Mostrando itens por marcador: governoderoraima

Segunda, 08 Junho 2020 01:58

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO

O Governo de Roraima, por meio da Sesau (Secretaria de Saúde), e do COERR (Centro de Operações Especiais de Saúde Pública de Roraima) torna pública a divulgação do BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO PARA ATUALIZAÇÃO SOBRE O CORONAVÍRUS.

A divulgação da situação epidemiológica com relação à doença faz parte do Plano de Contingenciamento montado pelas autoridades de saúde do Estado.

As publicações vão ocorrer diariamente no site da Sesau (www.saude.rr.gov.br) e no portal roraimacontraocorona.rr.gov.br.

A nova atualização informa o Estado contabiliza até o momento 9.581 notificações para a COVID-19, de acordo com os critérios de definição de caso do Ministério da Saúde.

Destes, 5.768 foram confirmados segundo município de residência, 3.813 foram descartados e 145 óbitos.

Com relação apenas as confirmações para a doença, 119 em Alto Alegre, 44 no Amajari, 4.423 casos foram notificados em Boa Vista, 95 em Bonfim, 211 no Cantá, 29 em Caracaraí, 89 em Caroebe, 20 em Iracema, 124 em Mucajaí, 26 em Normandia, 206 em Pacaraima, 187 em Rorainópolis, 63 em São João da Baliza, 46 em São Luiz e 13 em Uiramutã.

Já sobre os casos descartados, 104 em Alto Alegre, 22 em Amajari, 2.982 notificações ocorreram em Boa Vista, 67 em Bonfim, 85 no Cantá, 11 em Caracaraí, 111 em Caroebe, 20 em Iracema, 112 em Mucajaí, 10 em Normandia, 75 em Pacaraima, 54 em Rorainópolis, 62 em São João da Baliza, 57 em São Luiz e 01 em Uiramutã.

O Estado também contabiliza 145 óbitos por Coronavírus (COVID-19), 03 em Alto Alegre, 01 em Amajarí, 122 no município de Boa Vista, 03 no Bonfim, 03 no Cantá, 01 em Caroebe, 01 em Iracema, 01 em Mucajaí, 03 em Pacaraima, 04 em Rorainópolis, 01 em São Luís e 01 em Uiramutã. 

Além disso, 1.440 pacientes diagnosticados com a doença receberam alta de isolamento e encontram-se recuperados.

Deste total, 25 em Alto Alegre, 01 em Amajari, 1.176 são de Boa Vista, 23 de Bonfim, 07 do Cantá, 39 em Caroebe, 16 em Mucajaí, 02 em Normandia, 34 em Pacaraima, 70 em Rorainópolis,15 em São João da Baliza e 30 de São Luiz. Por conta do crescimento de casos, a OMS (Organização Mundial de Saúde) declarou que o mundo vive uma pandemia da doença.

Publicado em DESTAQUES

O Governo de Roraima, por meio da Femarh (Fundação do Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos), inicia nesta segunda-feira, 8, o cadastramento de pequenos agricultores do município de Iracema no CAR (Cadastro Ambiental Rural). Serão atendidos, do dia 8 ao dia 19 de junho, proprietários de terras de até quatro módulos fiscais.

De acordo com Ana Carolina Rodrigues, chefe da Divisão de Educação Ambiental da Femarh, as atividades começarão nessa segunda-feira, dia 8, pelo PA (Projeto de Assentamento) Massaranduba.

“O atendimento aos pequenos produtores que possuem propriedade de até quatro módulos fiscais iniciará no dia 8 de junho, no PA Massaranduba, e seguirá até o dia 10. Em seguida, a equipe estará no PA Maranhão, nos dias 11 e 12, e nos dias 13, 14 e 15, no PA Japão, atendendo também os produtores do PA São José e demais interessados”, disse.

Na terça-feira, 16, a equipe estará em Campos Novos e, entre os dias 17 e 18 de junho, o atendimento será na sede do município.

Para realizar o cadastro, o produtor deve apresentar Carteira de Identidade e CPF. Se for casado ou possuir união estável, levar os documentos dos companheiros (as). Se o companheiro (a) for falecido, levar atestado de óbito. São necessários também mapa, memorial descritivo da propriedade, contrato de compra e venda, contrato de desistência de imóvel, título da propriedade, espelho (imóveis de assentamento), declaração de posse, ou qualquer outro documento da propriedade.

De acordo com o presidente da Femarh, Ionilson Sampaio, o projeto do CAR foi apresentado pela Femarh e aprovado junto ao Fundo Amazônia e BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e tem o objetivo de promover a inscrição de 14.249 imóveis rurais, no prazo de seis meses, em 12 municípios do Estado de Roraima, com exceção de Uiramutã, Pacaraima e Normandia.

Segundo Ionilson Sampaio, o projeto está reestruturado em dois componentes, um para pequenos produtores rurais (até quatro módulos fiscais) de nove municípios de Roraima inscritos no CAR, e outro de Instituições de monitoramento, controle e responsabilização ambiental fortalecidas.

“O CAR é obrigatório para todas as propriedades rurais que existem no país, e hoje é feito de forma declaratória através do Siscar (Sistema Nacional de Cadastro Ambiental Rural), em que o produtor informa a situação ambiental da sua propriedade, o que muitas das vezes demanda custos por não ser um procedimento simples. Assim, o Governo de Roraima, por intermédio da Femarh, através do convênio firmado com o BNDES com recursos do Fundo Amazônia, vai realizar o cadastro de forma gratuita para 14 mil imóveis rurais de até quatro módulos fiscais, beneficiando os produtores da agricultura familiar do Estado”, destacou Ionilson.

Após a realização do CAR, o órgão ambiental vai conseguir identificar quais são os passivos ambientais das propriedades bem como os ativos. “Aquele produtor que tiver um passivo em sua propriedade terá a oportunidade de se regularizar, aderindo ao PRA (Programa de Regularização Ambiental), que será definido posteriormente pela Femarh. Será a oportunidade para aquelas pessoas que se encontram com suas propriedades em situação ambiental irregular de vir para a legalidade”, destacou o presidente.

Ionilson Sampaio lembrou ainda da importância da realização do CAR. “Acredito que é uma ferramenta de extrema importância para que a gente possa depois utilizar dos nossos ativos, sabendo quanto temos de floresta, reserva legal, áreas de preservação permanente, para que isso também possa vir a ser utilizado em benefício ao produtor rural e consequentemente ao Estado”, disse.

Vale destacar ainda que, sem a realização do CAR, o produtor não consegue acesso ao crédito através das instituições financeiras. “O cadastro é obrigatório nas operações de crédito e agora o Governo do Estado vai promover isso de forma gratuita à agricultura familiar. Após a finalização dessa primeira etapa, em meados no mês de setembro, pretendemos já estar trabalhando para pleitear mais recursos, a fim de atender mais produtores do Estado com a ampliação do cadastro, fechando 100% da agricultura familiar”, destacou Ionilson.

CUIDADOS PARA EVITAR CONTÁGIO PELO COVID-19

Em razão da pandemia causada pelo Sars-Cov-2, todas as precauções estão sendo tomadas pela equipe de atendimento, a fim de evitar aglomerações.

Além disso, a orientação é seguir as recomendações preventivas, entre as quais, manter distanciamento físico; lavar as mãos com água e sabão constantemente, ou higienizá-las com álcool 70%; usar máscara. 

 

 

Publicado em DESTAQUES

Gratidão: É com esse sentimento que a fisioterapeuta Kathelly Ellen de Araujo, de 30 anos, celebrou a notícia da alta hospitalar, recebida essa semana, no HGR (Hospital Geral de Roraima Rubens de Souza Bento). Ela foi acometida pelo Coronavírus (COVID-19) e, depois de passar três dias internada, evoluiu bem ao tratamento, melhorou o quadro clínico e recebeu a liberação médica, para seguir com a recuperação em casa.

Foram dias difíceis, mas a fé foi um dos sentimentos que esteve sempre presente na vida dela.

“Eu estava meio que preparada para o resultado positivo, porque passei dez dias em casa com sintomas muito específicos, então segui confiante no tratamento, sempre com Deus à frente de todas as minhas orações. Essa semana ficará na minha memória com um significado muito especial. Marca um momento de vitória, de renovação.”, disse.

Kathelly trabalha na área de saúde há seis anos e percebeu o quanto os profissionais de saúde são importantes para a recuperação do paciente.

“Não foi fácil, tive complicações em casa, precisei ser internada. Não tive medo de contrair a doença, mas tive medo sim da evolução dela, porque senti muita falta de ar, e nenhuma posição melhorava, nada que eu fizesse tinha resultado positivo, então tive medo da doença evoluir e de eu precisar de uma ajuda de aparelhos. E cada colega que esteve ali ao meu lado teve um papel importante, porque todos me trataram muito bem, e esse cuidado nos conforta”, agradeceu.

Ela explica que muitas pessoas desafiam a doença e precisam estar atentas.

“Essa doença nos abala muito, o isolamento maltrata principalmente no meu caso que tenho dois filhos e a caçula ainda mama. O afastamento foi bem difícil, mas eu tentei evitar contato e graças a Deus meus filhos não têm nenhum sinal e nenhum sintoma.

Fé nunca me faltou, sempre tive em toda a minha vida e foi a fé em Deus que me manteve de pé e o apoio da minha família e amigos, que, mesmo de longe, sempre me fizeram sentir amada. As pessoas precisam valorizar a vida dos seus entes queridos e fazer o seu papel na prevenção e combate dessa doença”, enfatizou.

Outra fisioterapeuta que está entre as 1.440 pessoas que receberam diagnóstico de cura para a COVID-19 é a Melícia Lourdes Leitão Boni, de 37 anos.

Ela também foi acometida pela doença e precisou de um tempo maior para se recuperar.

Melícia explica que sentiu uma exaustão física e psicológica muito grande.

“No dia 28 de abril, durante o trabalho, eu comecei a sentir mal-estar, como se fosse uma gripe muito forte. Nesse dia eu tinha acordado sem sentir o cheiro das coisas e com o corpo muito dolorido e febre, por isso achei estranho. Fui trabalhar, mas os sintomas continuaram e então passei pelo médico e fui afastada por três dias”, disse.

A fisioterapeuta realizou o exame e o resultado foi positivo e já deu início ao tratamento em casa. Mas no começo não reagiu bem. 

“Eu fiquei debilitada, sentia muita dor de cabeça e náuseas, por isso decidimos que me filho ficaria na casa da minha mãe, e apenas eu e meu esposo ficaríamos em casa, porque eu não estava bem. Continuei com o tratamento, mas sentia muito cansaço, e cheguei a ficar de cama. Fiquei os 14 dias em casa e não melhorei. Passei por nova avaliação e fiquei mais sete dias em casa, porque sentia um cansaço excessivo. Graças a Deus eu melhorei e não precisei ficar internada”, explicou.

Depois da recuperação e da alegria de receber o diagnóstico de cura, Melícia voltou ao trabalho. Desta vez, com um olhar especial sobre a vida.

“Foi uma experiência única, sofrida, tensa, mas de reflexão também, principalmente sobre a importância da vida, do amor da família”, finalizou.

Em Roraima, os registros da doença podem ser acompanhados pelo Boletim Epidemiológico elaborado pelo CIEVS (Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde), divulgado pela Sesau.

“O Boletim é a única fonte oficial de informação sobre a situação epidemiológica relacionada ao Coronavírus (COVID-19), no Estado. E está disponível no site da Sesau, no endereço  www.sesau.rr.gov.br, e na plataforma roraimacontraocorona.rr.gov.br,  onde as pessoas podem ter acesso a informações importantes sobre a doença. É fundamental que as pessoas busquem informações oficiais e estejam bem informadas, e que também atendam às medidas de enfrentamento dessa doença”, reforçou a secretária-adjunta da Saúde, Fabiana  Zimmernann.

Publicado em DESTAQUES
Domingo, 07 Junho 2020 08:03

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO

O Governo de Roraima, por meio da Sesau (Secretaria de Saúde), e do COERR (Centro de Operações Especiais de Saúde Pública de Roraima) torna pública a divulgação do BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO PARA ATUALIZAÇÃO SOBRE O CORONAVÍRUS.

A divulgação da situação epidemiológica com relação à doença faz parte do Plano de Contingenciamento montado pelas autoridades de saúde do Estado.

As publicações vão ocorrer diariamente no site da Sesau (www.saude.rr.gov.br) e no portal roraimacontraocorona.rr.gov.br.

A nova atualização informa o Estado contabiliza até o momento 9.209 notificações para a COVID-19, de acordo com os critérios de definição de caso do Ministério da Saúde.

Destes, 5.529 foram confirmados segundo município de residência, 3.680 foram descartados e 142 óbitos.

Com relação apenas as confirmações para a doença, 116 em Alto Alegre, 44 no Amajari, 4.210 casos foram notificados em Boa Vista, 93 em Bonfim, 201 no Cantá, 29 em Caracaraí, 89 em Caroebe, 19 em Iracema, 124 em Mucajaí, 19 em Normandia, 203 em Pacaraima, 187 em Rorainópolis, 63 em São João da Baliza, 46 em São Luiz e 13 em Uiramutã.

Já sobre os casos descartados, 101 em Alto Alegre, 21 em Amajari, 2.863 notificações ocorreram em Boa Vista, 67 em Bonfim, 80 no Cantá, 11 em Caracaraí, 111 em Caroebe, 20 em Iracema, 111 em Mucajaí, 09 em Normandia, 75 em Pacaraima, 54 em Rorainópolis, 61 em São João da Baliza, 57 em São Luiz e 01 em Uiramutã.

O Estado também contabiliza 142 óbitos por Coronavírus (COVID-19), 03 em Alto Alegre, 01 em Amajarí, 119 no município de Boa Vista, 03 no Bonfim, 03 no Cantá, 01 em Caroebe, 01 em Iracema, 01 em Mucajaí, 03 em Pacaraima, 04 em Rorainópolis, 01 em São Luís e 01 em Uiramutã.

Além disso, 1.440 pacientes diagnosticados com a doença receberam alta de isolamento e encontram-se recuperados.

Deste total, 25 em Alto Alegre, 01 em Amajari, 1.176 são de Boa Vista, 23 de Bonfim, 07 do Cantá, 39 em Caroebe, 16 em Mucajaí, 02 em Normandia, 34 em Pacaraima, 70 em Rorainópolis,15 em São João da Baliza e 30 de São Luiz. Por conta do crescimento de casos, a OMS (Organização Mundial de Saúde) declarou que o mundo vive uma pandemia da doença.

Publicado em DESTAQUES

Com intuito de mapear o campo cultural de Roraima e fazer um levantamento de dados mais amplo de toda a economia criativa do Estado, o CEC (Conselho Estadual de Cultura) está realizando um cadastramento de artistas, técnicos e espaços culturais. Além dos objetivos citados, o CEC também prevê contribuir para políticas públicas culturais, ajudando, assim, os cadastrados a terem acesso a recursos públicos. O cadastramento é inteiramente digital e segue até o dia 31 de agosto.

O cadastramento é um chamamento público, divulgado em todas as plataformas da Secult (Secretaria de Cultura) para reunir os envolvidos com a classe cultural do Estado de Roraima. O titular da pasta, Johnson Castro, ressaltou ser importante que os artistas e demais fazedores de cultura realizem o procedimento dentro do prazo estabelecido pelo CEC.
“O Conselho vai montar um banco de dados com todas as informações, não só dos nossos artistas, mas também de técnicos e espaços culturais. Assim, ficará mais fácil organizar eventos, além de dar mais visibilidade ao segmento com informações mais precisas. Todo tipo de organização é bem-vinda e isso, com certeza, facilitará várias ações futuras, sempre beneficiando a classe”, enfatizou.
De acordo com o vice-presidente do CEC, Cláudio Lavôr, o procedimento, por ser em plataforma digital, pode e deve ser feito de qualquer município de Roraima. De acordo com o CEC, um dos objetivos é ajudar os cadastrados a terem acesso a recursos públicos, como os do Fundo Estadual de Cultura, além de ser um passo necessário para as futuras eleições do Conselho, tanto como eleitor como candidato.  

CADASTRO – Para realizar o cadastramento, os artistas, técnicos ou responsáveis por espaços culturais devem acessar o link https://forms.gle/429bzV91zkj3nqs98 e preencher as informações. 

Publicado em DESTAQUES
Neste sábado, 6, Dia Nacional do Teste do Pezinho, a Sesau (Secretaria de Saúde) faz um alerta aos pais sobre a importância do exame. O teste do pezinho é uma das principais formas de diagnosticar precocemente doenças congênitas, infecciosas e metabólicas, como a anemia falciforme, nas crianças recém-nascidas.

Apesar da importância do exame, os dados do Same (Serviço de Arquivamento Médico e Estatístico) do HMI (Hospital Materno Infantil) apontam que, em 2019, 4068 bebês foram testados. Até o mês de maio de 2020, 1272 recém-nascidos fizeram o teste do pezinho.

 “O exame deve ser realizado entre o 3° e o 5° dia de vida do bebê. Quanto mais cedo for identificada alguma alteração no teste, mais rápido pode-se iniciar um tratamento e evitar sequelas ao bebê”, salientou a pediatra do HMI, Patrícia Cavalcante.

A coordenadora de Triagem Neonatal da Sesau, Raissa Andrade, reforça aos pais que o exame é feito de forma gratuita e pode ser realizado facilmente no HMI.

 “O exame é feito na Maternidade, tanto para os bebês nascidos lá, quanto para os que nascem em hospitais particulares. É gratuito e rápido. Basta uma pequena picadinha no calcanhar do recém-nascido para coletar uma amostra de sangue”, explicou.

Os pais podem levar o bebê, a partir do terceiro dia de vida, para realizar o teste. É nesse período que o intestino do recém-nascido começa a funcionar, devido à amamentação. Somente após isso, doenças ligadas ao metabolismo poderão ser identificadas.

O teste consegue identificar seis doenças: fenilcetonúria, hipotireoidismo congênito, doença falciforme, fibrose cística, deficiência de biotinidase e hiperplasia adrenal congênita.
Publicado em DESTAQUES

Acompanhado de secretários de Estado e de deputados das bancadas federal e estadual, o governador Antonio Denarium inspecionou, na manhã deste sábado, 6, obras de construção, ampliação e reforma do complexo hospitalar do HGR (Hospital Geral de Roraima).

O primeiro local a ser visitado pela comitiva, formada pelos secretários de Infraestrutura, Edilson Lima, da Saúde, Marcelo Lopes, da Casa Civil, soldado Sampaio, da Casa Militar, coronel Elson Paiva; de Comunicação, Doan Rabelo, deputado federal Ottaci Nascimento, e deputados estaduais Renato Silva, Neto Loureiro e Marlon Maia, foi o Bloco E, anexo do HGR.

Com investimento de R$41 milhões de recursos pagos pelo Governo de Roraima e previsão de término no segundo semestre deste ano, o Bloco E terá 70 leitos no primeiro piso; 60 no segundo; 40 leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) no terceiro; e dez salas cirúrgicas no quarto piso.

“A construção do Bloco E está em fase de conclusão. Reiniciamos esta obra no mês de março de 2020; e nossa meta é entregar o mais rápido possível para a população. Estamos reformando também o Bloco B do HGR e ampliando o Grande Trauma, que terá mais 27 leitos na Ortopedia. Aqui, no anexo, teremos 120 leitos de enfermaria; 40 leitos de UTI e dez centros cirúrgicos. Temos quatro centros cirúrgicos no HGR e realizamos cerca de 40 cirurgias por dia. Com 14 salas cirúrgicas, este número será muito maior”, ressaltou Antonio Denarium.

“Estamos construindo agora a parte da subestação, reservatório de água e estação elevatória de esgoto. Na parte interna, estamos fazendo as ligações de gases medicinais; cabeamento estruturado e de ar condicionado. Devemos concluir a obra no segundo semestre, entre os meses de setembro e outubro”, disse o secretário de Infraestrutura, Edilson Lima.  

Também em estágio adiantado, os serviços de reforma do Bloco B do HGR, que acomoda os setores de Pneumologia e Infectologia, devem ser finalizados no segundo semestre. Estão sendo aplicados na reforma deste Bloco R$ 1.085.308,25, recursos oriundos de emenda parlamentar da ex-senadora Ângela Portela.

A comitiva vistoriou ainda os serviços de reforma e ampliação do Grande Trauma, com previsão de término até o fim deste ano. O setor passará a ter 49 leitos após a conclusão da obra, o dobro da capacidade que tem hoje. Os investimentos são de R$2,7 milhões, provenientes de emenda parlamentar do deputado federal Hiran Gonçalves.

“Estamos construindo o Grande Trauma e reformando o Bloco B. Reformaremos também os Blocos A, C e D do HGR. Na Maternidade, estamos reformando o Bloco das Azaléias, a UTI e o Centro Cirúrgico, com ampliação do número de vagas. Estamos fazendo um trabalho muito intenso em todas as unidades de saúde de Roraima”, frisou Denarium.

“Existem obras já em andamento em Rorainópolis. Vamos reformar e ampliar os hospitais de Pacaraima, Mucajaí, Normandia, Iracema, São João da Baliza e São Luiz do Anauá. Já entregamos reformado o hospital de Alto Alegre, inauguramos o de Caroebe. Vamos inaugurar o de Santa Maria do Boiaçu e, atualmente, o Hospital de Bonfim está sendo reformado. Vivemos um novo momento de união política. Quem sairá ganhando é a população de Roraima”, acrescentou o governador.

O discurso de união em prol da saúde ganhou ressonância entre os demais integrantes da comitiva. “Estamos satisfeitos por observar que as obras não estão paradas. Até o mês de julho, teremos muitos novos leitos. Temos compromisso com a sociedade de ampliar também a quantidade de leitos para a Covid-19; oferecer apoio para inauguração do Hospital de Campanha. A expectativa é boa. Com o apoio do governador Denarium, superaremos este momento. Ele tem se desprendido inclusive de questões político-partidárias, pois a situação carece dessa união. Só com a união de todos, conseguiremos reverter o quadro”, enfatizou o novo secretário da Saúde, Marcelo Lopes.  

“Vivemos um momento de união, de preocupação para resolver os problemas”, afirmou o deputado Ottaci Nascimento. “Percebemos avanços nessas obras desde a última visita técnica. Os trabalhos continuam e o objetivo final é salvar vidas. Estamos juntos nessa batalha”, corroborou o deputado Renato Silva.

Há obras em andamento em vários municípios

Além das obras do complexo do HGR, o Governo de Roraima está com serviços de edificação e reforma de unidades em outras localidades.

Em Rorainópolis, está em construção a Maternidade. A edificação faz parte da ampliação do Hospital Regional Sul Ottomar de Sousa Pinto. O local terá cerca de 80 leitos, dois consultórios, sala de ultrassom, sala de tomografia e dois centros cirúrgicos. Estão sendo investidos R$ 3,8 milhões, oriundos de emenda do ex-deputado federal Remídio Monai.

Também em Rorainópolis, está em execução a construção do CEM (Centro de Especialidades Médicas). A obra, orçada em R$ 1 milhão, proveniente de emenda do ex-deputado federal Remídio Monai, se encontra na fase final dos acabamentos internos das paredes, além da conclusão das instalações elétricas e sanitárias. Após o término, a população terá ofertas de ortopedia, ginecologia, urologia, otorrino, ultrassonografia, eletrocardiograma e oftalmologia.

O Bloco das Azaléias, do Hospital Materno Infantil Nossa Senhora de Nazareth, está passando por reforma e ampliação e contará com cerca de 30 leitos. Após a demolição de boa parte da estrutura que não era mais adequada, a reforma avança com a execução da alvenaria, início das instalações hidrossanitárias, cortes nas paredes para passagem de tubulação elétrica, chapisco e construção de um novo piso. Os recursos de R$ 825 mil são de emenda da ex-senadora Ângela Portela.

No município de Bonfim, o Hospital Hospital Álvaro Rodrigues está sendo reformado e ampliado. Estão sendo investidos R$ 2,8 milhões em recursos repassados pelo Ministério da Saúde, por meio de emenda do deputado federal Jhonatan de Jesus. O local oferecerá uma área construída de 1.884,90 metros quadrados. Contará com 104 ambientes, incluídos os leitos, enfermagem, setor administrativo, rouparia, consultórios, banheiros, sala de isolamento, farmácia e enfermagem, entre outros.

 

Publicado em MANCHETES
Nos últimos meses muitas famílias brasileiras foram obrigadas a mudar a rotina por causa da pandemia, causada pelo Coronavírus (COVID-19), e em Roraima não é diferente. Diante da necessidade de manter o isolamento social muitas crianças e adolescentes tiveram as aulas escolares suspensas, e outros estão mantendo os estudos de forma online. E nesse momento, em que os filhos estão em casa, os cuidados com acidentes domésticos devem ser redobrados.

Neste sábado, 6, Dia Nacional de Luta contra Queimaduras, a Sesau (Secretaria da Saúde),  reforça o alerta sobre os riscos relacionados a acidentes domésticos.

Dados do SAME (Serviço de Arquivamento Médico e Estatístico) do HGR (Hospital Geral de Roraima Rubens de Souza Bento) apontam que, de janeiro a maio, deste ano, 467 pacientes deram entrada no HGR, vítimas de acidentes domésticos, desse total, 30 sofreram queimaduras. No ano passado, dos 1490 registros de acidentes domésticos, 81 foram casos de queimadura.

O número pode parecer baixo, no entanto representa apenas as situações graves, com registro na unidade, por conta da necessidade de atenção emergencial, uma vez que os casos menos graves são tratados em casa.
De acordo com o diretor do corpo clínico do HGR, Dr. Domingos Sávio, com exceção de queimaduras de 3° grau, em que as camadas mais profundas da pele estão sendo afetadas, incluindo os nervos, vasos sanguíneos e músculos, queimaduras mais leves podem ser tratadas em casa.

“No caso queimaduras de 1° e 2° grau, como a insolação, que causa vermelhidão e ardência na pele ou quando se derrama água quente ou se segura um objeto em alta temperatura, por exemplo, os cuidados são os seguintes: sempre colocar o local afetado em água fria corrente e lavar cuidadosamente a queimadura com sabão de pH neutro”, explicou.

O médico explica que não se deve aplicar qualquer produto, como óleo e manteiga e também não se deve estourar as bolhas que geralmente surgem em queimaduras mais leves.

PREVENÇÃO - Algumas medidas muito simples podem ser tomadas para evitar queimaduras.
- Colocar as panelas nas bocas traseiras do fogão e com os cabos virados para trás ou para o lado – jamais para fora-, para evitar que as crianças puxem os cabos;
- Manter cabos e alças em bom estado, para evitar que se soltem e derramem o conteúdo quando você erguer as panelas;
- Evitar a presença de crianças na cozinha quando estiver utilizando o forno ou o fogão;
- Nunca deixe fósforos e isqueiros ao alcance de crianças;
- Mantenha o ferro de passar roupas longe das crianças;
-Guardar solventes, combustíveis (como o álcool) e outros produtos químicos em recipientes adequados, devidamente fechados e fora do alcance de crianças.
Publicado em DESTAQUES

A sexta-feira marcada por um momento especial no HGR (Hospital Geral de Roraima Rubens de Souza Bento). Foi o nascimento de um bebê, após parto cesárea realizado na manhã desta sexta-feira, 5. A mãe, Almiza Cristina Padro Fernandes, de 37 anos, em tratamento da COVID-19, deu à luz uma menina, que veio ao mundo cheia de vida.

A paciente estava sendo acompanhada no HMINSN (Hospital Materno Infantil Nossa Senhora de Nazareth), mas teve o quadro de saúde agravado e foi transferida para o HGR na quarta-feira, 3. Desde à chegada à unidade, recebeu acompanhamento de toda a equipe multiprofissional que atua na linha de frente no combate ao Coronavírus (COVID-19).

“A paciente deu entrada no hospital essa semana e está em tratamento da COVID-19. Ela estava com uma gestação de 28 semanas e apresentava a necessidade do parto, então, desde à chegada dela ao HGR, estávamos monitorando o quadro de saúde e atentos sobre a realização da cesárea”, esclareceu o enfermeiro Bruno Brandão Costa, coordenador de enfermagem do centro cirúrgico do HGR.

O pai se emocionou ao receber a mais nova integrante da família. “Os últimos dias têm sido desafiadores. Estou há cinco noites sem dormir, mas todo o cansaço foi recompensado quando vi minha filha nascer, linda e tão cheia de luz e de vida”, relatou Gracione da Silva Santos.

“Ter um parto nesse momento no HGR é uma esperança para a gente. Temos tido dias tão tensos, com tantas pessoas doentes, tantas pessoas separadas de seus familiares, sem poder ver ninguém e com tantas pessoas sendo obrigadas a ficar separadas por causa dessa doença. Então, ter um parto aqui nos enche de esperança”, complementou Bruno.

Almiza segue internada no hospital em tratamento da COVID-19. A bebê foi levada para o HMINSN, onde também receberá cuidados médicos. Para Gracione, o cuidado da equipe médica no HMI e no HGR foram fundamentais para o parto seguro da filha caçula e da esposa.

“Desde o primeiro momento, que minha esposa deu entrada na maternidade e depois, quando precisou ir para o HGR, recebemos a atenção de cada profissional. Foram anjos da guarda, sempre muito prestativos e atenciosos. Eu só tenho a agradecer toda a equipe. Com essa ajuda, conseguimos realizar o sonho de ver nossa bebê nascer. Agora, vou continuar orando pedindo para Deus que nos mantenha fortes e com a nossa família completa. Minhas forças estão direcionadas agora para receber minha esposa em casa e Ele vai permitir”, disse.

Publicado em DESTAQUES

A evolução dos casos da COVİD-19 no Estado de Roraima será avaliada pela segunda vez, com base em uma pesquisa financiada pelo MS (Ministério da Saúde). O levantamento começou a ser feito nesta quinta-feira, 4, nos municípios de Boa Vista e Rorainópolis e segue até este sábado, 6.

A pesquisa "Evolução da Prevalência de Infecção por COVİD-19 no Brasil: Estudo de Base Populacional" está sendo coordenada pela UFPel (Universidade Federal de Pelotas), do Rio Grande do Sul, e executado em campo pelo Ibope (Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística).

A coordenadora da CGVS (Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde) da Sesau (Secretaria de Saúde), Valdirene Oliveira, informou que os resultados da pesquisa serão utilizados para definição de estratégias para diminuir a disseminação do novo Coronavírus no País. "O estudo vai possibilitar o Ministério da Saúde a ter noção da estimativa de recursos hospitalares necessários ao enfrentamento da pandemia, em articulação com os gestores estaduais e municipais de saúde", explicou.

Valdirene conta que, em cada Estado, foram escolhidos os maiores municípios-sede de cada sub-região intermediária, seguindo os parâmetros de pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). "No caso de Roraima, os municípios de Boa Vista e Rorainópolis foram os escolhidos para que seja realizada a pesquisa do MS. Conforme a metodologia da pesquisa, serão realizados três inquéritos transversais repetidos, de base populacional, com amostragem em municípios sentinelas", ressaltou.

A primeira fase da coleta de dados da pesquisa sobre a insistência de casos de COVID-19 no país aconteceu no período de 14 a 21 de maio. "Como feito na primeira etapa, será aplicado um questionário sobre a existência de doenças preexistentes e possíveis sintomas da COVID-19 nos últimos 30 dias e realização de um teste sanguíneo rápido por punção digital", esclareceu Valdirene.

Ainda de acordo com a coordenadora da CGVS, houve a necessidade de adequar a abordagem dos entrevistadores com os munícipes, levando em conta as recomendações sobre o uso de EPİ (Equipamento de Proteção Individual), o armazenamento e o descarte dos insumos utilizados.

"Todos os indivíduos selecionados para a amostra do inquérito populacional serão informados sobre os objetivos do estudo, riscos e vantagens. O material e as informações só serão coletados após assinatura do termo de consentimento livre e informado. Os casos positivos serão informados à Secretaria de Saúde de cada município e do Distrito Federal, para as providências necessárias", detalhou.

 Ficou com dúvidas?

Para esclarecimentos de dúvidas, basta entrar em contato com A assessoria Técnica do Departamento de Saúde da Família do MS, pelo telefone (61) 3315-9044, ou por e-mail (Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.). O contato também pode ser feito com a coordenação da pesquisa em campo, pelos telefones (11) 3069-9502, 3335-8610, 3315-8583, 3315-8606, 3315.8610, bem como pelo 0800.8005000.

Publicado em DESTAQUES