Quinta, 22 Agosto 2019 15:26

CELERIDADE | Polícia Civil faz mutirão para analisar 350 inquéritos contra dignidade sexual Destaque

Escrito por ASCOM/POLÍCIA CIVIL
O mutirão foi determinado pelo delegado geral, Herbert de Amorim Cardoso O mutirão foi determinado pelo delegado geral, Herbert de Amorim Cardoso Samuel Brandão

Com o foco na redução, tramitação e conclusão de Inquéritos Policiais que investigam crimes contra a dignidade sexual, sem prejuízo dos atendimentos realizados no expediente na DEAM (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), o delegado Geral da Polícia Civil de Roraima, Herbert de Amorim Cardoso instituiu um mutirão na Unidade Especializada. Os trabalhos encerram em 90 dias.

As ações de logísticas serão coordenadas pela delegada titular da DEAM, Débora Monteiro. Entretanto, as investigações serão presididas pela delegada Catherine Saraiva que contará com o apoio de uma equipe formada por agentes e escrivães.

A diretora do DHPP (Departamento de Homicídio e Proteção a Pessoa), Elivânia Aguiar, informou que neste mutirão tramitam aproximadamente 350 inquéritos contra a dignidade sexual.

 “Entende-se como crimes contra a dignidade sexual os casos de estupros, violação sexual mediante fraude, assédio sexual e importunação sexual”, destacou a diretora.

 Ela acrescentou que a equipe de policiais designada vai cumprir todas as diligências necessárias, oriundas dos procedimentos que tramitam no mutirão.

Para fins de produtividade, a delegada que compõe a equipe deverá encaminhar mensalmente, até o 5º dia útil do mês subsequente, para a coordenadora, bem como, para o DHPP o relatório mensal, constando as atividades desenvolvidas nos inquéritos.

A medida, segundo o delegado geral, Herbert de Amorim Cardoso visa dar maior celeridade aos inquéritos que tramitam na DEAM contra a dignidade sexual e, também, uma resposta principalmente às vítimas e à Justiça.

A delegada Catherine Saraiva assegurou que os trabalhos já começaram. “Estamos dando andamento a todos os inquéritos que apuram fatos de crimes sexuais, como estupros, assédios sexuais e outros. Já começamos as diligências, foram expedidas várias ordens de missão, intimações. Nossa equipe está na rua para elucidar o mais breve possível esses crimes, dando uma resposta às vítimas e a sociedade”, disse.