Quinta, 01 Outubro 2020 21:01

Setrabes abre sindicância para apurar denúncia no CSE Destaque

Escrito por Ricardo Gomes
Setrabes abre sindicância para apurar denúncia no CSE Charles Bruno

A Setrabes (Secretaria do Trabalho e Bem-Estar Social) está apurando as denúncias protocoladas recentemente no MPRR (Ministério Público de Roraima) de forma anônima que apontam possíveis excessos cometidos no CSE (Centro Socioeducativo) em 2018. Na manhã desta quinta-feira, 01, ocorreu uma reunião com representantes das forças de segurança do Estado e Cedcar (Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente).

Foram adotadas providências para averiguação, dentre as quais, solicitação de informações junto à PMRR (Polícia Militar de Roraima) acerca dos procedimentos a serem adotados diante da conduta dos policiais que aparecem no referido vídeo e providências quanto à abertura de Processo Administrativo de Sindicância para apuração dos fatos.

A secretária da Setrabes, Tânia Soares, reforçou que as denúncias envolvem um vídeo feito em 2018 e relatos de possíveis excessos cometidos por policiais militares contra os adolescentes custodiados no CSE, cujo gerenciamento é feito pela Setrabes.

"Tão logo tomamos conhecimento dessa denúncia, encaminhamos ofício ao Comando da Polícia Militar solicitando informações sobre a apuração dos fatos que envolvem a atuação do Bope [Batalhão de Operações Especiais] dentro do CSE. Da mesma forma, a direção do CSE nos solicitou providências administrativas para apurar os fatos. Junto ao Cedcar, tivemos um diálogo, onde repassei todos os nossos procedimentos já adotados e confirmei minha participação na próxima reunião ordinária do conselho”, detalhou Tânia Soares.

O coronel Francisco Castro, comandante Geral da PMRR, destacou que o intuito é buscar todas as informações possíveis a serem trabalhadas para averiguar as denúncias que foram apresentadas e colaborar de forma conjunta para dar respostas à sociedade.

“Defendo que é preciso trabalhar em conjunto, verificar o que cada um pode contribuir e o que pode ser feito coletivamente para as respostas necessárias”, disse coronel Francisco, ao informar que a Corregedoria da PMRR adotará todos os procedimentos necessários para iniciar as investigações sobre o ocorrido.

O presidente do Cedcar, Paulo Thadeu, externou a preocupação do Conselho em relação ao fato e informou que o assunto será discutido na próxima reunião ordinária do Conselho, que contará com a participação da Setrabes.