Mostrando itens por marcador: governotrabalhando

O Corpo de Bombeiros Militar de Roraima registrou o total de 1.218 ocorrências em março de 2019. Desse total, 51,23% representam atendimentos de ocorrências de incêndio e 24,63% foram ocorrências de busca e salvamento.
Os atendimentos do Resgate totalizaram 12,40% das ocorrências. Ações de Prevenção e Apoio, 10,11%; Atividades Educacionais, 1,47%; e Produtos Perigosos, 0,16% representaram os demais atendimentos do CBMRR.

INCÊNDIOS - Entre os 624 atendimentos de ocorrências envolvendo incêndios, 89,42% foram de incêndios em vegetação. Incêndios em residências representaram 1,92%. Já os incêndios em estabelecimentos comerciais somaram 1,60% do total de ocorrências.
Ocorrências de Incêndios em Meios de Transporte como: carros, motos, caminhões e etc representam 1,12% das ocorrências; em amontoados de lixo, 3,84%; e incêndios em redes elétricas, explosões, caminhões tanques correspondem a 2,10%.

INCÊNDIOS EM VEGETAÇÃO - Das 558 ocorrências de incêndios em vegetação, 24,20% foram em terrenos baldios e 27,95% no cerrado. Atendimentos em Floresta Nativa/Plantada totalizaram 16,50% das ocorrências.
Incêndios em Áreas de Produção Agrícola ou de Pastagem totalizaram 13,80%. Atendimentos em Reservas Indígenas, 1,25% e Unidades de Conservação, 3,22%.
Ocorrências que envolveram mais de um tipo de vegetação totalizaram 13,08% dos atendimentos em março.

ACIDENTES DE TRÂNSITO - O CBMRR atendeu 61 ocorrências de acidentes de trânsito em março. Acidentes envolvendo carros representaram 44,26%; motocicletas, 31,14%; caminhões ou outros veículos pesados, 8,19%; bicicletas, 4,91% e 3,27% foram acidentes causados por animais.
Atropelamentos, 6,55% e Capotamentos, 1,68% fecham o total de ocorrências atendidas pelo CBMRR no mês de março de 2019.

Publicado em DESTAQUES

Com o objetivo de preparar os novos cuidadores de alunos, a Seed (Secretaria de Educação e Desporto), por meio do Depe (Departamento de Desenvolvimento de Políticas Públicas Educacionais), promoveu uma reunião técnica com os recém-aprovados no seletivo de Apoio Escolar (cuidador).
A reunião ocorreu nesta terça-feira, 8 de abril, no Palácio da Cultura Nenê Macaggi. Inicialmente, participaram os seletivados que atuarão em Boa Vista. Nos próximos dias será feita a mesma capacitação com os selecionados do interior do Estado. Ao todo, são 80 pessoas contratadas para dar apoio a alunos com vulnerabilidade física.
Conforme disse a diretora do Departamento, Maria Aparecida de Oliveira, esta é a primeira vez que a Educação promove capacitação para estes profissionais no Estado.
“Esta reunião foi promovida para que essas pessoas não iniciem os trabalhos sem informação. Explicamos as atribuições, o papel deles dentro da escola e a importância desses profissionais para as crianças que serão atendidas nas unidades”, pontuou.
Ela acrescentou que a Educação sempre adotará este modelo de orientação para novos profissionais.
“A partir desse momento, nenhum profissional vai direto para as escolas sem orientações técnicas. Nosso lema é cuidar das pessoas e para isso é necessário esse olhar mais humano e mais eficiente, a fim de alcançar a qualidade”, continuou.
Uma das aprovadas no seletivo, a cuidadora Irany Aguiar da Silva, de 43 anos, ressaltou a importância da realização desse tipo de capacitação. Ela atua na área educacional há mais de 15 anos.
“Para mim e para nossos colegas é de suma importância iniciar o trabalho nas escolas com uma orientação técnica, principalmente porque há pessoas que nunca trabalharam na área antes e vão poder ter mais conhecimento sobre a educação inclusiva”, disse.

Publicado em DESTAQUES

O primeiro encontro entre representantes da Codesaima (Companhia de Desenvolvimento de Roraima) e moradores do Residencial Vila Jardim, ocorreu nesta segunda-feira, 08, às 19h30, no bairro Cidade Satélite.
A reunião foi realizada na área de convivência do condomínio Araçá, com a participação do presidente da Codesaima, Anastase Vaptistis Papoortzis; do diretor de Habitação, Cláudio Barbosa; do advogado da empresa, Pedro Bento Neto; o gerente da Filial de Habitação da Caixa Econômica Federal, Lucyano Bruno; além do empresário Ricardo Matos e a síndica, Lurdiane.
De acordo com o presidente Anastase, os apartamentos foram entregues em 2015 e a união dos moradores poderá resolver a maioria dos problemas do conjunto habitacional, obedecendo às normas estabelecidas nos contratos de ocupação. Ele ressaltou que cada morador deve assumir sua parcela de responsabilidade na busca por melhorias no Vila Jardim.
Um plano de acompanhamento da situação do residencial já foi iniciado. Segundo o diretor de Habitação, duas equipes de funcionários da Codesaima estão fazendo visitas diárias nos condomínios. “Estamos com servidores no horário das 15h às 21h visitando os apartamentos. Eles estão identificados e escolhemos esse horário para encontrar os moradores em casa”, disse.
Cláudio disse que Codesaima ocupará uma sala na estrutura do SENAI, onde dois funcionários ficarão diariamente atendendo os moradores do residencial. Os resultados da pesquisa feita pelos servidores da empresa serão colocados em um relatório.

PROBLEMAS IDENTIFICADOS

Alguns problemas já foram identificados, como apartamentos fechados e venda e aluguel dos imóveis. Esses casos, segundo o gerente da Caixa, são passíveis de destrato contratual, isto é, anulação do contrato de posse. “É obrigação legal da Caixa Econômica fazer o acompanhamento dos contratos que têm uma cláusula que fala das irregularidades. Todos sabem, ou deveriam saber, que não se pode alugar, vender ou alugar e vender de terceiros”, salientou.
Lucyano ressaltou que a partir do relatório da Codesaima será feita a regularização do conjunto. Outro fator que pode trazer prejuízo para o morador é o não pagamento da taxa de condomínio. A inadimplência em todo o Residencial é de quase 90%. “O condomínio não é da Caixa, da Codesaima, do Governo do Estado ou do Governo Federal. O condomínio é de vocês, a administração do condomínio é de vocês”, afirmou.
Ricardo Matos disse que a iniciativa da Codesaima e da Caixa está corrigindo uma falha ocorrida na implantação do Vila Jardim. “No período de seleção dos beneficiários, deveria ter sido feito um TTS [Trabalho Técnico Social] para explicar para vocês o que é um condomínio, como deve ser a convivência, como o meu direito termina quando começa o do outro”, explicou.
Após a explanação dos participantes, foi dada a oportunidade para que os moradores falassem dos problemas que enfrentam diariamente no conjunto. Irregularidade do abastecimento de água, o valor cobrado pela energia elétrica e a falta de segurança foram as principais queixas.
Estas solicitações foram registradas pela equipe da Codesaima e o presidente Anastase prometeu encaminhá-las para as autoridades competentes.
O ciclo de reuniões com os moradores prossegue hoje, 09, às 19h30, na quadra do condomínio Ipê Amarelo.

Os outros encontros seguirão a seguinte programação:

CONDOMÍNIO

DIA

LOCAL

SÍNDICO

IPÊ AMARELO

09/04

QUADRA

VALMIR

JATOBÁ

10/04

ESPAÇO DO SENAI

JUDITH

ANDIROBA

11/04

QUADRA

MARCELO

URUCUM

12/04

CHURRASQUEIRA

VALMIR

INGÁ

15/04

CHURRASQUEIRA

HERLAN

CEDRO

16/04

ESPAÇO DO SENAI

PEDRO

PUPUNHA

17/04

A DECIDIR

ONILDO

SAMAÚMA

18/04

QUADRA DO IPÊ

MARCELO

AÇAÍ

19/04

QUADRA

KARAN

ANGELIM

22/04

A DECIDIR

ODNELSON

       

BURITI

23/04

A DECIDIR

EVANDRO

       
Publicado em Secom

Promover oportunidades para o desenvolvimento das potencialidades e habilidades dos estudantes. Este é o principal objetivo do projeto “XI Caça Talentos – Kids&Teen’s”, promovido pela Escola Estadual Mario David Andreazza.
O concurso funciona assim: primeiro os alunos inscrevem seus projetos dentro dos dez segmentos, que são Música, Dança, Desenhos, Standup, Poesia, Teatro, Memes, Curta metragem, Fotografia e Artesanato.
Após a inscrição, que já teve o período finalizado, os projetos passam por uma avaliação, que é a fase eliminatória; esta etapa ocorrerá de 22 a 27 de abril. Dessa forma, serão escolhidos três finalistas para cada segmento.
A grande final ocorrerá no dia 4 de maio, das 18h às 22h30, onde serão revelados os vencedores, que receberão troféus, medalhas e certificado de participação.
Foram inscritos 225 projetos, que segundo a diretora da unidade, Maria Luiza Pinheiro de Melo, teve número recorde em relação a todas as edições anteriores.
“Nossa ideia é valorizar esses estudantes, proporcionar a integração entre as turmas por meio dessas atividades artísticas e despertar a valorização cultural na comunidade”, ressaltou a diretora.
EXPOSIÇÃO - Na sexta-feira, 12, alguns dos projetos serão expostos na Escola, como fotografias, poemas, artesanatos e demais artes. A ideia é que os alunos conheçam a prévia do que vai ser apresentado no evento.
“Convido os alunos, pais e a comunidade em geral para prestigiar esse evento de suma importância para a nossa escola”, acrescentou Maria Luiza.

Publicado em Educação

Por meio da Polícia Civil (PCRR), o Governo de Roraima assinou nesta segunda-feira, dia 08, com a Secretaria de Segurança Pública do Estado do Maranhão, acordo de cooperação técnica para utilização do Sistema da Delegacia Online, já em uso naquele Estado. O objetivo é garantir um atendimento diferenciado e célere ao cidadão e, com a assinatura do acordo, a Delegacia Online já poderá ser implantada em Roraima a partir do mês de maio.
O acordo de cooperação técnica foi assinado pelo secretário de Segurança Pública do Maranhão, Jefferson Miler Portela e Silva, e o delegado-geral de Polícia de Roraima, Herbert de Amorim Cardoso. Uma equipe da PCRR encontra-se no Maranhão, onde permanecerá até o dia 11 deste mês, para fins de adequação do sistema cedido e capacitação dos profissionais envolvidos na operação do sistema a ser implantado em Roraima.
O delegado-geral Herbert de Amorim Cardoso destacou que, com o novo sistema, o cidadão poderá solicitar o registro do boletim de ocorrência (B.O.) diretamente no site da PCRR, cuja construção está em fase de conclusão.
“A utilização da Delegacia Online é uma ação do Governo do Estado que visa otimizar o tempo e modernizar o atendimento público, garantindo a informatização dos processos e procedimentos na busca pela excelência”, destacou o delegado-geral.
O diretor do Departamento Administrativo, delegado Jimmy Santana, encontra-se no Maranhão, juntamente com uma equipe do NTI (Núcleo da Tecnologia da Informação), participando de um treinamento sobre as especificidades do módulo do sistema a ser implantado em Roraima.
“Poderão ser registrados diversos tipos de ocorrência sem necessidade de deslocamento até uma unidade policial. Uma vez que haja a solicitação de registro de ocorrência no site, o referido documento será analisado por uma equipe técnica e, depois de validada, o comunicante receberá no seu e-mail indicado na solicitação o boletim de ocorrência”, detalhou Santana.
O delegado-geral destacou que a expectativa é que após a implantação do módulo da Delegacia Online em Roraima, o sistema possa estar disponível para uso da população 24 horas por dia. A previsão é de que comece a funcionar nos próximos meses.

Publicado em Segurança Pública

Uma equipe de profissionais da saúde de Roraima, formada por quatro servidores do HGR (Hospital Geral de Roraima) e um representante da Sesau (Secretaria de Saúde), está participando do II Encontro Internacional do Projeto Paciente Seguro, que está sendo realizado em Brasília.
No evento, as 15 unidades que já participam do projeto apresentaram as ações que são desenvolvidas nesses locais. Além disso, será apresentado ainda os 45 centros hospitalares que irão aderir ao Paciente Seguro durante o triênio 2018-2020.
A gerente do controle de infecção do HGR, Regiany Cardoso, ressaltou que, durante a reunião, o hospital foi considerado exemplo frente a proposta do projeto, em especial pelo trabalho relacionado a higiene das mãos e superação das problemáticas da unidade.
“É um encontro muito importante para que os hospitais mostrem suas ações, crescimento e superações, diante das dificuldades enfrentadas”, pontuou Regiany.

PACIENTE SEGURO – O projeto foi criado pelo Hospital Moinhos de Vento, de Porto Alegre (RS), em parceria com o MS (Ministério da Saúde), por meio do PROADI-SUS (Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde), e busca melhorar a segurança do paciente em hospitais públicos, com base no PNSP (Programa Nacional de Segurança do Paciente).
Em Roraima, o plano funciona no HGR desde o final de 2016, por meio do trabalho realizado pelo Núcleo de Qualidade e Segurança do Paciente, que fez a implantação e faz as ações relacionadas à iniciativa.
A gerente do núcleo, Ester Faria, explicou que a equipe trabalha para diminuir os riscos de danos desnecessários ao cuidado, realizando ações de redução de lesão por pressão e quedas, além de sensibilização relacionados à higiene das mãos, medicamentos, cirurgias seguras, entre outros fatores.
“Mesmo com todas as dificuldades enfrentadas em nossa unidade durante esses mais de dois anos da iniciativa, estamos buscando sempre a melhoria dos nossos processos de trabalho”, explicou Ester.

Publicado em DESTAQUES

O presidente da Abrafrutas (Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados), Luiz Roberto Barcelos está em Roraima para conhecer de perto o potencial de Roraima para a fruticultura. Na manhã desta terça-feira, 9, ele se reuniu com o governador Antonio Denarium, no Palácio Senador Hélio Campos.
O Governo do Estado pretende criar um Plano Estadual de Desenvolvimento da Fruticultura e para isso deve contar com o apoio da Abrafrutas, que participou na elaboração do mesmo plano em nível nacional.
O governador Antonio Denarium ressaltou que a vocação de Roraima é a produção de alimentos, entre eles as frutas. “Temos que angariar tecnologia, valorizar os que aqui estão e atrair novos investidores. Temos que começar a exportar nossas frutas, que vão se transformar em um grande potencial de nosso Estado. Vamos lançar em breve o plano roraimense de produção de frutas para valorizar todos os empreendedores aqui do Estado de Roraima”, anunciou.
Durante a reunião Barcelos destacou o potencial que o Estado tem para o setor produtivo em geral e mais especificamente para a fruticultura. “Roraima tem boas condições climáticas, boas terras, condição hídrica e posição geográfica favorável para exportação. Tem um potencial muito grande sim, é um Estado ainda novo, que tem muita coisa pra desenvolver e a fruticultura pode ser um bom caminho para isso”, pontuou.
Quanto ao Plano Estadual de Desenvolvimento da Fruticultura, Barcelos destacou que é fundamental para a atração de novos investidores. O documento define parâmetros, regras que proporcionam segurança para quem deseja investir em Roraima.
“É necessário mostrar que o Estado está disposto a atrair investidores para que possam produzir e escoar frutas. O Governo precisa dar incentivos com a questão tributária, registro de defensivos, entre outras coisas. Tudo isso é muito importante para que o investidor acredite que Roraima é um bom negócio”, disse.
ABRAFRUTAS – A Abrafrutas é uma Associação sem fins lucrativos que tem por finalidade representar e promover a fruticultura brasileira frente ao mercado internacional. Criada em 2014, conta com aproximadamente 60 associados produtores exportadores de frutas e detém aproximadamente 80% do volume total das frutas frescas exportadas pelo Brasil. Por meio das empresas associadas tem como objetivo aprimorar a comercialização, executar campanhas institucionais de divulgação e promoção comercial.

Fruticultura é a chave para o desenvolvimento da agricultura familiar
O desenvolvimento econômico de Roraima por meio do setor primário é uma das principais metas do Governo do Estado e a agricultura familiar desempenha um importante papel nesse cenário. Segundo o presidente da Abrafrutas, Luiz Roberto Barcelos, a fruticultura é a atividade ideal para tornar os pequenos agricultores em uma espécie de classe média rural.
“É um setor que gera muito emprego, cerca de duas pessoas por hectare, poucos setores dentro do agronegócio conseguem ter esse nível de empregabilidade. A fruticultura é a chave para desenvolver a agricultura familiar. O tamanho da propriedade não é um empecilho para este tipo de cultura”, explicou.
Ele frisou que a fruticultura agrega valor à agricultura familiar e citou como exemplo a região do Vale São Francisco, na divisa entre os Estados de Pernambuco e Bahia. “Ali existe um polo da fruticultura irrigada que proporcionou um crescimento espetacular para aquela região com a produção de manga e outros frutos. O impacto socioambiental e socioeconômico foi muito grande”, detalhou.
O titular da Seapa (Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento), Emerson Baú, destacou que o Governo tem apoiado essas inciativas, tá querendo trazer aí investidores para esse setor. “A Seapa vai capitanear esse processo de elaboração do Plano de Desenvolvimento da Fruticultura. Isso vai atrair investidores para o Estado, proporcionado o desenvolvimento do setor primário, gerando emprega, renda e movimentando a economia”, pontuou.

Publicado em DESTAQUES

Os impactos da imigração venezuelana e o atendimento das demandas de famílias que vivem em Roraima estiveram em pauta durante um encontro na tarde desta terça-feira, dia 9, na sede da Caer (Companhia de Águas e Esgotos de Roraima), entre gestores das áreas de Sistemas de Águas e Esgotos, representantes da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e o Acnur (Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados).
Durante o encontro foram apresentadas as ações executadas pela empresa para atender as demandas das famílias que vivem nos abrigos instalados em Boa Vista, bem como as ações socioambientais realizadas por meio no NMA (Núcleo de Meio Ambiente) a respeito do uso adequado da rede de esgoto e combate ao desperdício de água.
“Esse momento foi de fundamental importância para tratarmos sobre as ações desenvolvidas atualmente e as medidas que precisam ser adotadas para resolver problemas importantes como o uso inadequado da rede de esgoto, o uso indiscriminado de água, situações que impedem o alcance amplo e satisfatório dos resultados”, esclareceu a diretora de Engenharia e Gestão Ambiental, Elisângela Rodrigues.
Durante a visita os membros da Acnur conheceram o CCO (Centro de Controle Operacional) da empresa e tiraram dúvidas sobre o sistema de distribuição de água para os bairros, incluindo aqueles onde foram instalados os abrigos para imigrantes.
“Essa é a minha terceira visita a Roraima e percebo que o trabalho desenvolvido atualmente é de total relevância, porém identificamos que muitas ações estão sendo desenvolvidas de forma paralela, e que é necessária uma reunião de todas essas ações para que o resultado seja potencializada e as demandas melhor atendidas, minimizando os impactos da imigração também aos moradores da cidade”, enfatizou Fabiano Sartori, representante do Acnur.
“Foi criado um Grupo de Trabalho em setembro do ano passado e desde então temos realizado as ações de forma conjunta, articulando reuniões, debatendo os problemas e buscando soluções na medida que as demandas vão surgindo”, complementou a inspetora municipal de meio ambiente, Maria Consolata de O. Nóbrega.Falando direto com os produtores do setor madeireiro na reunião subsequente, o Olivaldi Azevedo afirmou que existe a preocupação de ouvir o segmento e há uma metodologia na fiscalização feita por cada órgão, por isso algumas questões devem ser levados ao Conselho do Meio Ambiente.
“Discutimos algumas questões e vou trabalhar naquilo que for possível para resolver. Na verdade, são solicitações que tenho a maior boa vontade do mundo de resolver”, disse.
O diretor técnico de Fiscalização da Femarh, Rogério Martins, disse que o encontro com os produtores concluiu a discussão anterior entre os técnicos.
“Foi a conclusão do que falamos anteriormente. O setor madeireiro sabe de sua responsabilidade com a preservação. O poder público precisar oferecer condições para os empreendedores trabalhar de forma legalizada, para produzir com responsabilidade. O que o setor produtivo mostrou é que quer trabalhar dentro da legalidade e o Governo do Estado vai dar condições para que isso ocorra”, finalizou

O crescimento populacional provocado pela imigração de venezuelanos para Roraima não tem afetado somente Boa Vista e a sede dos municípios do interior do Estado. Desde o início da crise humanitária, as comunidades indígenas de Pacaraima, na fronteira com o País vizinho, vêm recebendo índios venezuelanos da etnia Pemón.
Preocupado com a segurança alimentar desses povos, o Acnur (Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados) procurou a Seapa (Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento) para propor uma parceria no sentido de fomentar a produção de alimentos nas comunidades indígenas de Pacaraima, para que eles possam alcançar a autossuficiência e não dependam exclusivamente de ajuda humanitária.
O chefe do escritório do Acnur em Pacaraima, Rafael Levi, relatou que a comunidade Tarau Paru, da etnia Taurepang, localizada próximo a sede do município, tinha população de 267 pessoas, que passou para 836 após a crise imigratória. A ideia é que com políticas públicas e a assistência técnica adequada, eles possam aumentar a escala de produção de alimentos.
“Viemos conversar com o secretário para verificar a possibilidade de traçar parcerias e projetos para que a gente possa ajudar essa população a alcançar a autossuficiência na produção de alimentos para que eles possam receber e absorver essa nova demanda”, detalhou.
O titular da Seapa, Emerson Baú, relatou que a ideia é estabelecer uma parceria com a Secretaria Municipal de Agricultura de Pacaraima e a Secretaria Estadual do Índio.
“Precisamos garantir a assistência técnica necessária para alavancar a produção para que eles produzam de acordo com a necessidade e realidade, e não infringindo a cultura deles, mas sim buscando a sustentabilidade para que possam atender essa demanda”, disse.
O secretário de Agricultura informou ainda que a parceria deve ser consolidada nos próximos encontros. “Vamos nos reunir com todos os órgãos que atuam nesse sentido para verificar o que cada um pode oferecer para que possamos alcançar o objetivo”, pontuou.

Publicado em DESTAQUES

A Seapa (Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento) iniciou processo pra reativação do Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural, que estava inativo desde 2017. A entidade, criada pela Lei 271 de outubro de 2000, tem como finalidade promover o desenvolvimento sustentável do segmento rural, ouvindo as dificuldades enfrentadas pelo agricultor familiar e auxiliando na elaboração de políticas públicas que possam sanar estes problemas.
O secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Emerson Baú, explicou que o Conselho exerce um importante papel no desenvolvimento da agricultura familiar. “As entidades que compõe o Conselho estão lá na ponta e sabem das dificuldades que o agricultor familiar enfrenta e podem propor as melhorias necessárias para sanar estes problemas”, disse.
O diretor do Dater (Departamento de Assistência Técnica e Extensão Rural), Geilson Carpanini, explicou que além de propor políticas públicas, o Conselho também é responsável pelo credenciamento de empresas que atuam na área de assistência técnica e também por auxiliar os conselhos da esfera municipal.
Ele explicou que a primeira medida para que estas atividades sejam retomadas é a nomeação de um secretário executivo. “Essa pessoa será responsável por analisar os Planos Municipais de Desenvolvimento Rural, relatando-os ao Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural e providenciar pareceres técnicos sobre o apoio dos programas vinculados às demandas contidas nos Planos Municipais de Desenvolvimento Rural”, disse Carpanini.
COMPOSIÇÃO – É composto por órgãos e entidades da sociedade civil com atuação no âmbito estadual, públicos e privados, vinculados ao desenvolvimento rural sustentado.
Entre instituições públicas estão o Iteraima (Instituto de Terras e Colonização de Roraima) e Aderr (Agência de Defesa Agropecuária de Roraima).
Da sociedade civil compõem o Conselho entidades como o CIR (Conselho Indígena de Roraima), Apirr (Associação dos Povos Indígenas do Estado de Roraima) e Faerr (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Roraima).
Na esfera federal estão no Conselho o Banco do Brasil, Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) e Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária).

Publicado em Agricultura e Pesca