Avalie este item
(0 votos)

Criar políticas públicas para combater a corrupção é a próxima fase do Pacto pela Segurança entre as forças de segurança de Roraima, que firmaram parceria em julho deste ano. O governador Antonio Denarium se reuniu nesta sexta-feira, 8, com representantes dessas forças para receber a delegada da Polícia Federal, Érika Marena, ocasião em que foram apresentados os resultados do Pacto.

Ele ressaltou que esta é uma ação de suma importância para levar mais segurança à população. “Com todas as forças de segurança unidas, temos condições de melhorar a qualidade da segurança e reduzir significativamente a violência, ou seja, levar para a população a certeza que Roraima tem uma segurança de boa qualidade. Agora além de ações contra a o crime organizado, também focamos no combate à corrupção, peincipalmente após criaemoa a Decor”, disse.

Érika Marena afirmou que Roraima dá um grande passo e que o Pacto de Segurança é um compromisso de todos em fazer dar certo. “Acredito que a integração das instituições de segurança e fiscalização pública é fundamental para o combate à corrupção, e desvio de verbas. Investir no combate à corrupção é investir no desenvolvimento do Estado”, pontuou a delegada.

O secretário de Segurança Pública, coronel Olivan Junior, citou os resultados da atuação do Pacto durante a reunião, que ocorreu no Palácio Senador Hélio Campos em Boa Vista. “Tivemos a aprovação da Política Estadual de Segurança Pública, do Conselho Estadual do Sistema Estadual e aprovação do Fundo Estadual para pavimentar uma nova segurança para a população do Estado”, acrescentou.

Forças de Segurança fazem pacto para diminuir criminalidade

O trabalho integrado entre as forças de segurança Estadual, municipal, federal e o Exército Brasileiro foi assinado no Palácio Senador Hélio Campos em julho deste ano.

Na época, o governador Antonio Denarium pediu apoio a todas as instituições para o sucesso do trabalho. “Nós vamos fazer um trabalho integrado com todas as polícias para combater o crime organizado, o tráfico, o descaminho, o contrabando para levar mais segurança para toda a população”, disse.

As forças de segurança que compõem o Pacto de Segurança são: Secretaria de Segurança Pública, Polícia Militar, Polícia Civil, Secretaria de Justiça e Cidadania, Corpo de Bombeiros, Departamento Estadual de Trânsito, Exército Brasileiro, Ministério Público Federal, Polícia Rodoviária Federal, Força-Tarefa de Intervenção Penitenciária, Tribunal de Justiça, Polícia Federal, Ministério Público Estadual, Força Nacional, Secretaria Municipal de Segurança Urbana e Trânsito e Justiça Federal.

Avalie este item
(0 votos)

As entidades governamentais ligadas ao setor produtivo iniciaram os trabalhos de elaboração de uma Lei Estadual de Piscicultura. A iniciativa surgiu no mês de setembro, em Brasília, no encontro do Conseagri (Conselho Nacional de Secretários de Estado da Agricultura) com diversos representantes do Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), quando foram discutidos diversos assuntos estratégicos, entre eles, a política nacional da produção de peixe.

Em Roraima, a Seapa (Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento) se uniu a Aderr (Agência de Defesa Agropecuária de Roraima), Femarh (Fundação Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos) e entidades representativas do setor para debater a situação da piscicultura no Estado. Desta união surgiu um esboço da Lei que vai ser apresentada à classe produtiva para, em seguida, ser apresentada ao Governo do Estado.

O titular da Seapa, Emerson Baú, afirmou que a Lei vai dar amparo e segurança ao produtor dessa vertente que é tão importante para Roraima. “Esse é um dos primeiros passos, essa proposta de lei ainda vai ser discutida, inclusive com os produtores. É muito importante a participação deles para que, em um segundo momento, seja apresentada ao governador e, em seguida, seja encaminhada à Assembleia Legislativa para análise”, detalhou.

Ele lembrou que Roraima é uma das poucas unidades da Federação que ainda não possui uma lei nesse sentido. “Nós seguimos a regulamentação federal, mas temos algumas situações específicas, cada região tem características diferentes de piscicultura. A vantagem para o produtor será o amparo legal para poder organizar e esquematizar a sua produção”, pontuou.

O coordenador Agropecuário da Aderr, Douglas Marcel Lopes, ressaltou que, além da segurança jurídica, a Lei vai atestar a origem e qualidade do pescado. “Isso vem para fortalecer o setor deixando uma produção com controle sanitário, que é a principal função da Aderr, garantir a qualidade do produto que chega à mesa do consumidor, um produto inócuo de qualquer problema, que não trará prejuízos à saúde”, explicou.

Ele também afirmou que a Agência de Defesa vem trabalhando ao longo dos anos a questão da orientação para a cadeia produtiva, em especial para a piscicultura. “É um setor que vem crescendo muito no nosso Estado alavancado por grandes produtores. Ainda temos alguns gargalos que, com certeza, serão sanados no decorrer dos anos. A Aderr está aqui para contribuir”, disse.

Avalie este item
(0 votos)

O Governo de Roraima, por meio da Sesp (Secretaria de Segurança Pública), participa neste domingo, 3, dia da primeira prova do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) deste ano, da Operação Enem 2019, com objetivo de garantir segurança no decorrer do certame.

Os trabalhos começaram nas primeiras horas da manhã com o transporte das provas das instalações do Décimo Grupo de Artilharia de Campanha de Selva para distribuição nos locais de aplicação. Conforme o secretário estadual de Segurança Pública, coronel Olivan Júnior, Roraima, de acordo com a Coordenação do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), foi um dos primeiros Estados a concluir a entrega das provas, que foi finalizada às 9 horas.

Instalado no Ciops (Centro Integrado de Operações de Segurança Pública), na sede da Sesp, o Centro Integrado de Comando e Controle da Operação Enem 2019 é formado por membros de várias instituições do sistema de segurança pública, entre as quais, Polícia Federal e Rodoviária Federal, Exército Brasileiro, Polícia Civil e Militar e Corpo de Bombeiros Militar. Além de integrantes do consórcio aplicador das provas, Correios, Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), Caer (Companhia de Águas e Esgotos de Roraima) e Emhur (Empresa Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitacional).

De acordo com o coordenador do Ciops, Germano Nelson, eventuais ocorrências durante a realização das provas serão comunicadas a um delegado da Polícia Federal, e ele acionará o efetivo que está de prontidão na Superintendência da Corporação em Roraima.

Além do efetivo utilizado no policiamento ostensivo na Capital e no interior, a Polícia Militar mantém, no decorrer das provas, efetivo de serviço extraordinário, formado por 133 policiais, nos 34 locais de prova em Boa Vista e nos seis municípios do interior onde está sendo aplicada a avaliação do Enem.

“Fizemos um planejamento para manter a segurança durante a realização das provas em Roraima. Na Capital, há 34 locais de aplicação de provas e em todos há policiais. Temos também equipes com viaturas fazendo policiamento exclusivo. No interior, temos mais seis municípios em que estão sendo realizadas provas. Em todos, há oficiais e equipes reforçando policiamento”, afirmou o comandante do Giro (Grupamento Independente de Intervenção Rápida e Ostensiva) da PM e coordenador operacional de Segurança da Operação Enem 2019, capitão Wesley Santos.

O Detran (Departamento Estadual de Trânsito) também está com equipes nas ruas, atuando principalmente para garantir a fluência do trânsito em pontos onde há mais ocorrências de engarrafamentos. “O Detran faz parte deste serviço integrado e está trabalhando em pontos com maior fluxo de trânsito”, explicou o coordenador do Ciops, Germano Nelson.

Estas atividades conjuntas visam a garantir a segurança no transcorrer do processo de realização do Enem em Roraima, cujas provas de Linguagens, Código e Suas Tecnologias e Ciências Humanas e Suas Tecnologias, além da Redação, começaram a ser aplicadas às 12h30 e prosseguem até 18 as horas.

“Desde as cinco horas da manhã, estamos trabalhando com o Centro Integrado de Comando e Controle na Sesp, que é a operação Enem 2019. Estamos controlando 12.959 realizadores de prova em 34 locais de provas na Capital e 2.395 realizadores de prova nas localidades do interior”, enfatizou o secretário de Segurança Pública, Olivan Júnior, ao chegar, na manhã deste domingo, à Escola Estadual Luiz Rittler de Lucena, onde 736 estudantes, dos 15.354 que participam do Enem no Estado, realizam provas.

Segundo ele, as ações de segurança pública para o Enem foram planejadas a partir do mês de março. “É preciso destacar que realizamos um planejamento iniciado em março. O primeiro sinal de sucesso foi a distribuição de provas. Estamos visitando os pontos considerados por nós mais importantes pela quantidade de estudantes que farão as provas. Vamos percorrer as escolas, para verificar as condições locais. Esperamos que tudo ocorra dentro da maior normalidade e tranquilidade e que, amanhã, possamos ter certeza de que tudo transcorreu com sucesso”, afirmou.

Sucesso é também o objetivo de Esmeralda Sousa, de 18 anos, estudante do terceiro ano do Ensino Médio da Escola Estadual Gonçalves Dias, que, às 11 horas deste domingo, aguardava abertura dos portões da Escola Luiz Rittler de Lucena. “Espero conseguir boas notas para realizar meu sonho de ser jornalista. Estou ansiosa. Passei um ano estudando e finalmente chegou o dia de fazer a prova”, disse.

Nos quesitos segurança e autoconfiança, Érica Oliveira, de 16 anos, aluna do segundo ano do Ensino Médio, também da Escola Gonçalves Dias, já pode considerar a experiência do Enem exitosa. “Minha expectativa para esta prova é boa, porque estudei bastante e estou preparada para conseguir uma boa nota”, ressaltou, enquanto esperava para entrar na Escola Luiz Rittler de Lucena, onde fará as provas.

Avalie este item
(0 votos)

Com objetivo de atender com mais comodidade à população, por determinação da Delegacia Geral, foram promovidas mudanças de endereços em algumas unidades da Polícia Civil.

O DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa) está funcionando no 2º pavimento do prédio da Sesp (Secretaria de Segurança Pública), na Avenida Ville Roy, 5604, Centro.

O DPE (Departamento de Polícia Especializada) foi transferido para a Casa da Mulher Brasileira, que funciona na Rua Uraricoera, S/N, bairro São Vicente.

O serviço de cartório e o setor de investigação do 1º DP (Distrito Policial) funcionarão na Cidade da Polícia, no prédio que fica ao lado da DG (Delegacia Geral). Estes setores haviam sido transferidos para a CF (Central de Flagrantes) por conta da interdição do prédio anterior que oferecia riscos de desabamento.

Os registros de BO (Boletim de Ocorrência) referentes ao 1º DP continuam sendo realizados no Auditório do Denarc (Departamento de Narcóticos), também localizado na Cidade da Polícia, no bairro Canarinho.

De acordo com o diretor Administrativo da Polícia Civil, delegado Jimmy Santana, essas mudanças trazem mais comodidade aos servidores e também facilitam o acesso da população.

“Essa readequação não traz prejuízos à população, nem gastos extras com aluguéis, e ainda oferecemos melhores condições de trabalho aos nossos servidores”, concluiu Santana.

Avalie este item
(0 votos)

A Escola Estadual Major Alcides Rodrigues dos Santos realizará, na próxima terça-feira, 29, a culminância do projeto ‘Literatura, arte e leitura’. O evento ocorrerá das 8h às 11h30 e das 14h30 às 17h30, nas dependências da instituição de ensino.

O objetivo do Projeto é propiciar ao aluno oportunidades de contato com a literatura, arte e leitura, como ferramentas educacionais que possibilitam dialogar com todos os gêneros textuais, dando ênfase à importância da leitura, que é um fator indispensável para a vida escolar e em sociedade.

“Trabalhamos com os alunos uma proposta diferenciada de abordagem da Literatura e da leitura em sala de aula, recorrendo ao diálogo entre os diversos gêneros como forma de promover uma aprendizagem significativa dentro desse universo literário e artístico”, explicou a coordenadora do Projeto, Elzilei Almeida.

Durante o evento, haverá 21 apresentações, entre as quais, instrumentais, poesias, danças, exposição de pinturas e esculturas, e outras mostras. O projeto envolve as disciplinas de Língua Portuguesa, Artes, Geografia, Física e Biologia.

A Escola Estadual Major Alcides vem desenvolvendo diversos projetos. No início do mês de outubro, realizou a IX edição da Feira de Ciências, com o tema ‘‘Bioeconomia: Diversidade e riqueza para o desenvolvimento sustentável’, em que foram apresentados oito projetos, entre eles, ‘A essência da perfumaria na Amazônia’.

“A escola se propõe a desenvolver espaços e momentos de aprendizagens, por meio de oficinas, projetos, que propiciem aos alunos mostrarem seus talentos. Além de abrir possibilidades de se descobrirem e desenvolverem suas capacidades, e de conceber experiências enriquecedoras e transformadoras”, finalizou a gestora da escola, Ana Ilza de Sousa.

Página 1 de 71