A Caer (Companhia de Águas e Esgotos de Roraima) está em diálogo com representantes da Delegacia de Repressão à Crimes contra Administração Pública, para disutir e traçar metas para o combate ao crime de furtos de hidrômetros, responsável por um prejuízo de R$ 60 mil, somente de janeiro a julho deste ano.

Nos primeiro semestre de 2019, a Companhia registrou 398 casos de furtos de hidrômetros na Capital. Em 2018, foram 290 equipamentos furtados.

“É importante saber que os órgãos de segurança estão atentos para essa onda de furto de hidrômetros que tem causado prejuízo para a Companhia e desconforto para os nossos consumidores que, nestas situações, precisam se deslocar até uma delegacia para registrar boletim de ocorrência e solicitar um novo equipamento", declarou o presidente da Caer, James Serrador.

Conforme ele, a Caer dará todo o apoio aos órgãos de segurança durante as ações de combate ao furto tanto de hidrômetros, quanto de água, que é uma prioridade.”, afirmou o presidente, James Serrador.

A intenção é firmar futuramente um Termo de Cooperação Técnica. “Nosso intuito é fazer uma parceria e com isto, podemos unir forças, tanto para identificar quem são os consumidores que estão desviando a água e tentar reaver o custo que o estado vem perdendo diariamente”, explicou a delegada de Repressão à Crimes contra Administração Pública, Magnólia Soares.

COBRE - O hidrômetro é a forma mais justa de se cobrar a fatura de água, pois ele mede o consumo real nas residências, estabelecimentos comerciais e instituições públicas. São alvos dos ladrões, pois possuem cobre na composição.

Quando o crime ocorrer, os usuários devem imediatamente registrar o boletim de ocorrência e se encaminhar até a Caer para que os procedimentos sejam realizados.  Em 2017, o prejuízo foi de quase R$ 21 mil.

Publicado em DESTAQUES

O último dia da feira e exposição Roraima AgroShow, que é promovida pelo sistema Faer/Senar e COC Soja, com o apoio do Governo de Roraima, contou com uma palestra voltada para o combate e controle de pragas com a utilização de defensivos biológicos naturais, intitulada “Controle Biológico de Pragas e Doenças”.

Entre o público presente, estava o biólogo João Ferreira Lira, que deu a sua opinião sobre o tema apresentado. “A palestra foi muito proveitosa, trouxe muita novidade. Hoje não tem mais como a gente trabalhar só o defensivo agrícola químico, tem que trabalhar também em parceria com o biológico. Então foi uma palestra muito rica, gostei muito”.

A palestra foi ministrada pelo engenheiro agrônomo Bruno Arroyo, representante da empresa de defensivos biológicos para controle de pragas e doenças, Koppert Brasil, que explicou um pouco sobre o funcionamento dos defensivos biológicos.

“A Koppert vem nessa crescente de utilização de produtos biológicos. A gente consegue entregar resultado semelhante aos químicos, sem agredir inimigos naturais que estão ali na lavoura; sem agredir a saúde do aplicador; do pessoal que está ali no dia a dia da fazenda e também do consumidor. Então são produtos livres de moléculas que possam ser prejudiciais”.

Bruno aproveitou também para agradecer a participação na feira. “Queria agradecer a oportunidade de conhecer um pouquinho aqui do Estado, vendo os potenciais de Roraima, e dizer que o produtor do Estado pode contar conosco para fazer uma agricultura cada vez mais forte, seja ele de HF [Hortifruticulturas] ou de grandes culturas”.

KOPPERT – A empresa foi fundada na Holanda em 1967 e é líder no mercado internacional de proteção biológica de plantas, atuando com inovação em controle biológico, polinização natural, tratamento de sementes e tecnologia de monitoramento e aplicação. Possui sede em Rotterdam e no Brasil está localizada nas cidades de Piracicaba e Charqueada, ambas no Estado de São Paulo.

 

Publicado em DESTAQUES

Cerca de 30 pessoas, entre agricultores e acadêmicos do curso de agronomia, participaram da palestra ministrada por Robson Vasconcelos, da Gemi Pastos

A integração lavoura-pecuária é um sistema de rotação utilizado pelo homem do campo para otimizar o uso da terra, tornando-a produtiva o ano inteiro. Logo após a colheita dos grãos, as terras viram pasto para a criação de gado, onde permanecem até o início do próximo plantio. A prática aumenta a eficiência do uso dos recursos naturais, com menor impacto sobre o meio-ambiente.

Para falar das vantagens desse sistema, o supervisor de vendas da Gemi Pastos, Robson Vasconcelos, ministrou uma palestra para um público de 30 pessoas entre acadêmicos de agronomia e agricultores. Ele explicou que a integração pode ser aplicada tanto na agricultura empresarial, como nas de médio e pequeno porte e familiar, não há restrições. 

“Roraima é um Estado que está em evidência hoje no Brasil e cada vez mais cresce nessa prática de integração. Estamos aqui para dar alternativas para o pecuarista desenvolver essa atividade de maneira sustentável”, disse Vasconcelos.

Ele explicou que a principal vantagem é a otimização da área. “Hoje em dia o produtor trabalha com uma margem muito pequena. Então, com essa prática, temos a oportunidade de otimizar a área, proporcionando uma rentabilidade maior e isso é de extrema importância em Roraima, que ainda trabalha apenas uma safra ao ano. É como se a pecuária funcionasse como uma segunda safra”, detalhou.

Para o acadêmico de agronomia, José Ribamar, a palestra foi esclarecedora. “É muito bom poder contar com uma capacitação nesse sentido. Já conhecia o sistema de integração lavoura-pecuária, mas tive a oportunidade de aprender coisas novas. Quando utilizado por um número maior de produtores em nosso Estado, o crescimento econômico será considerável”, pontuou.

INTEGRAÇÃO – Segundo dados da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), os ganhos líquidos, com a integração, por hectare, no ano de 2013, foram decorrentes, principalmente, da valorização da carne bovina no mercado nacional. Considerando-se apenas o preço médio por quilograma de carne, observa-se que em 2013 houve um crescimento de 18,0% em relação a 2012.

 

Publicado em DESTAQUES

Cerca de 20 mil pessoas acompanharam na manhã deste sábado, 7 de Setembro, na  Avenida Ene Garcez, o desfile cívico-militar em comemoração da Independência do Brasil. Autoridades civis e militares, entre as quais o governador Antonio Denarium, participaram da cerimônia.

Estudantes de 48 escolas públicas e privadas, além de militares e representantes de instituições civis desfilaram.

O 1º tenente Sebastião Paulino, ex-combatente da Força Expedicionária Brasileira, criada por ocasião da II Guerra Mundial, foi o primeiro a desfilar em carro do Exército. Em seguida, desfilaram 75 usuários e 40 profissionais da Rede Cidadania Atenção Especial. As comemorações prosseguiram com o desfile das escolas e da Fanfarra.

Depois, desfilaram as corporações militares, entre as quais, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Exército e Aeronáutica, além da Polícia Civil, Guarda Municipal de Boa Vista, atletas da Liga de Karatê, integrantes do Clube do Fusca, do Roraima Moto Clube, entre outras instituições.    

 “Isso é a renovação do espírito cívico. Uma linda festa cívico-militar. Todos se apresentaram hoje, fazendo um belo espetáculo para a população que compareceu em grande número, demonstrando o amor ao País; amor a Roraima. Precisamos ser brasileiros com muito orgulho e defender a nossa Nação”, disse o governador Antonio Denarium.

O chefe do Executivo ressaltou que é preciso trabalhar para reverter o quadro atual em que se encontra o Brasil. “Temos a oportunidade, agora, de ter um presidente que e sério, honesto e trabalhador, que cumpre com seus deveres cívicos e ama esse País. Juntos, vamos transformar o Brasil e Roraima”, garantiu.

A secretária de Educação e Desporto, Leila Perussolo, destacou a participação das escolas no desfile.  “O 7 de Setembro é sempre abrilhantado pela garra e motivação dos alunos. Estamos com 32 escolas estaduais, inclusive com uma escola indígena, com  patriotismo e com reconhecimento  e amor à nossa Pátria, desenvolvendo, principalmente, civismo, respeito e solidariedade entre as pessoas”, disse.   

“A data é importantíssima. Marca o símbolo da nossa Independência e o resgate da nossa nacionalidade, do nosso patriotismo. Estamos trazendo nosso filho para mostrar para ele que é importante ter esse civismo. O desfile é uma demonstração de que existem muitas pessoas que gostam do nosso País e querem que ele cresça e se desenvolva”, disse o professor Moisés da Silva.

O 7 de Setembro para muitas pessoas é um dia para ser apreciado em família. É o que faz a funcionária pública Fátima Perez. Todos os anos ela leva os netos para prestigiar o desfile. “Eu gosto, faz parte da nossa cultura e a gente tem que valorizar. É o nosso País. Eu venho e trago meus netos. O mais novo tem quatro anos e está ali sentado assistindo. É bom pra gente não deixar perder essa data cívica”, afirmou.

Alunos e professores da Escola Estadual Indígena Professor Genival Thomé Macuxi, da comunidade Vista Alegre, município de Boa Vista, ressaltaram a participação no desfile. “É o segundo ano que nossa escola participa. É um sonho de todas as crianças um dia participar do desfile de 7 de Setembro. Essa interação da escola indígena mostra  como somos, nossa cultura. Hoje, viemos trajados de indígenas, representando nossa escola . É uma satisfação para nós, professores e  alunos, mostrar nosso trabalho diante da sociedade”, disse a professora Indira da Silva Thomé.

A felicidade estava estampada no rosto do estudante Calebe Santos, aluno do 1º ano do Ensino Médio da Escola Militarizada Elza Breves, que faz parte da banda de música da escola. Com seu clarinete em mãos, Calebe disse que a música transforma. “Fazer parte da banda é uma emoção muito grande que não sei explicar”.

Adriá Nicolle Luna Lima, aluna do 8º ano da Escola Estadual Euclides da Cunha, falou da alegria de participar do desfile que celebra os 197 anos da Independência do Brasil. “É uma honra participar do desfile representando o GEC. O desfile de 7 de Setembro é um momento marcante que vai ficar na mente de qualquer pessoa”, ressaltou.

Publicado em DESTAQUES

A principal unidade hospitalar do Estado, o HGR (Hospital Geral de Roraima), já começou a receber reformas de melhoria física e estrutural. O Bloco B e o Grande Trauma, que será ampliado, foram os primeiros a entrar em obras.

Segundo a secretária de Saúde, Cecília Lorezom, a reforma já era há muito tempo esperada pela população que utiliza o HGR e é um compromisso do governador Antonio Denarium atender esse anseio da comunidade.

“Desde os governos passados, o HGR não recebia uma grande reforma e chegamos ao ponto de ter essa estrutura que tem hoje totalmente precária e sucateada. O mais importante hospital do Estado precisa ter o cuidado que merece e o governo Denarium está empenhado nisso”, disse a secretária.

A reforma do Bloco B começou no fim do mês de agosto e os pacientes do pré e pós-operatório foram acomodados em outros leitos da unidade e no Hospital das Clínicas.

“A reforma do HGR é necessária, uma vez que se trata de uma unidade antiga, que há anos não recebia investimentos para melhorar a sua condição física. A nova gestão da Sesau está ciente desse problema e não tem medido esforços para que essas reformas ocorram o mais rápido possível”, ressaltou a diretora do HGR, Débora Maia.

A direção do hospital pede a compressão dos usuários enquanto durarem as obras, tendo em vista que as melhorias vão beneficiar diretamente os pacientes e seus acompanhantes. “Conforme esses trabalhos forem sendo finalizados, a população vai começar a sentir a diferença, uma vez que isso vai proporcionar maior conforto para os pacientes”, explicou Débora.

INVESTIMENTO - Segundo a CGUI (Controladoria Geral de Urgência e Emergência) da Sesau, o investimento é de R$ 1.085.308,25 para a reforma do Bloco B. A ampliação do Grande Trauma foi orçada no valor de R$ 2.714.857,53. A previsão é de que as obras sejam concluídas até o final do ano.

OBRAS FUTURAS – Ainda de acordo com a Controladoria, os blocos A e D devem ser os próximos a passarem por reformas; o processo está em fase de licitação. Já o Bloco C, voltado para a área de Cardiologia, também será reformado; o processo está em fase de análise.

Publicado em DESTAQUES

Valorizando o pequeno e o grande produtor, as instituições do Governo do Estado se empenham para regularizar e fomentar a produção no Estado. Na tarde desta sexta-feira, 6, o Governo entregou crédito do Banco do Povo e do Crédito Rural, por meio da Desenvolve RR, e também licenças ambientais, por meio da Femarh (Fundação Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos), no Parque de Exposições Dandãezinho.

A entrega ocorreu como parte da programação da Roraima Agroshow, no stand do Governo. O governador Antonio Denarium destacou que a Desenvolve RR está fazendo um excelente trabalho.

“A Desenvolve RR está de parabéns por proporcionar crédito ao homem do campo e também ao microempreendedor que, às vezes, só precisa de um pouco de dinheiro para alavancar seu negócio” frisou 

As linhas de crédito entregues nesta sexta-feira totalizam o valor de R$ 86.500, distribuídos entre 11 produtores e comerciantes dos municípios de Boa Vista, Cantá e Iracema. Este ano, a Desenvolve RR já liberou R$ 120 mil para produtores rurais e R$ 250 mil para o crédito comercial, somando R$ 370 mil.

O presidente da Desenvolve RR, Weberson Pessoa, afirmou que o fomento aos pequenos negócios gera empregos. “Isso vai fazer com que essas pessoas possam melhorar e aumentar seus negócios e, com isso, gerar emprego que hoje é um grande problema do nosso país”, argumentou.

A empresária Thainara Lopes está começando seu negócio de material de construção e disse que o crédito é um incentivo. “Esse crédito é essencial para o microempreendedor que está começando, é um estímulo para dar a etapa inicial" explicou.

LICENÇAS AMBIENTAIS – Na ocasião, também foram entregues duas licenças ambientais pela Femarh, sendo uma para agricultura e outra para pecuária.

A licença ambiental permite ao produtor a possibilidade de buscar crédito e financiamentos em instituições financeiras que disponibilizam linhas de crédito apenas para propriedades ambientalmente regularizadas

Publicado em DESTAQUES

O Governo do Estado em conjunto com a Abrafrutas (Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados) e CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil) trabalham na elaboração do Plano Estadual de Desenvolvimento da Fruticultura.

Roraima é o primeiro Estado a ter um plano desenvolvido nos mesmos moldes do plano nacional. O documento viabiliza o planejamento de ações que fomentem o crescimento do setor, movimentando a economia, gerando emprego e renda.

Para debater a importância desse Plano, o Governo do Estado por meio da Seapa (Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento) organizou uma roda de conversa com a Abrafrutas e a CNA, no espaço destinado a Rota do Agronegócio.

O governador Antonio Denarium listou as vantagens de investir na fruticultura em Roraima.

“Com a elaboração do Plano de Desenvolvimento Estadual da Fruticultura iremos alavancar o setor fazendo com que nossas frutas e subprodutos dela cheguem a todo o Brasil e até o mundo. Roraima tem um diferencial por ter boa parte do território acima da linha do Equador, por isso produzimos na entressafra brasileira e junto com a americana, o que possibilita chegarmos a outros mercados”, destacou o governador.

Ele ressaltou também a importância os esforços do Governo do Estado no trabalho de defesa no combate à mosca-da-carambola. “Não temos medido esforços para fortalecer a fruticultura em Roraima. Prova disso é que conseguimos junto ao MAPA a revogação da resolução que impedia que nossas frutas fossem exportadas”, comemorou.

O titular da Seapa, Emerson Baú, afirmou que a fruticultura é extremamente estratégica para a economia. “É um segmento que tem geração de emprego e renda altamente impactante. Segundo os estudos, para cada hectare de fruticultura há geração de dois empregos. Estamos trabalhando em conjunto com a Abrafrutas, que engloba os principais exportadores de frutas do Brasil. Temos uma pessoa estratégica que vai participar dessa roda de conversa para mostrar que pontos positivos nós temos”, disse.

TÍTULO - Na terceira noite de AgroShow, nesta sexta-feira, dia 6, o presidente da Abrafrutas, Luiz Roberto Barcelos, recebeu o titulo de embaixador da fruticultura de Roraima.

Ele ressaltou a importância da fruticultura para Roraima. Ele afirmou que é um privilégio ser nomeado em tal função.

“Temos visitado muitas propriedades e vemos o empreendedorismo em todos os agricultores. O Governo do Estado, junto da iniciativa privada, vem agora ser coroada com a formação desse grupo que irá trabalhar na elaboração deste plano estadual. A partir daí as ações serão mais organizadas, a comunicação entre todos os atores vai fluir melhor e com certeza vai ser um sucesso”, declarou.

O assessor Técnico da CNA, Eduardo Caldas, ressaltou as vantagens logísticas de Roraima. “A posição geográfica é muito favorável, estamos muito próximos do Caribe, Estados Unidos, podendo alcançar a Europa. Existe um potencial grande de uma fruticultura voltada para a exportação. Vamos debater, discutir e incentivar essa atividade. O Governo tem feito um bom trabalho em cima disso, defende a fruticultura e é por isso que estamos aqui, para trabalhar cada vez mais essa fruticultura que gera empregos, distribui renda tem um papel socioeconômico gigante”, pontuou.

 

Publicado em DESTAQUES

Um atrativo a mais para quem busca entender como funciona o agronegócio no Estado, produtores e estudantes participaram nesta sexta-feira, 6, da palestra sobre as Potencialidades da cultura do algodão em Roraima, na Feira Agropecuária AgroShow, que tem apoio do Governo de Roraima.

A palestra foi ministrada pelo produtor rural Afrânio Vebber e o engenheiro Agrônomo Matheus Vebber, que expuseram aos participantes todo processo de cultivo e colheita do algodão, inclusive técnicas para aplicação de defensivos para o combate a pragas.

De acordo com os dados da Seplan (Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento) Roraima teve uma evolução em ralação a áreas do plantio de algodão. Em 2017 foram plantados 4.800 hectares. No ano seguinte a área plantada subiu para 6.000 hectares. A expectativa para 2019 é de que a área suba ainda mais, fechando um total de 7.175 hectares.

De acordo com Afrânio Vebber, o Governo junto às instituições federais têm contribuído para que a produção da cultura de algodão se desenvolva no Estado de Roraima.

"Esse é um evento muito importante, e aqui temos a oportunidade de abordar todas as potencialidades do Estado. Nós plantamos soja, milho, capim, feijão e o algodão é mais uma. Acredito que todas as propriedades devem produzir um pouco de cada cultura. O Governo e o Ministério da Agricultura estão fazendo o possível para que o setor se desenvolva ", disse.

Na 4ª safra, de 1.000 hectares de algodão tipo pluma, o rendimento por hectare pode alcançar até três vezes mais o hectare plantado de soja, porém os custos para o cultivo são mais elevados.

Na balança comercial, o algodão está sendo comercializado para vários países, conforme explicou Afrânio.

“Nós temos o mercado nacional, mas fizemos exportação também, que inicia pela Venezuela. O Brasil comercializa algodão para China, Índia, Bangladesh. São vários países que têm nos procurado”, destacou.

Publicado em DESTAQUES

Pelo menos 50 visitantes participaram das palestras "Tecnologias em Nutrição de plantas: impactos na rentabilidade da soja, milho e arroz", apresentada por Leonardo Görgen, especialista Agrônomo da empresa Yara Brasil, e "Desafios e perspectivas da produção de hortaliças no lavrado roraimense", ministrada pelo professor doutor Jandiê Araújo da Silva, da Universidade Federal de Roraima.

A ideia foi explicar a importância da produção desses itens e como isso pode ajudar Roraima a se desenvolver e conseguir maior independência econômica.

Da Bahia e pela primeira no Estado, Leonardo Görgen vê em Roraima grande potencial produtivo, porque, segundo ele, a região oferece opções e tem muita demanda de exportação.

"Hoje foi apresentada uma conversa sobre tecnologia em nutrição de plantas voltada a culturas que são cultivadas no Estado. São temas bastantes ligados ao cenário roraimense e de suma importância porque Roraima é o principal produtor de alimentos do Amazonas, o estado vizinho sobrevive basicamente do que é produzido aqui e o restante compram de fora, o que torna interessante o investimento", acrescentou.

O professor Jandiê Araújo pontuou a importância de investir em tecnologia para produzir hortaliças, o que foi tema da apresentação. Segundo ele, 1 hectare de hortaliça gera em torno de 4 a 6 empregos diretos.

"Temos um aumento populacional, um consumidor mais exigente porque frisa a qualidade de vida, por isso a importância de investir", afirmou.

Além disso, ele acrescentou que o Estado é promissor principalmente porque temos solo apropriado para isso e clima favorável para a produção de hortaliças.

Publicado em DESTAQUES

Usuários do interior que tiveram o fornecimento de água suspenso por falta de pagamento estão realizando a religação indevidamente. A prática foi constatada pela Caer (Companhia de Águas e Esgotos de Roraima) em alguns municípios e vem gerando transtornos.

 Em agosto, a Companhia realizou uma análise rigorosa no setor comercial, onde foi identificado um alto volume de dívidas atrasadas, praticamente em todos os municípios, de cerca de R$ 35 milhões. Devido a isso, desde o dia 19 de agosto a Companhia vem executando cortes no fornecimento dos usuários inadimplentes.

 “Pedimos à população que não faça a religação sem autorização do órgão, pois ela não tem conhecimento técnico para isso. Além disso, a religação irregular ocasiona problemas em nossa rede e também gera uma multa no valor de R$ 285”, explicou o diretor Comercial e Interior, Cícero Batista.

 A suspensão do fornecimento de água por inadimplência ocorre para ligações comerciais, residenciais e industriais que estiverem com o pagamento das contas em atraso por 90 dias ou mais.

A empresa orienta os usuários que estejam com contas de água atrasadas que compareçam aos postos de atendimento da empresa, disponíveis nas agências do interior, para regularizar a situação financeira e evitar transtornos maiores.

  AVISO - O aviso de débito emitido pela Caer é uma das formas mais diretas de alertar o usuário quanto às penalidades, pois com as faturas em aberto, o corte é inevitável. O aviso de débito é informado em um campo na própria conta mensal de água dos usuários inadimplentes.

Já a ordem de corte é enviada junto à fatura. Neste documento a Caer alerta o usuário quanto às sanções, caso haja qualquer interferência indevida no ramal predial de água. Além da multa de R$ 258,96, o morador terá o nome negativado junto ao Serasa. Se o usuário for reincidente, além da notificação de nova multa, a Caer tomará as medidas necessárias, conforme previsto nos art. 155 e 156 do Código Penal.

 Cronograma de cortes no interior

    

 CARACARAÍ

 

Corte em andamento e em fase de fiscalização 

        

  MUCAJAÍ

 

 Corte em andamento

     

BONFIM

 

Corte em andamento

 

PACARAIMA

 

Corte começa 09 de setembro

 

NORMANDIA

 

 Corte começa 09 de setembro

SÃO LUIZ DO ANAUA

Corte em andamento

AMAJARI -

Corte começa  09de setembro

CANTÁ -

Corte em andamento e em fase de fiscalização 

RORAINÓPOLIS

Corte em andamento 

CAROEBE

Corte em andamento  

 

SÃO JÕAO DA BALIZA

Corte em andamento

 

ALTO ALEGRE

 

Previsão para  01/10/2019