais de Saúde, instituições de ensino, unidades hospitalares, Coordenação de Atenção Básica e Coordenações de Atenção Especializada vão nos possibilitar esse diálogo; essa construção coletiva no período de um ano e oito meses”, finalizou.

Publicado em Educação