Mostrando itens por marcador: governoderoraima

Os próximos passos para a abertura da APC (Área de Proteção e Cuidados), que atenderá ocorrências do novo coronavírus (COVID-19), foram discutidos em reunião nesta terça-feira, 02, entre o Governo de Roraima e a Operação Acolhida, do Exército Brasileiro.

O encontro aconteceu no Salão Nobre do Palácio Senador Hélio Campos e contou também com a presença de representantes da Sesau (Secretaria de Saúde), Defesa Civil do Corpo de Bombeiros, Polícia Civil e Militar, Seampu (Secretaria de Articulação Municipal e Política Urbana) e SEI (Secretaria do Índio).

Ainda estiveram presentes a Setrabes (Secretaria de Trabalho e Bem-Estar Social), Detran (Departamento Estadual de Trânsito), Secretaria de Desburocratização e Governo Digital, Sefaz (Secretaria de Fazenda), Seplan (Secretaria de Desenvolvimento e Planejamento), além da Procuradoria Geral e Ministério Público de Roraima.

Seguindo as orientações das Organizações de Saúde, todos fizeram o uso de máscara e álcool 70% para esterilizar as mãos e objetos, como microfone utilizado durante a fala.

O governador Antonio Denarium destacou que tanto medicamentos quanto EPI’s (Equipamentos de Proteção Individual) têm sido entregues à APC, Hospital de Campanha criado por meio de acordo de cooperação entre o Governo e a Operação Acolhida, em parceria com a Prefeitura de Boa Vista e a UFRR (Universidade Federal de Roraima).

“Reunimos toda equipe técnica para tratar dessas questões. Nosso objetivo principal neste momento é iniciar os atendimentos na APC o mais breve possível e desafogar o HGR [Hospital Geral de Roraima]”, disse.

O comandante da Operação Acolhida, general Antonio Manoel Barros, também citou a importância da reunião para finalizar os detalhes da abertura da Unidade.

“Estamos trabalhando com muita sinergia e coordenação nesse processo para atender a nossa população”, acrescentou.

CONTRATAÇÃO DE PROFISSIONAIS

Por meio da Lei n°13.979 de 6 de fevereiro de 2020, que dispõe de medidas para enfrentamento da pandemia do Coronavírus, é permitida a contratação de serviços sem licitação.

Dessa forma, o procurador geral Ernani Batista informou que todos os profissionais da área de Saúde podem procurar a Sesau e apresentar a documentação necessária.

“Havendo a necessidade para atender as demandas relacionadas a doença, terá a contratação de profissionais desde motoristas, maqueiros e médicos, pois a Lei autoriza fazer o contrato de até seis meses”, explicou.

Publicado em DESTAQUES

O Governo de Roraima empenhado no combate ao Coronavírus (COVID-19) no Estado iniciou nesta terça-feira, 02, a discussão do Plancon (Plano de Contingenciamento Integrado Sepultamento COVID-19) sobre o manejo de corpos que possa vir a óbito em decorrência do Coronavírus.

O encontro ocorreu em São Luiz, ao Sul do Estado. O Plancon tem como objetivo definir com os municípios normas sobre a maneira adequada para o manejo dos corpos.

Estiveram presentes na discussão representantes municipais da saúde e assistência social dos municípios de São João da Baliza, Caroebe, Rorainópolis, e também de São Luiz.

Além disso, o documento consiste na ação orientativa sobre como agir ao se deparar com qualquer situação de óbitos, seja ela, nos hospitais, unidades básicas, hospital de campanha, domiciliar, espaços públicos ou transporte público terrestre.

A diretora de Vigilância Sanitária, Bianca Pimentel, explicou que após a adesão de todos os municípios, o Plancon será aplicado imediatamente. "Após a adesão dos municípios o Plancon será implementado imediatamente, tendo em vista o que está sendo discutido em cada esfera e o que cabe a cada um, para que tenhamos mais celeridade as situações e minimiza as formas de contágio", destacou.

Bianca disse ainda que as equipes da Sesau, Defesa Civil e Setrabes estão em campo visitando todos os municípios do Estado para apresentar o Plancon.

"O município que ainda não tiver condições de realizar o sepultamento corretamente receberá o apoio e suporte técnico, inclusive da Vigilância Sanitária, que está em campo fazendo as capacitações para que as pessoas façam o manejo de forma correta", declarou.

Além da Sesau (Secretaria de Saúde), Setrabes (Secretaria do Trabalho e Bem Estar Social) e Defesa Civil Estadual, o Plancon normativo conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Boa Vista, da Semsa (Secretaria Municipal de Saúde), cartórios, funerárias e Exército Brasileiro, por meio da Operação Acolhida.

TREINAMENTO

Durante o encontro ficou definido para o dia 9 de junho uma nova reunião com equipes de saúde de cada município para uma capacitação técnica sobre Plancon.

Serão duas reuniões no mesmo dia, em São João da Baliza pela manhã com equipes dos municípios de Caroebe e São Luiz. Pela tarde será em Rorainópolis com equipe local.

EM CARACARAÍ

Em continuidade ao cronograma, a segunda reunião do dia sobre Plancon ocorreu pela parte da tarde, em Caracaraí, também ao Sul do Estado.

No local, a equipe de saúde do município debateu sobre o assunto. Foram apresentadas as dificuldades mais frequentes enfrentadas sobre o manejo.

Para o secretário municipal de saúde de Caracaraí, Hendre Gregório, a maior dificuldade em caso de COVID-19 é a logística para sepultamento dos corpos.

"Essa discussão trouxe uma outra problemática, que os municípios não perceberam. Em relação ao Coronavírus tratávamos apenas o enfrentamento e prevenção. Mas nesse momento estamos reunidos para tratar da questão do óbito. Hoje a nossa maior dificuldade é a logística para tratar de casos que venham a óbito", disse.

Publicado em DESTAQUES

O setor agrícola segue forte, mesmo no período de isolamento social por conta da
pandemia de Coronavírus (COVID-19) e o Governo de Roraima, por meio da Seapa
(Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento), continua auxiliando o
produtor rural em todo o Estado.

No município de Cantá, o produtor rural Manoel Abreu de Araújo procurou
atendimento na CPR (Casa do Produtor Rural) da Vila Central, ainda no mês de
março, para relatar que estava com problemas no seu plantio de mamão.

De acordo com o engenheiro agrônomo Eliézer Campos, servidor da Seapa, o
produtor informou que sua produção estava estragando rapidamente. Assim que
colhia, o fruto não ficava muito tempo bom para consumo e logo perdia a validade.

“Assim que colhia, a produção dele estava sendo perdida, porque o mamão não
tinha mais tempo de prateleira. Sua preocupação era com os fornecedores, pois
assim que ele entregava, esse mamão apodrecia e os fornecedores estavam
reclamando do produto”, explicou Eliézer.

Conhecido na região por ser cuidadoso com a sua produção, seu também produz,
além do mamão, melancia, banana, maracujá e hortaliças. Ele entrega os seus
produtos nos comércios locais (no Cantá) e para supermercados de Boa Vista. Além
disso, o excedente é repassado para o PAA (Programa de Aquisição de Alimentos).

Depois de relatar o caso na CPR da Vila Central, a Seapa, por meio do Dater
(Departamento de Assistência Técnica e Extensão Rural) atou no caso e montou
uma equipe formada pelos engenheiros agrônomos Rosianne Thomé e Eliézer
Campos, além do pelo técnico em agropecuária, Jânio Peixoto.

Diagnóstico e estratégia de tratamento

Depois da visita in loco, foi realizado o diagnóstico pela equipe. “Eu fui como o
coordenador de área da região, a engenheira Rosianne Thomé é a responsável pela
identificação de doenças de plantas. Juntamente com o Jânio Peixoto, fomos até o
local fazer a visita técnica e verificamos o que o produtor estava fazendo e,
mediante isso, nós explicamos a estratégia de tratamento. Descobrimos que o
problema estava sendo causado por um fungo”, relatou Eliézer Campos.
Após receber a orientação dada pela equipe técnica da Seapa, o produtor rural
seguiu as recomendações para o tratamento do seu pomar e hoje ele está
entregando sua produção de mamão e outras frutas ao programa PAA normalmente
e não recebeu mais queixas dos clientes.

“De março para cá, os problemas foram sendo eliminados. A grande preocupação
do produtor era realmente de perder o mercado, de sair do PAA, já que antes ele

não tinha este problema. Mas a partir do tratamento, os frutos começaram a ter mais
tempo de prateleira e isso causou uma grande satisfação ao seu Manoel”,
comemorou Eliézer Campos.

Segundo o secretário de Agricultura, Emerson Baú, é muito importante que o
produtor rural veja na Seapa uma instituição amiga e parceira. “Temos profissionais
em diversos campos de atuação que podem estudar os problemas, diagnosticar e
orientar os produtores rurais. É importante procurar ajuda e não passar pelo
problema sozinho”, pontuou.

 

Publicado em DESTAQUES
Quarta, 03 Junho 2020 12:04

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO

O Governo de Roraima, por meio da Sesau (Secretaria de Saúde), e do COERR (Centro de Operações Especiais de Saúde Pública de Roraima) torna pública a divulgação do BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO PARA ATUALIZAÇÃO SOBRE O CORONAVÍRUS.

A divulgação da situação epidemiológica com relação à doença faz parte do Plano de Contingenciamento montado pelas autoridades de saúde do Estado.

As publicações vão ocorrer diariamente no site da Sesau (www.saude.rr.gov.br) e no portal roraimacontraocorona.rr.gov.br.

A nova atualização informa o Estado contabiliza até o momento 6.267 notificações para a COVID-19, de acordo com os critérios de definição de caso do Ministério da Saúde.

Destes, 4.143 foram confirmados segundo município de residência, 2.128 foram descartados e 124 óbitos.

Com relação apenas as confirmações para a doença, 78 em Alto Alegre, 38 no Amajari, 3.133 casos foram notificados em Boa Vista, 84 em Bonfim, 170 no Cantá, 23 em Caracaraí, 67 em Caroebe, 13 em Iracema, 112 em Mucajaí, 11 em Normandia, 130 em Pacaraima, 148 em Rorainópolis, 32 em São João da Baliza, 45 em São Luiz e 11 em Uiramutã.

Já sobre os casos descartados, 43 em Alto Alegre, 19 em Amajari, 1.514 notificações ocorreram em Boa Vista, 66 em Bonfim, 68 no Cantá, 04 em Caracaraí, 98 em Caroebe, 12 em Iracema, 67 em Mucajaí, 07 em Normandia, 60 em Pacaraima, 51 em Rorainópolis, 46 em São João da Baliza, 48 em São Luiz e 01 em Uiramutã.

O Estado também contabiliza 124 óbitos por Coronavírus (COVID-19), 03 em Alto Alegre, 01 em Amajarí, 102 no município de Boa Vista, 02 no Bonfim, 03 no Cantá, 01 em Caroebe, 01 em Iracema, 01 em Mucajaí, 03 em Pacaraima, 04 em Rorainópolis, 01 em São Luís e 01 em Uiramutã.

Além disso, 1.227 pacientes diagnosticados com a doença receberam alta de isolamento e encontram-se recuperados.

Deste total, 25 em Alto Alegre, 01 em Amajari, 1002 são de Boa Vista, 23 de Bonfim, 07 do Cantá, 29 em Caroebe, 13 em Mucajaí, 02 em Normandia, 26 em Pacaraima, 70 em Rorainópolis e 27 de São Luiz. Por conta do crescimento de casos, a OMS (Organização Mundial de Saúde) declarou que o mundo vive uma pandemia da doença.

Publicado em DESTAQUES

Em continuidade ao processo de reestruturação da educação de Roraima, o Governo do Estado adquiriu mais de 12 mil kits de material escolar para atender aos estudantes da rede estadual de ensino. O material foi entregue nesta segunda-feira, 1°, no depósito do DAE (Departamento de Apoio ao Educando) da Seed (Secretaria de Educação e Desporto).

Foram entregues 12.599 kits escolares, sendo 3.678 para atender estudantes dos anos iniciais (1° ao 5° ano), 5.417 kits para os anos finais (6° ao 9° ano) e 3.504 kits para alunos do Ensino Médio e EJA (Educação de Jovens e Adultos). O investimento dos kits é na ordem de R$ 988.875,65. Os recursos são do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação), que só foram disponibilizados por meio do empenho da atual gestão em destravar o PAR (Plano de Ações Articuladas), instrumento de planejamento de ações da Seed.

“Essa é mais uma ação do Governo, que mesmo em tempo de pandemia, não para de trabalhar em favor do Estado. Depois de décadas sem a aquisição de kits de material escolar, a Seed, através de recurso do FNDE, adquiriu esse material”, explicou o secretário adjunto do Sistema Educacional da Seed, Aerton Dias.

Os kits serão destinados para atender estudantes das escolas estaduais indígenas, alunos do CSE (Centro Socioeducativo Homero de Souza Cruz Filho) e da Escola Professora Crisotelma Francisca de Brito Gomes, que funciona na Pamc (Penitenciária Agrícola do Monte Cristo).

Composição dos kits

Cada kit contém itens específicos para atender às necessidades dos estudantes em cada ano. Os alunos dos anos iniciais receberão dois apontadores, duas borrachas, quatro cadernos brochura com 80 folhas, um caderno para desenho com 96 folhas, uma calculadora, uma caneta esferográfica, uma cola branca, três colas coloridas, uma caixa de lápis de cor, quatro lápis grafite, um material dourado e uma tesoura sem ponta.

Já os alunos dos anos finais receberão dois apontadores, duas borrachas, dois cadernos universitários com 200 folhas, uma calculadora, quatro canetas esferográficas (duas na cor azul, uma preta e uma vermelha), uma cola branca, dois esquadros um de 45° e um de 60°, uma caixa de lápis de cor, quatro lápis grafite, uma régua e um transferidor 180°.

Os kits do Ensino Médio e já contém três cadernos universitários com 200 folhas, uma calculadora, quatro canetas esferográficas (duas na cor azul, uma preta e uma vermelha), dois grafites, uma lapiseira e uma régua. A Seed irá organizar a distribuição para as escolas e a entrega deverá ocorrer assim que retornarem as aulas presenciais.

 

Publicado em DESTAQUES

Caracaraí, São Luiz, São João da Baliza, Caroebe e Rorainópolis, ao Sul de Roraima, são os primeiros municípios a serem visitados pelas equipes do C-4 (Centro de Coordenação de Comando da COVID-19), nesta terça-feira, 2, para formalização do Plano Integrado de Contingência de Sepultamentos, o Placon.

O documento, já assinado pelo governador Antonio Denarium, apresenta protocolos, ações e decisões a serem adotados pelas Secretarias ou órgãos estaduais em casos de óbitos causados pelo novo Coronavírus (COVID-19), como identificação, manuseio e funeral.

Todos os protocolos recomendados pelas Organizações de Saúde já são adotados, entretanto o Placon surge para formalizar os procedimentos. Assim, a finalidade é possibilitar a resposta eficaz, proteger a população sobre o manejo e tratamento dos óbitos pela doença.

“Além de oficializar os protocolos, a ideia de visitar os municípios é que, ao apresentar o Plano, possamos discutir a realidade de cada cidade e identificar suas necessidades para incluir ao Placon”, acrescentou um dos membros da equipe, capitão Guaracy Lavor da Defesa Civil do Corpo de Bombeiros.

Também fazem parte da equipe a Sesau (Secretaria de Saúde) por meio da Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde e da Vigilância Sanitária, e a Seampu (Secretaria de Articulação Municipal e Política Urbana).

O QUE TEM NO PLACON?

O Plano Integrado de Contingência pontua os itens necessários a serem usados por toda equipe que maneja o corpo da vítima da doença. Os EPI’s (Equipamentos de Proteção Individual) citados são: gorro; óculos de proteção ou protetor facial; Avental impermeável de manga comprida ou macacão Tyvec; e máscara cirúrgica.

Se for necessário realizar procedimentos que geram aerossol, como extubação ou coleta de amostras respiratórias, é necessário usar máscara modelo N95, PFF2 ou equivalente.  Também é preciso usar luvas nitrílicas para o manuseio durante todo o procedimento e botas impermeáveis.

O Placon apresenta, ainda, detalhes dos protocolos de segurança e cautelas que devem ser tomadas pelas equipes de saúde e segurança que forem atender as ocorrências de óbitos ocorridas em unidades de saúde, em domicílio ou em vias públicas.

Outros itens apontados no documento são o Auxílio Funeral e Psicosocial que ocorrerão por meio da Setrabes (Secretaria do Trabalho e Bem-Estar Social).

Os benefícios atenderão cidadãos e famílias cuja renda familiar mensal per capita seja de até um salário   mínimo e meio, ou que a ocorrência de morte por COVID-19 provoque fragilidade financeira no âmbito familiar e dificuldades na manutenção do indivíduo e sobrevivência de seus membros.

Estes atendimentos serão ofertados somente em Boa Vista e demais municípios que não possuem cemitério no âmbito de seu território ou que tiverem a capacidade para sepultamento esgotada.

Em relação aos funerais de pessoas vítimas da COVID-19, o Placon detalha normas a serem seguidas pelas empresas funerárias, bem como pelos cemitérios durante velórios e enterros. O principal ponto é quantidade de pessoas permitidas durante o momento da despedida, que é de até 10 pessoas.

“Entendemos que é um momento de dor para as famílias. Temos o objetivo de dar todo apoio possível e além disso cuidar da saúde dessas pessoas, por isso é importante seguir esses protocolos e evitar as aglomerações para prevenir que mais cidadãos sejam contaminados com a doença”, explicou o capitão da Defesa Civil, Guaracy Lavor.

 CRONOGRAMA

Conforme o cronograma elaborado pela Seampu, as visitas aos municípios de Roraima iniciaram nesta terça-feira, 2, e terminam na sexta, dia 5 de maio.

Na quarta, as equipes retornam para Amajarí e Pacaraima, e quinta seguem para Bonfim, Normandia e Uiramutã. Na sexta, as visitas terminam no Cantá, Alto Alegre, Mucajaí e Iracema.

A capital Boa Vista por congregar a maior parte da população do Estado foi a primeira a ter conhecimento do Placon e, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, e auxiliou na elaboração do Plano que se amplia agora para todos os municípios.

 

--

Publicado em DESTAQUES

Mesmo durante a pandemia, as contribuições previdenciárias devidas ao Iper (Instituto de Previdência do Estado de Roraima) continuam sendo repassadas integralmente pelo Governo do Estado. No primeiro trimestre deste ano, já foram arrecadados pouco mais de R$ 200 milhões.

De acordo com o Presidente do Iper, José Haroldo Campos, isso ocorre desde que o governador, Antonio Denarium, assumiu. “É um compromisso dele com os nossos segurados e o resultado não poderia ser melhor: hoje, o patrimônio líquido do instituto é de quase R$ 3,5 bilhões”, revelou.

Em 2019, foram arrecadados quase R$ 300 milhões. Conforme o gráfico disponibilizado pela Diretoria de Investimentos e Arrecadação do Iper, esse valor ultrapassa o dobro daqueles arrecadados em 2015, 2016, 2017 e 2018. Além disso, o Executivo atual não possui débitos com a previdência estadual. “As dívidas são oriundas de governos anteriores, que não repassaram ao instituto as contribuições previdenciárias dos servidores, especialmente em 2017 e 2018”, esclareceu o diretor de Investimentos e Arrecadação, Rafael Alencar.

No dia 31 de dezembro do ano passado, o Governo de Roraima quitou parte dessas dívidas com recursos provenientes da cessão onerosa do pré-sal. “Recebemos quase R$ 110 milhões. O governador honrou, mais uma vez, os nossos segurados, especialmente aqueles que tiveram os descontos previdenciários nos contracheques. Eles podem ficar tranquilos em relação ao futuro, ao usufruto dos benefícios previdenciários”, garantiu.

Entenda como é feita a arrecadação

O Iper é o gestor único do Regime Próprio de Previdência do Estado de Roraima. A missão do instituto é garantir aos segurados e aos seus dependentes os benefícios previdenciários que lhes sejam devidos, zelando sempre pela boa gestão dos recursos.

O Iper é custeado pelos próprios segurados (ativos, inativos e pensionistas), que contribuem mensalmente com 11% dos seus proventos, e pelo Governo do Estado, que é responsável pela contribuição previdenciária patronal (14%). Após a arrecadação, as contribuições são repassadas ao instituto, que transforma esses recursos em investimentos para garantir o pagamento das aposentadorias, auxílios e pensões.

Publicado em DESTAQUES

As pessoas que fazem parte do público-alvo da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza devem ficar atentas. A campanha foi prorrogada até o dia 30 deste mês e, com isso, ainda é possível procurar uma UBS (Unidade Básica de Saúde) em todos os municípios do Estado e atualizar a caderneta de vacinação. A Sesau (Secretaria de Saúde), por meio do Nepni (Núcleo Estadual do Programa Nacional de Imunização), recebeu do MS (Ministério da Saúde) 231 mil doses da vacina contra a influenza e fez o repasse para todos os municípios.

Até o momento, o grupo dos idosos já superou a meta de cobertura vacinal estabelecida pelo MS, com 111,07%. Mas outros grupos prioritários precisam melhorar os índices de vacinação. Segundo a gerente do Nepni, Alice Dantas, é fundamental que os outros grupos atualizem a caderneta de vacinação. “É importante esclarecer que a vacina não é válida para o Coronavírus, no entanto, garante imunidade contra o vírus da influenza, que merece toda a atenção”, esclareceu. De acordo com o Nepni, os outros grupos que apresentam necessidade de reforço na cobertura estão os profissionais de saúde (87,34%), gestantes (30,45%), puérperas (39,20%), indígenas (10,24%), adultos entre 55 e 59 anos (30,17%) e crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade (23,27%). Quem pertence a um desses grupos deve ir até uma UBS para receber a vacina.

Doentes crônicos e pessoas com deficiência, profissionais de segurança e forças armadas, caminhoneiros, trabalhadores de transporte público, pessoas privadas de liberdade e adolescentes sob medida socioeducativa, funcionários do sistema prisional e professores, que também integram o público-alvo, são avaliados por número de doses aplicadas, devido às limitações de estimativa populacional desses grupos.

Vale ressaltar que, mesmo tendo atingido a meta de imunização, os idosos que ainda não se vacinaram devem procurar as UBS's para receber a vacina.

CENÁRIO NACIONAL - De acordo com o Ministério da Saúde, dos 77,7 milhões de pessoas consideradas público prioritário, 63,53% receberam a vacina. Com a prorrogação, a expectativa é vacinar mais 28,3 milhões de pessoas em todo o Brasil.

Publicado em DESTAQUES

As escolas estaduais de Roraima estão sendo abastecidas com gêneros alimentícios que seriam utilizados para o preparo da merenda escolar. Agora, os produtos serão entregues para famílias de estudantes de baixa renda cadastrados no programa Bolsa Família.

A ação integra uma das medidas do Governo de Roraima no enfrentamento ao Coronavírus (COVID-19), auxiliando inicialmente 26.676 famílias de estudantes em situação de vulnerabilidade social. A distribuição das 98 toneladas de gêneros alimentícios é coordenada pela Seed (Secretaria de Educação e Desporto).

Os alimentos distribuídos são os que estavam no estoque do DAE (Departamento de Apoio ao Educando) e foram adquiridos antes da pandemia. Desde a suspensão das aulas, a Seed não realizou nenhuma outra aquisição de gêneros alimentícios.

O secretário adjunto de gestão da Educação Básica da Seed, Semaias Alexandre, explicou que a ação trata-se de uma política pública de Governo e que, a exemplo de outros estados da Federação, a distribuição dos alimentos em estoque vai auxiliar as famílias neste período de pandemia do Coronavírus.

“Não se trata de cesta básica e sim de gêneros destinados ao preparo da merenda escolar. São quantidades menores, não é um cardápio inteiro, mas são gêneros que vão fortalecer e dar segurança alimentar e auxiliar ao aluno que está em casa sem poder ir para a escola neste período”, esclareceu Semaias Alexandre.

Critérios de distribuição

Os critérios para a distribuição dos alimentos estão estabelecidos nas Portarias nº 0657/2020 e nº 0658/2020, publicadas pela Seed no DOE (Diário Oficial do Estado) no dia 4 de maio, e as normativas da Seed seguem orientações de regulamentações federais, entre elas a Lei nº 13.987 de 7 de abril de 2020, e a Resolução FNDE nº 02 de 9 de abril de 2020.

Em uma primeira etapa, que ocorreu no início de maio, foram distribuídos os gêneros alimentícios que estavam no estoque dos depósitos das escolas e que seriam utilizados no preparo da merenda escolar. Agora, estão sendo distribuídos os alimentos estocados no DAE. São mais de 20 mil kits para serem distribuídos. Cada kit contém dois quilos de arroz, um pacote de macarrão, quatro pacotes de biscoito e quatro latas de sardinha.

As escolas do interior também vão receber os produtos. Já foram realizadas entregas nas escolas dos municípios do Sul do Estado, além de Amajarí e Pacaraima. As próximas entregas serão para os municípios da região Norte.

Na Capital, até o momento, já foram entregues 515 volumes, sendo 56 para a Escola Estadual Major Alcides, 153 para a Escola Estadual Maria Raimunda Mota de Andrade, 236 para a Escola Ulysses Guimarães e 67 para o Colégio Estadual Militarizado Jaceguai Reis Cunha.

Cada escola organizará um cronograma de distribuição e acionará os pais ou responsáveis dos estudantes para receber os alimentos. Nesta terça-feira, 2, a distribuição segue nas escolas Maria das Neves Rezende, Colégio Estadual Militarizado Pedro Elias Albuquerque Pereira, Mario David Andreazza,  Fagundes Varela, Maria Sônia de Brito Oliva e Escola de Ensino Médio em Tempo Integral América Sarmento Ribeiro.

Publicado em DESTAQUES

O governador Antonio Denarium reuniu nesta segunda-feira, dia 1º, prefeitos e representantes dos 14 municípios do interior do Estado para discutir estratégias de combate ao Coronavírus (COVID-19). Na oportunidade, o governador e secretários de Estado prestaram contas do que vem sendo feito e dos repasses aos municípios.

A reunião, que ocorreu no Palácio Senador Hélio Campos, respeitou as recomendações sanitárias do Ministério da Saúde. Todos os participantes utilizaram máscaras e no local foram disponibilizados luvas e álcool em gel para higienização das mãos e microfones.

O governador Antonio Denarium afirmou que convidou todos os municípios. Ele acredita que um trabalho conjunto e linear, pode ajudar Roraima como um todo a sair dessa situação o quanto antes. “Todas as Prefeituras do interior vieram. Os prefeitos que não puderam comparecer enviaram representantes, infelizmente, não pudemos contar com a presença de ninguém da Prefeitura de Boa Vista”, disse.

Denarium destacou que o Governo Federal sancionou leis e destinou recursos para os Estados e municípios para o combate à COVID-19. Ele também frisou que o repasse constitucional do Estado aos municípios está em dia e que o pagamento é feito rigorosamente nas datas previstas. Segundo a Sefaz (Secretaria de Fazenda), desde o início do ano, mais de R$ 125 milhões foram repassados às 15 Prefeituras do Estado.

“Com esses recursos extraordinários trabalhamos na aquisição de EPIs [Equipamento de Proteção Individual], medicamentos e insumos. Nosso grande propósito agora é cumprir todas as exigências do Ministério da Defesa que é o acordo de cooperação com o Exército Brasileiro para o funcionamento da APC [Área de Proteção e Cuidados]”, disse Denarium ao adiantar que até o final desta semana a unidade vai estar em funcionamento. 

A secretária Adjunta da Sesau (Secretaria de Saúde), Fabiana Zimmermann, afirmou que a etapa de fornecimento de insumos e EPIs já foi cumprida. O passo seguinte é a contratação de profissionais.

“Abrimos editais para a contratação desses profissionais e conseguimos uma vitória na Justiça para contratar em caráter de urgência profissionais formados em outros países que ainda não fizeram a revalidação dos diplomas no Brasil. Essa foi uma medida extrema, devido a dificuldade de conseguir profissionais para atuar nessa área no atual momento”, pontuou.

O prefeito do município de Alto Alegre, Pedro Henrique Machado, afirmou que a reunião foi produtiva. Ele disse que os prefeitos e representantes dos municípios tiveram voz para falar as reais necessidades e preocupações. Ele também ressaltou que a APC é fundamental para todo o Estado, não somente para a Capital.  

“Todos os munícipes do interior de Roraima que precisem de atendimento de urgência, de um atendimento especializado, vão ter que vir para Boa Vista. Também expusemos ao governador a nossa preocupação entre outras demandas como dívidas deixadas por governos anteriores na área de saúde, que ele se comprometeu em quitar para que a gente possa executar mais ações no combate à COVID-19. Se os dois Poderes trabalharem com harmonia, cada um fazendo a sua parte, os números vão diminuir”, disse Machado.

Para Argilson Martins, prefeito de Caroebe, a proximidade entre Governo e Prefeitura é fundamental. “Sei que o Governo está preocupado em ajudar os municípios e nos colocamos a disposição para que nós possamos trabalhar juntos, pois o nosso único objetivo é salvar vidas. Nossa meta é unir forças para que possamos dar a volta por cima”, declarou.

Publicado em MANCHETES