Sexta, 26 Junho 2020 13:38

EMPRESAS DE RECICLAGENS | Policiais Civis realizam campanha de conscientização Destaque

Escrito por ASCOM POLÍCIA CIVIL
Trabalho visa conscientizar os empresários do ramo sobre as implicações criminais dessa prática delituosa, que é a receptação   Trabalho visa conscientizar os empresários do ramo sobre as implicações criminais dessa prática delituosa, que é a receptação Polícia Civil

Uma equipe de policiais civis do Siop (Setor de Investigação e Operação) do 5º DP (Distrito Policial), em parceria com a empresa de telefonia Oi, realizou durante toda a manhã desta quinta-feira, dia 25, uma campanha de conscientização junto às empresas de reciclagens sobre as complicações do crime de receptação de fios de cobre, usados na telefonia fixa, e de outros produtos.

A ação foi coordenada pela delegada titular do 5º DP, Cândida Magalhães Senhoras, e percorreu oito empresas localizadas em quatro bairros atendidos pela unidade policial, tais como Distrito Industrial, Bela Vista, Nova Cidade e Raiar do Sol. Na ocasião, foram entregues panfletos com o tema “Sua atitude pode evitar mais crimes, inclusive contra você”, orientando sobre as implicações da prática do crime de receptação, previsto artigo 180 do Código Penal Brasileiro.

De acordo com a delegada, o trabalho de orientação surgiu após vários registros de furtos de fios de cobres usados na telefonia fixa, causando prejuízos aos cidadãos que utilizam os serviços. A delegada observou que quem compra produtos de origem ilícita incentiva a ocorrência de crimes como o furto, roubo e até mesmo o tráfico de drogas. “É importante a colaboração da sociedade em não incentivar tais práticas delituosas, pois todos os envolvidos serão identificados e responderão junto à Justiça criminal”, disse a delegada.

Cândida Senhoras destacou ainda que, em parceria com a Oi, que designou um fiscal para acompanhar os trabalhos policiais, foi realizada a blitz educativa. “Nosso trabalho visa conscientizar os empresários do ramo sobre as implicações criminais dessa prática delituosa, que é a receptação. Essa é uma fase de orientação. O trabalho vai ter desdobramento com a identificação e possível prisão de envolvidos nestes delitos”, disse a delegada.