Quinta, 14 Mai 2020 00:47

COMBATE AO COVID-19 | Governo de Roraima e Casa Civil do Planalto assinam termo de cooperação Destaque

Escrito por WESLEY OLIVEIRA
Avalie este item
(0 votos)
A intenção do Governo com o acordo é ter mais felicidade na tratativa para a contratação de pessoal, compra de material e fornecimento de insumos e suprimentos para saúde A intenção do Governo com o acordo é ter mais felicidade na tratativa para a contratação de pessoal, compra de material e fornecimento de insumos e suprimentos para saúde Neto Figueredo

Um termo de cooperação técnica assinado nesta quarta-feira, 13, no Palácio Senador Hélio Campos, entre o Governo de Roraima e o Comitê Federal de Assistência Emergencial do Governo Federal, vai permitir ampliar as ações de combate ao Coronavírus (COVID-19) no Estado.

O documento, assinado pelo governador Antonio Denarium e o ministro-chefe da Casa Civil, general Walter Souza Braga Netto, permitirá que o Governo de Roraima, por meio da Sesau (Secretaria de Saúde) e o Exército Brasileiro, através da APC (Área de Proteção e Cuidado) da Operação Acolhida, possam trocar patrimônio, receber apoio mútuo, logístico e aporte para fortalecer o combate à pandemia em Roraima.

“Este é um momento muito importante no enfrentamento ao Coronavírus. Esse termo de cooperação técnica vai permitir o atendimento de brasileiros e estrangeiros no enfrentamento do Coronavírus. Dessa forma, temos a possibilidade de oferecer um bom atendimento às pessoas que venham a precisar de atendimento hospitalar”, explicou o governador Antonio Denarium.

O secretário de Saúde, Olivan Junior, disse que a intenção do Governo com o acordo é ter mais sucesso na tratativa para suprir as demandas da saúde. “A intenção é unir esforços entre o Governo do Estado e o Governo Federal para combater o Coronavírus. Com a assinatura do termo podemos, dentro da legalidade, fazer tratativas mais próximas como a contratação de pessoal, compra de material, fornecimento de insumos e suprimentos para a saúde”, destacou Olivan Junior.

O acordo permitirá também que haja reciprocidade entre as instituições, no sentido de atender às demandas do Exército na APC. Após ser analisada pela PGE (Procuradoria Geral do Estado), a documentação teve aceitação favorável para assinatura.

“Demos prioridade porque precisamos de maior celeridade para contratações. Então, observamos que o exército está operando no país inteiro com compras, com atas a preços mais acessíveis e tem uma logística de justamente levar aos estados. Diante disso, fica muito mais fácil assinarmos esse termo de cooperação”, ressaltou o procurador geral adjunto, Ernani Batista.

Ler 333 vezes Última modificação em Quinta, 14 Mai 2020 01:13