Sexta, 06 Setembro 2019 22:06

NORMANDIA | Cerimônia abre oficialmente atividades turísticas na comunidade da Raposa Destaque

Escrito por ASCOM/SEPLAN
A ação é fruto do trabalho de estruturação do Detur junto às comunidades indígenas, acerca da importância da atividade turística para o etnodesenvolvimento de suas regiões A ação é fruto do trabalho de estruturação do Detur junto às comunidades indígenas, acerca da importância da atividade turística para o etnodesenvolvimento de suas regiões Secom/RR

A comunidade indígena da Raposa, na região da Terra Indígena Raposa Serra do Sol, localizada no município de Normandia, fará a abertura oficial das atividades de visitação turística na localidade neste sábado, 07. A partir de agora, a comunidade passará a receber grupos de turistas interessados em conhecer a realidade e atrativos turísticos da Raposa.

A ação é fruto do trabalho de estruturação do Detur (Departamento de Turismo) da Seplan (Secretaria Estadual de Planejamento e Desenvolvimento), junto às comunidades indígenas, acerca da importância da atividade turística para o desenvolvimento de suas regiões.

Em parceria com o curso de Turismo da Uerr (Universidade Estadual de Roraima), o Detur lançou recentemente a cartilha “Diretrizes para o Desenvolvimento do Turismo em Terras Indígenas de Roraima”, que reúne um apanhado de informações que vinham sendo trabalhadas desde o ano passado, junto com várias lideranças indígenas do Estado, com o intuito de viabilizar o turismo em terras indígenas.

A cartilha aborda exatamente os anseios das lideranças indígenas na busca de desenvolver o turismo dentro dos princípios constitucionais que regem a legislação vigente. Conforme o diretor do Detur, Bruno Muniz de Brito, as diretrizes devem ser seguidas em função da necessidade, da especificidade e da temporalidade de cada região.

 “A Raposa será a primeira do Estado a receber turistas, dentro de um plano elaborado pela própria comunidade indígena, obedecendo também à Instrução Normativa 03/2015 da Funai [Fundação Nacional do Índio]. Uma iniciativa que vai ficar na história do turismo de Roraima, que só foi possível graças a parcerias institucionais com a Universidade Estadual de Roraima, Universidade Estadual do Amazonas, Cactus da Amazônia Consultoria, Ministério Público Federal, entre outros”, destacou.

O chefe da Divisão de Turismo Regional do Detur, Enoque Raposo, explicou que a comunidade elaborou dois roteiros distintos para recepção dos turistas. O primeiro voltado para o etnoturismo, onde o visitante terá a oportunidade conhecer tradições, lendas, bem como a culinária indígena. A outra opção é direcionada para o ecoturismo, onde os indígenas irão direcionar os turistas para visitar os potenciais turísticos da região, como cachoeiras, lagos e trilhas nas regiões serranas. “O turista terá a possiblidade de vivenciar o dia a dia da comunidade, numa imersão bem realista de como eles vivem”, disse Raposo.

O secretário de Planejamento, Marcos Jorge de Lima, ressaltou que Roraima ganha agora um novo produto que é o turismo em terra indígena. “É uma enorme satisfação saber que a Seplan tem contribuição nesta nova modalidade do turismo em Roraima. A comunidade da Raposa será a pioneira nesta atividade que consequentemente promoverá um ambiente mais favorável ao desenvolvimento do turismo, ampliando assim nosso rol de atrativos e recursos turísticos e, claro, dentro daquilo que é sustentável. além de promover também a economia e a cultura do nosso Estado, que tem sido a orientação constante do nosso governador Antonio Denarium”, frisou.