Cercado por belezas naturais e formado por diversas culturas, Roraima está localizado ao extremo Norte do Brasil e dispõe de espaços favoráveis a uma das atividades econômicas que mais crescem e contribui para o desenvolvimento do Estado, o turismo. Ele é responsável pelo desenvolvimento dos municípios e geração de empregos formais.

As atividades diretamente ligadas ao turismo em Roraima criaram novos postos de trabalho com carteira assinada em janeiro de 2019, com o crescimento de 148%, segundo análise feita pela Fecomércio-RR (Federação do Comércio do Estado de Roraima) com base no estudo Empregabilidade no Turismo, produzido pela CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo).

Nesta quarta-feira, 08, é celebrado o Dia nacional do Turismo e, para lembrar a data, o Detur (Departamento de Turismo) da Seplan (Secretaria Estadual de Planejamento de Desenvolvimento), reuniu estudantes, gestores, agentes, prestadores de serviços e secretários municipais de turismo, chamando a atenção para a realização do setor de forma responsável e consciente.

Dentre as atividades ofertadas o público, teve a palestra "Monitoramento do turismo em Roraima", ministrada por Bruno Muniz de Brito, diretor do Detur, que fez alusão direta ao tema da programação: “Ser turista é ser cidadão”.

“Nosso objetivo, em especial pela passagem da data em que comemoramos o Dia Nacional do Turismo, é sensibilizar a comunidade e as pessoas que visitam os atrativos turísticos do nosso Estado a entenderem a responsabilidade que é visitar esses espaços de maneira responsável, baseado nos princípios que estabelecem equilíbrio social e a justiça ambiental, tudo respaldado dentro dessas diretrizes que são bases lares para o desenvolvimento do setor. A cidadania começa pelo cidadão e é esse cidadão que visita os pontos turísticos que tem que zelar pelo respeito e pela preservação da natureza que nós temos aqui", destacou Bruno.

Além da palestra, o diretor também fez uma breve apresentação a respeito do calendário de eventos de Roraima e o mapa do turismo brasileiro.

A professora Luciana Vitório, que também é coordenadora do curso de Turismo do IFRR (Instituto Federal de Roraima), esteve presente na palestra e classificou o momento como muito proveitoso para a classe turística.

“Todos os parceiros que fazem a roda do turismo girar precisam estar informados do que está acontecendo, dos planejamentos, das ações que estão pensando para o futuro. O turismo tem suas facetas e, para que ele aconteça, precisa dessas parcerias estarem unidas. Precisam realmente de serem parceiros e não de coisas impostas, o Governo impor uma coisa e o mercado impor outra. Acho que isso tem que ser conversado e dialogado de uma forma plural, observando as características que cada um tem, as atuações e o papel de cada um. Então, esse momento, sem dúvida, foi de fundamental importância”, destacou a coordenadora.

EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA - Como parte da programação, o Palácio da Cultura Nenê Macaggi foi palco para o lançamento da exposição fotográfica "Roraima, aves endêmicas e migratórias", acervo de Jorge Pavani e Marcelo Camacho. Pavani explicou que a exposição foi criada em alusão ao turismo de observação de aves.

“O Brasil é um país rico em aves. Ele tem 20% da população de aves do mundo e Roraima, desses 20% que tem no Brasil, 50% está aqui em nosso Estado. Nós fomos convidados a participar do Avistar, que é um grande evento de aves que acontece no Brasil agora no final do mês, e nós iremos representar Roraima. O lançamento hoje aqui no Palácio da Cultura, além de ser uma forma de homenagear o Dia do Turismo, é também um momento em que gostaríamos de apresentar as aves para a população de Roraima, para que elas se eduquem e cuidem também do nosso meio ambiente”, frisou.

A exposição fotográfica ficará aberta à visitação no hall de entrada do Palácio da Cultura, que está localizado no Centro de Boa Vista, em horário comercial, até o final de maio, em homenagem ao mês do Turismo.

Paralelo ao lançamento da exposição, o Detur também ofereceu até o final da tarde desta quarta-feira ações de conscientização sobre o Cadastur (Cadastro dos Prestadores de Serviços Turísticos) e sua importância para a prática do turismo regular.

O Cadastur é um sistema de cadastros online para pessoas físicas e jurídicas que atuam o mercado de turismo. O programa foi desenvolvido pelo Ministério do Turismo, em parceria com órgãos regulamentadores, e passou a ser obrigatório a partir da Lei do Turismo.

Publicado em Secom

A manhã desta quarta-feira, 8, foi de disputa entre os policiais da Força Tática de Roraima. O Torneio do Aço faz parte das comemorações do aniversário da Força Tática e do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais).

Os PMs foram divididos em oito equipes, e tinham que acertar os alvos mais rápido  que a equipe adversária. O time derrotado era eliminado da competição. Na primeira rodada cada policial tinha seis tiros para acertar cinco alvos, quatro brancos e um vermelho.

Na segunda rodada os alvos foram para mais longe, os atiradores tinham oito balas, mas tinham que fazer duas recargas na pistola. Na grande final eram dez tiros, fazendo três recargas na pistola para acertar os cinco alvos a 15 metros de distância.

Os campeões ganharam troféu e o prestígio de ser campeões do Torneio do Aço 2019. Para o comandante do Bope, capitão Vilson Araújo, além de ser um momento de confraternização o torneio é a oportunidade de avaliar as técnicas de tiro.

“Esse torneio é muito tradicional e a chance que nós temos de avaliar a técnica de tiro, corrigir alguns erros. E o mais importante é a comemoração do aniversário da Força Tática e do Bope tirando os policiais da rotina do trabalho fazendo essa confraternização”, disse.

A programação especial de aniversário segue no dia 9, com a competição de futebol, às 8 horas, na quadra de esportes do Quartel do Comando Geral da PM.

No dia 10, ocorre a festa de comemoração dos 11 anos da Força Tática e no dia 12, o 1° Trail Run (Corrida Rústica), com largada, às 7 horas, do estacionamento do Garden Shopping.

A programação encerra no dia 17, com a formatura militar geral do BOPE, às 08 horas, em frente ao Batalhão.

Publicado em Segurança Pública

Os estudantes da rede pública estadual de ensino poderão participar do I Concurso de Redação promovido pela Defensoria Pública do Estado (DPE), com o tema “A Defensoria Pública em defesa dos direitos das mulheres”. As inscrições estão abertas até o dia 17 de maio e podem ser realizadas pelo site www.defensoria.rr.def.br.

Poderão participar os alunos do Ensino Fundamental, Ensino Médio e EJA (Educação de Jovens e Adultos) que estejam devidamente matriculados em escolas da rede estadual ou de ensino técnico estadual.

O objetivo do concurso é despertar na comunidade escolar o interesse por temas relacionados à sensibilização sobre os direitos humanos, da cidadania e do ordenamento jurídico. Além de incentivar a reflexão e o debate sobre o tema escolhido.

“O concurso de redação leva o aluno a pensar sobre a coerência, coesão e concordâncias da Língua Portuguesa para desenvolver um bom texto. Além disso, faz ele refletir sobre o tema que está em evidência, ou seja, os direitos das mulheres, muito debatido  em discussões no Estado e também em todo o País”, ressaltou a diretora do Depe (Departamento de Desenvolvimento de Políticas Educacionais), Maria Aparecida de Oliveira.

As redações devem ser devidamente identificadas, inéditas e originais, ter no mínimo 20 e no máximo 30 linhas. Serão desclassificadas pela Comissão Julgadora, as redações que não seguirem os requisitos do edital.

Os trabalhos concorrerão em três categorias: I-Ensino Fundamental Regular e EJA). Categoria II – Ensino Médio (Regular, Técnico e EJA), e III – Escola (Regular, Técnico e EJA). A terceira categoria irá premiar escolas que desenvolvem atividades de sensibilização e mobilização junto à comunidade escolar.

PREMIAÇÃO - Os alunos que conquistarem o primeiro lugar em cada categoria serão premiados com notebook e placa de Honra ao Mérito; Os que conquistarem o segundo lugar e terceiro lugar receberão um Leitor de Livros Digitais. Os professores que orientarem as redações serão agraciados com um certificado de Honra ao Mérito e troféu. Além disso, os gestores das escolas participantes receberão um certificado de Honra ao Mérito pelo apoio administrativo prestado.

As três escolas que melhor realizarem o Plano de Mobilização, por meio de incentivo à participação da comunidade escolar na discussão do tema proposto no concurso serão premiadas com quantias em dinheiro.

Serão R$ 3 mil para a primeira colocada, R$ 1.500 para a segunda e R$ 1 mil para a terceira. Os valores da premiação devem ser aplicados em melhorias nas escolas com a devida prestação de contas a qual deverá ser encaminhada à Defensoria Pública do Estado.

Publicado em Educação

A Seed (Secretaria de Educação e Desporto) divulgou nesta terça-feira (7) o resultado preliminar do processo seletivo para contratação e formação de cadastro reserva de professor indígena substituto. O resultado está publicado no DOE (Diário Oficial do Estado) e também afixado nos murais da Secretaria. O certame contou com 2.548 inscritos.

Um novo cronograma de atividades do processo seletivo também foi divulgado. Agora, o prazo para interposição de recursos é dia 8 de maio. Dia 10 de maio será divulgado o resultado na análise dos recursos e no dia 13 de maio, o resultado final.

Já a apresentação dos classificados para assinatura do contrato e lotação será no período de 14 a 17 de maio e também nos dias 20 e 21 de maio, na UNIVIRR (Universidade Virtual de Roraima), localizada na Avenida Princesa Isabel, n° 3524, bairro Tancredo Neves.

Foram ofertadas 1.463 vagas, sendo 1.123 para professor da Educação Básica, com atuação nas disciplinas específicas das áreas de conhecimento regulares e 340 vagas para professores de Língua Indígena.

O certame disponibilizou vagas para cargos de nível fundamental, médio e superior. O contrato terá duração de apenas um ano, sendo improrrogável. Os professores contratados por meio do seletivo atuarão nas escolas estaduais indígenas localizadas nos municípios do Interior e Boa Vista (Área Rural).

Atualmente, o quadro efetivo conta com 411 professores indígenas. Segundo dados do Censo Escolar, em todo o Estado, são 260 escolas indígenas e 16.076 estudantes matriculados.

SALÁRIO - O valor da remuneração varia conforme a escolaridade e jornada de trabalho. No caso da contratação para professor de disciplinas específicas, com exigência de Nível Superior/Licenciatura ou Nível Médio/Magistério, o salário é de R$ 2.317,90 na opção de jornada de trabalho de 25 horas, e R$ 3.782,94 para jornada de 30 horas semanais. 

Para opção de Nível Médio com jornada de 25 horas, a remuneração é de R$ 1.669,09 enquanto para jornada de 30 horas é de R$ 3.004,80. O salário para professor de Língua Indígena também varia conforme a formação do candidato.

Para Licenciatura Completa com carga horária de trabalho de 25 horas, o valor é de R$ 2.317,90, e R$ 3.782,94 para período de 30 horas. Para Licenciatura (cursando) com jornada de 25 horas a remuneração é de R$ 1.669,09 e R$ 3.004,80 para opção de 30 horas.

Magistério Completo o salário é R$ 1.669,09 (25 horas) e R$ 3.004,80 (30 horas). Magistério (cursando): R$ 1.483,45 para 25 horas e R$ 1.780,00 para jornada de 30 horas. Nível Médio: R$ 1.669,09 (25 horas) e R$ 2.202,90 (30 horas), e Nível Fundamental: R$ 1.068,22 (25 horas) e R$ 1.281,00 (30 horas)

Publicado em Educação

O trabalho de inspeção e acompanhamento do abate de aves em Roraima, feito pela Aderr (Agência de Defesa Agropecuária de Roraima), está servindo como base de treinamento para técnicos da Agência de Defesa do Amazonas (ADAF). Eles vieram obter informações dos processos técnicos e práticos para reforçar o setor de frangos de corte no Estado vizinho.

Quem está ministrando o treinamento é o médico veterinário da Aderr, José Kléber, que explicou cada passo da etapa do abate para se obter um produto de qualidade, atendendo toda legislação e garantindo para a sociedade segurança alimentar. Também destacou os problemas que decorrem do abate clandestino, que muitos danos podem trazer para a saúde da população.

Foram trabalhados temas como: recepção das aves, pendura, insensibilização, sangria, escaldagem, depenagem, evisceração, resfriamento, gotejamento e embalagem do produto final, pronto para ir aos supermercados.

O médico veterinário da ADAF, Carlos Vasconcelos, ressaltou a importância do treinamento, salientando que em Manaus a produção de aves de corte está aumentando, e que já estão sendo instalados 10 abatedouros no Amazonas.

“É um treinamento de grande importância para nós. Vamos levar o aprimoramento de técnicas de inspeção ante e post-mortem. Na oportunidade, também vimos o quanto é fundamental o combate ao abate clandestino para termos um produto de qualidade”.

Ante e post-mortem

Nos abatedouros frigoríficos existem dois tipos de inspeção sanitária: ante-mortem e post-mortem, palavras em latim que falam da segurança dos alimentos. Ante-mortem é aquela realizada com o frango ainda vivo e post-mortem refere-se àquela das carcaças e vísceras dos animais.

Todo esse processo que envolve a inspeção do abate de frangos em Roraima, feito diariamente pelo médico veterinário da Aderr, José Kléber, é realizado na Granja Santa Izabel, localizada na BR-174, no Monte Cristo. Este abatedouro frigorífico é um empreendimento familiar. Pais e filhos operacionalizam todo o trabalho de produção.

Cumprindo o que determina a legislação, segundo a qual todo produto de origem animal deve ser inspecionado, os proprietários do abatedouro receberam com alegria os técnicos da ADAF, mostrando como eles trabalham para oferecer para população um produto de qualidade.

O Dr. José Kléber salientou o aspecto social do empreendimento que mantém a família na sua propriedade, onde eles têm o abatedouro, gerando emprego e renda. Sobre o aspecto da saúde pública, ele destacou que é indiscutível. “A Ader é quem garante a qualidade dos produtos para evitar que o consumidor se prejudique. A higiene é importante para a segurança alimentar da população.”

Publicado em Secom

Para ampliar os conhecimentos dos gêneros literários da Olimpíada de Língua Portuguesa (OLP), a Seed (Secretaria de Educação e Desporto) por meio do CEFORR (Centro Estadual de Formação dos Profissionais da Educação de Roraima) realiza nesta quarta-feira, 8, uma oficina de formação das categorias da OLP para professores.

O evento será no auditório da Escola Estadual Ana Libória, das 18h30 às 22h. A programação segue até junho. Os interessados poderão realizar as inscrições no local da oficina.

O tema da Olimpíada de Língua Portuguesa esse ano é “O Lugar Onde Vivo”. Em função da cultura indígena fortemente presente em nosso Estado, o espaço da oficina receberá uma decoração temática fruto de uma parceria com a Secretaria do Índio de Roraima/Departamento de Artesanato. 

Entre os conteúdos apresentados, estão os gêneros textuais que se assemelham às categorias exigidas na Olimpíada, também previstos no ensino da Língua Portuguesa, além da identificação dos passos da sequência didática para aplicá-las nas aulas e conhecer as etapas do Relato da Prática.

“Essa é uma forma de compreender os processos das sequências didáticas referentes às diferentes categorias visando orientar os alunos a produzir textos nos gêneros estudados”, explicou a diretora do DEPE (Departamento de Desenvolvimento de Políticas Educacionais) Maria Aparecida de Oliveira.

As oficinas serão divididas em artigo de opinião, crônicas, documentário e memórias, com carga horária de 40h as quais serão distribuídas em 32h de oficina presencial para cada gênero textual, sendo 8 encontros de 4h. E mais 8h de atividades extraclasse com aplicação de uma sequencia didática em sala de aula sobre o gênero estudado.

“É importante que todos os professores participem, pois beneficia o docente e o aluno. Além de ampliar a rede de conhecimento no momento das aulas”, finalizou Maria Aparecida.

INSCRIÇÕES ABERTAS - Está é a 6° edição da Olimpíada de Língua Portuguesa que segue com as inscrições prorrogadas até 13 de maio através do portal www.escrevendoofuturo.org.br ou pela Central de Atendimento 0800.771.9310.

A Olimpíada de Língua Portuguesa é uma iniciativa do Ministério da Educação e da Fundação Itaú Social, com a coordenação técnica do Cenpec (Centro de estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária).

É um concurso de produção de textos para alunos de escolas públicas de todo o País. O tema das produções é “O lugar onde vivo”, que propicia aos alunos estreitar vínculos com a comunidade e aprofundar o conhecimento sobre a realidade local, contribuindo para o desenvolvimento de sua cidadania.

Publicado em Educação

Em Parceria com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), o Corpo de Bombeiros Militar de Roraima está recebendo dois militares do Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas para implantar um sistema informatizado para facilitar e melhorar o atendimento prestado à população pela Diretoria de Prevenção e Serviços Técnicos (DPST).

Com o novo sistema, cedido gratuitamente pelo Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas, os processos de solicitação de análise de projetos e vistorias em edificações serão informatizadas, melhorando os procedimentos internos da DPST e desburocratizando os serviços para a população de Roraima.

A partir daí, todas as emissões de documentos (Autos de Vistorias, Relatórios de análise de projetos, etc) serão digitais e sem a necessidade de impressão por parte da DPST.

ECONOMICIDADE - Com a cessão gratuita do sistema, a partir da parceria com o Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas, o Governo de Roraima e o CBMRR estão economizando mais de R$ 2 milhões, tanto para a aquisição do software quanto para a compra de insumos necessários atualmente para a prestação dos serviços.

O PAA (Programa de Aquisição de Alimentos) da Seapa (Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento) recebeu de agricultores familiares da região do PA (Projeto de Assentamento) Nova Amazônia, um pouco mais de 12 toneladas de melancia. 

A coordenadora do Programa, Paula Silva, afirmou que as frutas foram divididas em duas entregas. “Uma parte, seis toneladas, foram para a Diocese de Roraima. Outras 6,5 toneladas foram distribuídas pela Seed [Secretaria de Educação e Desporto] nas escolas da rede pública estadual de ensino”, disse.

Receberam melancias as escolas Wanda David Aguiar, Conceição Costa e Silva, Tancredo Neves, Caranã, Diva Lima, Hélio Campos, Mario David Andreazza, Delry Vieira, Ferreira de Souza e Ulysses Guimarães. A Diocese recebe produtos do PAA por ser uma das instituições vinculadas ao Programa por realizar trabalho filantrópico.

O agricultor Laudelino Peruzzo, que trabalha com as cultura de manga, melancia, mamão, macaxeira, abóbora, entre outros, na vicinal 3 do PA Nova Amazônia, foi responsável pelo fornecimento de 6 toneladas de melancia. Ele trabalha como PAA há mais de 10 anos.

“Forneço para o PAA da Conab [Companhia Nacional de Abastecimento] há um bom tempo, para o do Governo do Estado forneço há três anos. Sou agricultor desde 2003 e desde então o PAA tem sido a melhor opção quando se trata de lucro.

O atravessador reduz muito o nosso lucro, por meio do programa, o nosso ganho é um pouco maior e o dinheiro é garantido”, explicou.

Também do PA Nova Amazônia, a agricultora Marlene Barbosa, entregou 6,5 toneladas de melancia. Ela que também trabalha com outras culturas como a macaxeira e a abóbora, forneço para o PAA há mais de seis anos. Assim como Laudelino, ela reforça que para o agricultor familiar, o PAA é a melhor opção quando se fala em lucro.

“Acredito que o PAA é muito importante para a agricultura familiar, a entrega já é garantida. O atravessador é um mal necessário, mas não beneficia tanto o agricultor. Já cumpri a conta do PAA Estadual esse ano, agora aguardar o próximo”, pontuou.

PAA – Criado em 2003, o PAA é uma ação do Governo Federal para colaborar com o enfrentamento da fome e da pobreza no Brasil e, ao mesmo tempo, fortalecer a agricultura familiar. Para isso, o programa utiliza mecanismos de comercialização que favorecem a aquisição direta de produtos de agricultores familiares ou de suas organizações, estimulando os processos de agregação de valor à produção.

Publicado em Agricultura e Pesca

Lavar as mãos, um ato simples e corriqueiro na vida da maioria das pessoas. Mas você sabia que muitas das doenças são transmitidas pelo contato das mãos? Pensando nisso a OMS (Organização Mundial de Saúde) instituiu o dia 5 de maio como o Dia Mundial de Higienização de Mãos. Mas atenção, nem todo o perigo está visível e sua mão pode conter sujeira que não enxergamos naturalmente.

Pensando nisso a Sesau (Secretaria de Saúde) levou até a Policlínica Cosme e Silva uma dinâmica para orientar as pessoas que a limpeza das mãos previne muitas doenças.

Na ação as pessoas colocavam as mãos na luz ultravioleta e se ela ficasse com manchas brancas estavam sujas. Em seguida, a pessoa passava álcool nas mãos e esfregava e colocava novamente contra a luz e as manchas brancas sumiam, como explicou a Gerente do Núcleo Estadual de Controle de Infecção Hospitalar Kathiane Alencar.

“A ideia foi fazer uma ação divertida e dinâmica para as pessoas. Muitas vezes a gente acredita que as nossas mãos estão limpas porque não conseguimos enxergar a sujidade delas e quando colocamos na luz ultravioleta percebemos que não estão tão limpas quanto imaginamos. Depois de fazer a limpeza com o álcool ficou comprovado que a sujeira foi eliminada”, disse.

Em 2019 a ação vem com o tema “Cuidado seguro está nas suas mãos”, e visa mostrar a importância da higienização das mãos para o controle da infecção hospitalar. Segundo Kathiane, a higienização de mão é o meio mais eficiente e mais barato de prevenir uma infecção.

“A maioria das transmissões ocorrem por meio do contato. A pessoa que está gripada espirra, e coloca a mão em uma maçaneta, ou cumprimenta outra pessoa está transmitindo esse vírus adiante. Se eu faço a higienização de mãos com álcool 70% isso não acontece mais. Assim como consigo eliminar outras bactérias”, enfatizou.

A Ação também orientou os servidores da unidade hospitalar que lidam diretamente com pessoas doentes. A enfermeira Meyre Vânia disse que essa higiene é essencial para o trabalho.

“Temos que fazer a higienização antes de atender os pacientes quanto terminamos de atender. Isso evita a transmissão de microbactérias que a gente não vê para os pacientes, para nós servidores ou para nossa família, caso levamos esses vírus pra casa”, disse a enfermeira, ao lembrar que na unidade todas as salas possuem álcool em gel.

PERÍODO CHUVOSO – Com a chegada das chuvas no Estado o risco de contrair um resfriado ou uma gripe aumenta. E o combate a Influenza H1N1 é um dos objetivos dessa ação de higienização. 

O Ministério da Saúde orienta que lavar as mãos apenas com água e sabão não elimina todos os germes, e que o uso do álcool elimina a chance de contrair e transmitir a H1N1.

“O nosso Estado está entrando no período sazonal onde aumenta o número de gripe e tivemos caso na região norte de H1N1 e podemos diminuir a incidência desses casos com a higienização das mãos”, complementou Alencar.

 

Publicado em Saúde

“Novas Fronteiras na Governança Florestal, Promovendo Investimentos, Protegendo a Biodiversidade e Melhorando os Meios de Vida” foi o tema da Reunião da GCF 2019 (Força-Tarefa de Governadores para o Clima e Florestas) que ocorreu na última semana em Caquetá, na Colômbia.

Representando Roraima, por meio da Femarh (Fundação Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos), participaram do evento o diretor de Licenciamento Ambiental, Rogério Martins Campos, e a analista ambiental, Flávia Furtado Alves, ambos delegados no colegiado pelo Estado. O evento, realizado anualmente, tem como objetivo expandir a governança florestal, trazendo investimentos, protegendo a biodiversidade e melhorando os meios de subsistência.

“Este é o segundo ano que o Estado de Roraima participa como membro da rede GCF no evento e, através da mesa, já conseguimos contemplar um financiamento de U$ 400 mil para construir um sistema jurisdicional para a REED+ (Redução das Emissões por Desmatamento e Degradação Florestal). Esse projeto, apresentado em parceria com o Ipam (Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia), já está em fase de construção no Estado”, disse Rogério Martins.

A Força Tarefa é uma colaboração subnacional que nasceu em 2008 pelo acordo entre nove Estado e províncias. Hoje, conta com 38 Estados e províncias no Brasil (Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Maranhão, Mato Grosso, Rondônia, Roraima e Tocantins), Indonésia, México, Nigéria, Peru, Espanha, Colômbia, Equador, Costa do Marfim e Estados Unidos, que, juntos, somam mais de um quarto das florestas tropicais do mundo.

Segundo Rogério, este ano um dos enfoques das discussões no evento foi a estruturação dentro dos Estados, de uma metodologia com condições necessárias para captação de recursos no que tange a proteção das nossas florestas.

“Durante o evento, estivemos reunidos também com o grupo dos representantes dos órgãos ambientais dos Estados, onde dentro do recurso do GCF existe uma previsão orçamentária para tais instituições, a qual será utilizada para contratação de um consultoria para nos trazer um diagnóstico do licenciamento ambiental de todos os Estados, o que tornará mais clara as nossas demandas e dificuldades, apresentando propostas para que a gente melhore o licenciamento não só na parte técnica como na legislação, trazendo mais celeridade e segurança jurídica”, disse Rogério.

Também durante o evento, o Estado do Amazonas foi escolhido por unanimidade para sediar a próxima edição do GCF (sigla em inglês para o Fórum Global dos Governadores para Climas e Floresta), em 2020.

A experiência brasileira com a PNGATI (Política Nacional de Gestão Ambiental e Territorial) também foi destaque na programação oficial do GCF. Reforçando a participação da Sociedade Civil, Sinéia do Vale, do CIR (Conselho Indigenista de Roraima), apresentou a PNGATI na mesa ‘’Governança Colaborativa em Prática: Construção de Estado entre Organizações Indígenas e Governos Locais’’, organizada pela ONG Gaia Amazonas, da Colômbia, com apoio da RCA (Rede de Cooperação Amazônica). A cobrança dos indígenas aos governantes é que a PNGATI seja fortalecida nos seus Estados.

Em diversos momentos estratégicos ao longo do Comitê Global, as lideranças indígenas pautaram a importância da efetivação dos compromissos firmados pelos governantes e de uma maior abertura para o diálogo com as comunidades.

Durante o evento, os delegados de Roraima também passaram a integrar o Comitê Global de Povos Indígenas e Populações Tradicionais dentro do GCF, representando o Estado.

O QUE É A GCF? - A GCF é uma força-tarefa entre Estados de vários países estabelecida com base em um memorando de entendimentos, assinado em 2008, que fornece a base para a cooperação em inúmeros assuntos relacionados à política climática, financiamento, troca de tecnologia e pesquisa.

É formado por 38 Estados e províncias do Brasil, Colômbia, Indonésia, Costa do Marfim, México, Nigéria, Peru, Espanha e Estados Unidos. A GCF também conta com parcerias de instituições nacionais, internacionais, bem como do setor privado, sociedade civil e povos indígenas para a construção de uma forte rede para o desenvolvimento de baixas emissões nas regiões de florestas tropicais do planeta.

A Força-Tarefa foi proposta na Califórnia, nos Estados Unidos e o Acre é um dos Estados-membros fundadores. Em 2014, sediou o encontro anual, onde foi assinada a "Declaração de Rio Branco", documento que estabelece um pacto entre os Estados para reduzir os impactos do clima. Juntos, os Estados-membros representam 32% das florestas tropicais do mundo, e são responsáveis por 25% das emissões de gás do efeito estufa na atmosfera.

REDD+ - O conceito de Redução das Emissões por Desmatamento e Degradação Florestal inclui na contabilidade das emissões de gases de efeito estufa aquelas que são evitadas pela redução do desmatamento e a degradação florestal nos países em desenvolvimento. Ele prevê a conservação de estoques de carbono, o manejo sustentável e o aumento de estoques de carbono florestal.

Publicado em Meio Ambiente