Terça, 28 Janeiro 2020 23:51

Pecuária em Roraima apresenta avanços em relação aos anos anteriores Destaque

Escrito por RODRIGO SANTANA
O rebanho de Roraima saltou de 817 mil para 879 mil cabeças de gado   O rebanho de Roraima saltou de 817 mil para 879 mil cabeças de gado SECOM/RR

Roraima é um dos estados da região Norte com grande potencial para a criação de gado. O setor produtivo em 2019 registrou saldo positivo quanto ao número de população bovina e aos animais guiados para abate. O Governo de Roraima assumiu um papel importante nesse processo devido aos novos investimentos.

Ao analisar os dados divulgados esta semana pela Aderr (Agência de Defesa Agropecuária do Estado de Roraima), o número de cabeças de gado no Estado saltou de 817.198 mil, em 2018, para 879.543, em 2019. Um crescimento de 62.345 novas cabeças.

O relatório aponta que Mucajaí (131.429) aparece no topo da lista dos municípios com maior número de cabeças de gado, seguido de Amajarí (107.014) e Alto Alegre (88.127).

O presidente da Aderr, Gelb Platão, atribui o aumento da produção bovina no Estado aos investimentos do Poder Executivo Estadual, que por meio da Agência tem atuado na manutenção do status sanitário de livre de febre aftosa com vacinação, possibilitando o acesso a novos mercados.

 “A manutenção do status sanitário livre da febre aftosa com vacinação, a integração de lavoura e pecuária, o início de confinamento e semiconfinamento elevou a produção. Mais confiante, o seguimento produtivo aumentou os investimentos e o mercado consumidor cresceu”, afirmou.

O levantamento mostrou ainda que o número de animais guiados para o abate no ano passado chegou a 95.635. Mucajaí (25.218) continuou encabeçando o ranking, seguido de Rorainópolis (11.125) e Cantá (10.642). No ano de 2018, a quantidade de animais abatidos foi bem menor, totalizando 76.789.

 “Mucajaí se destaca pelo maior rebanho do Estado por conta da localização geográfica, da infraestrutura viária e da concentração de maior número de produtores que recriam e engordam gado”, explicou Platão.

Platão informou que o governo estadual criou, em 2019, ambientes favoráveis para o desenvolvimento do setor primário, trabalhando pelo fortalecimento da segurança jurídica das terras e energética. 

 “A partir na Lei das Terras, sancionada recentemente pelo governador Antonio Denarium, os produtores poderão adquirir até 2,5 mil hectares em municípios diferentes. Anteriormente, o limite era de 1,5 mil hectares. A instalação da Usina Termelétrica Jaguatirica II é outro exemplo de ações do governo para garantir o desenvolvimento atraindo novos investidores”, reforçou.

 Qualidade dos produtos de origem animal

O desenvolvimento da pecuária em Roraima é possível graças ao empenho da Aderr para garantir a sanidade e certificação de qualidade dos produtos de origem animal.

Para contribuir com o aumento da comercialização desses produtos, a agência presta apoio aos produtores na hora da emissão do GTA (Guia de Transporte Animal). Os produtores podem retirar o documento em qualquer UDA (Unidades de Defesa Agropecuária) ou escritório da Aderr nos Municípios.

Em 2019, a Aderr emitiu 34.049 mil GTAs, sendo que 10% foram emitidas por produtores habilitados no sistema de gerenciamento de cadastro. A Guia é emitida por transporte (veículo que transporta) de gado e não por cada animal. Atualmente, o Estado possui mais de 2 mil produtores habilitados a tirarem o documento de forma eletrônica.