As guarnições da 3ª Companhia do CBMRR (Corpo de Bombeiros Militar de Roraima), em Pacaraima, atenderam, na noite dessa sexta-feira, 22, uma solicitação de apoio para combate a incêndio em uma área de mata que ameaçava várias residências e a Escola Estadual Cícero Vieira Neto.

Devido às condições climáticas do município, que registra temperaturas de 38 graus, o fogo se alastrou rapidamente e progrediu em direção às residências próximas. Com atendimento eficaz, as guarnições do Caminhão de Combate a Incêndio e de incêndio florestal conseguiram proteger as casas e a escola.

Testemunhas informaram aos bombeiros que o incêndio teria sido provocado por duas pessoas. “Temos informações de que o incêndio iniciou-se de forma proposital. Isso é extremamente preocupante considerando a situação climática do Estado. Além de lidar com os incêndios florestais naturais, temos que lidar com incêndios provocados intencionalmente”, disse o oficial de Operações de Serviço, tenente Nixon.

O CBMRR orienta, em casos, assim que os proprietários dos imóveis prejudicados procurem a Delegacia de Polícia Civil, para registrar a ocorrência e informar que deseja a realização de perícia. O delegado então encaminha ao CBMRR a solicitação.

Além disso, com o intuito de minimizar os efeitos nocivos à população e a degradação do meio ambiente, ocasionados pela prática de queima irregular no perímetro urbano, o CBMRR alerta a população para que não ateie fogo, tendo em vista que tal prática é considerada transgressão pela lei de crimes ambientais, Lei N° 9.605 de 1998.

Conforme a legislação, causar poluição de qualquer natureza em níveis tais que resultem ou possam resultar em danos à saúde humana, ou que provoquem a mortandade de animais ou a destruição significativa da flora é crime passível de punição. A pena para quem comete o crime de poluição é de reclusão, podendo o período variar de seis meses a quatro/cinco anos, além do pagamento de multa.

A alta temperatura durante o período de verão motiva a população a procurar os rios e balneários como forma de lazer. Para manter a segurança dos banhistas, o CBMRR (Corpo de Bombeiros Militar de Roraima) mantém uma Guarnição de Guarda-Vidas da Companhia de Busca e Salvamento, que atua em dois pontos da margem do rio Branco: Praia Grande e Jardim das Copaíbas.

Para desenvolver as atividades, a equipe de seis bombeiros utiliza um barco e uma moto aquática, além de equipamentos de mergulho, flutuação e estabilização, para atendimentos de casos de afogamento.

“Os guarda-vidas realizam trabalho de monitoramento e atendimento imediato na Praia Grande e Jardim das Copaíbas, com a verificação de possíveis situações que possam vir a colocar em risco a vida dos banhistas. As demais praias e locais de balneários de Boa Vista ficam sob a responsabilidade da Defesa Civil municipal”, explica o tenente do CMBRR, Fábio Waisman.

Conforme ele, os rios e balneários são uma opção de lazer e nesses locais as pessoas costumam ingerir bebidas alcoólicas, o que pode resultar em perigo para a segurança desses banhistas. “O que as pessoas não se atentam é que esse ato [consumo de bebida alcoólica] acaba reduzindo os reflexos e a coordenação motora; e os locais com água se tornam extremamente perigosos”, pontuou. 

Outra situação preocupante para os bombeiros é a seguranças das crianças. “Muitos pais acabam levando os filhos para se divertir nas praias, porém, em um momento de descuido, as crianças podem sair do campo de visão, indo em direção à água, o que pode ocasionar o afogamento. Por isso, orientamos sempre atenção redobrada por parte dos responsáveis, quando estiverem com crianças, a fim de evitar afogamentos”, alertou o tenente.

ATAQUES DE PIRANHAS - Waisman reforça ainda os cuidados para evitar ataques de piranhas, que têm sido frequentes nas praias de Boa Vista. “O Corpo de Bombeiros mantém placas de sinalização em áreas de possível ataques de piranhas. Para evitar incidentes dessa natureza, as pessoas não devem consumir alimentos dentro da água, pois os resíduos das comidas atraem os peixes”, destacou.

Ele ressalta que, em caso de urgência e emergência, em quaisquer locais de praias e balneários, a população pode acionar o Corpo de Bombeiros por meio do número 193.

COMPANHIA - A CBS (Companhia de Busca e Salvamento) do CBMRR é responsável por vários serviços na área operacional, dentre eles, o resgate e captura de animais, controle de insetos (abelha), salvamento terrestre, resgate em estruturas colapsadas, buscas de perdidos em matas, resgate veicular, salvamento em altura, resgate em planos elevados, serviços de guarda-vidas, prevenção de afogamentos, missões de mergulho, busca de bens imersos em líquidos (rios, lagos, etc.), e busca e recuperação de afogados.

No início da tarde desta quarta (20), a guarnição de combate a incêndios florestais do CBMRR (Corpo de Bombeiros Militar de Roraima) foi acionada para uma ocorrência de incêndio próximo ao posto da Polícia Rodoviária Federal, localizado na BR-174.

Devido ao clima seco e a força do vento, o incêndio se alastrou rapidamente e criou chamas altas e uma grande linha de fogo. O incêndio chegou a ameaçar os veículos apreendidos pela PRF, mas as guarnições do CBMRR conseguiram direcionar as chamas para uma vicinal próxima onde o incêndio foi controlado e extinto por completo.

"Mais uma vez, o Corpo de Bombeiros Militar solicita que os produtores rurais não utilizem o fogo como técnica de preparo de terra ou renovação de pasto. O clima seco atual do Estado de Roraima está propício para que os incêndios se propaguem para fora da área destinada a queima. A mesma recomendação deve ser observada pelos condutores de veículos ao longo das estradas, para que não lancem elementos que possam provocar incêndio", alertou o subcomandante Geral do CBMRR, coronel Anderson Carvalho.

INVESTIGAÇÃO - Todas as ocorrências de incêndios com suspeita de terem sido iniciadas de forma criminosa estão sendo repassaras aos órgãos ambientais para apuração e responsabilização criminal dos responsáveis.

Só em março, CBMRR registra mais de 250 ocorrências de incêndios florestais. Nos 20 primeiros dias do mês de março, o CBMRR atendeu mais de 250 ocorrências de incêndio nos mais variados tipos de vegetação (Lavrado/Cerrado, Floresta Nativa, Floresta Plantada, Área de Preservação Ambiental, etc).

 Em Janeiro, as Guarnições de Combate a Incêndios Florestais combateram 234 ocorrências. Já em Fevereiro foram 353 atendimentos. No total de 2019, o CBMRR atendeu 842 ocorrências desta natureza, tanto na Capital como nos município do Interior de Roraima.

Publicado em Secom