Sexta, 24 Abril 2020 20:27

DIA MUNDIAL | Sesau reforça medidas de prevenção à meningite Destaque

Escrito por PEDRO BARBOSA
Segundo especialistas, ter a caderneta de vacinação em dia é a melhor forma de proteção Segundo especialistas, ter a caderneta de vacinação em dia é a melhor forma de proteção Ascom/Sesau

Evitar aglomerações e manter ambientes limpos e arejados são recomendações do MS (Ministério da Saúde) necessárias não somente no combate ao novo coronavírus (Covid-19). Outra doença que também é prevenida da mesma forma é a meningite e merece atenção pela sua gravidade. Nesta sexta-feira, 24 de abril, Dia Mundial de Combate à Meningite, data estabelecida pela OMS (Organização Mundial da Saúde), a Sesau (Secretaria de Saúde) reforça a importância da prevenção da doença.

Dados do Sinan/RR (Sistema de Informação de Agravos de Notificações em Roraima) mostram que de janeiro deste ano até 24 de abril, Roraima notificou quatro casos de meningite: um em Alto Alegre, um em Boa Vista, um no Bonfim e um em Normandia. No ano passado, 22 notificações de meningite foram contabilizadas em Roraima. A maior parte dos casos (16) ocorreu em Boa Vista.

De acordo com o secretário de Saúde, Francisco Monteiro Neto, a Sesau tem se destacado na vigilância e tratamento dos casos da doença registrados no Estado. “Além da investigação e estudo para controle da meningite, também disponibilizamos medicamentos para quimioprofilaxia, visando evitar agravamento da doença, e treinamento aos profissionais de saúde”, complementou.

Em Roraima, o banco de dados é alimentado pela CGVS (Controladoria Geral de Vigilância em Saúde), que acrescenta os casos notificados pelos municípios, ou unidades de saúde do Estado. Por meio do Núcleo de Controle da Meningite, Coqueluche e Difteria, a Sesau desenvolve ações de vigilância epidemiológica da doença, com monitoramento dos casos e orientação aos municípios quanto à investigação epidemiológica.

Conforme a médica infectologista Alessandra Martins, que integra a equipe de profissionais do HGR (Hospital Geral de Roraima Rubens de Souza Bento), mesmo com os trabalhos da Sesau e baixa incidência de casos, é preciso prestar atenção a alguns dos principais sintomas da doença. Eles começam a se manifestar de forma rápida, iniciando com uma febre súbita, muitas vezes podendo ser alta.

“A febre costuma ser associada com dor de cabeça, rigidez na região da nuca e pescoço, náusea e sensibilidade à luz. Há diversos tipos de meningites, causadas por diversos agentes, como bactérias, vírus, fungos e protozoários. De forma geral, a doença é de transmissão fecal e oral. Já as meningites bacterianas, consideradas mais letais, são adquiridas através do contato de pessoa em pessoa por meio das vias respiratórias, gotículas e secreções”, apontou a infectologista.

A médica ressaltou a importância redobrar a atenção para esses sintomas, que são específicos da meningite, e devem ser analisados por um profissional o mais rápido possível após seu surgimento. “O diagnóstico é clínico e feito por exame de LCR [líquido cefalorraquidiano] e sangue. Uma vez apontada a presença da meningite, é preciso identificar qual o agente da doença para determinar as recomendações e medicações a serem adotadas, pois o tratamento varia de caso a caso”, explicou.

Ela reforçou a importância de evitar ambientes fechados, sujos e com aglomerações, para evitar a contaminação da doença, mas também destacou outro fator importante para evitar a doença: vacinas em dia. “Ter a caderneta de vacinação em dia é a melhor forma de proteção. As vacinas estão disponíveis e já devem ser aplicadas em crianças, como aponta o Programa Nacional de Vacinação, para as principais causas da meningite. Temos a pentavalente, meningocócica, pneumocócica e a BCG, que previne contra a tuberculose”, afirmou.