Imprimir esta página
Sexta, 14 Fevereiro 2020 14:55

CANARINHO | Reinauguração do Estádio Flamarion Vasconcelos é marcada pela presença de autoridades, esportistas e família de homenageado Destaque

Escrito por BRUNA ALVES
Solenidade aconteceu nesta quinta-feira, 13, no Estádio; programação conta com jogo da primeira fase da Copa do Brasil entre São Raimundo e Cruzeiro   Solenidade aconteceu nesta quinta-feira, 13, no Estádio; programação conta com jogo da primeira fase da Copa do Brasil entre São Raimundo e Cruzeiro Fernando Oliveira/Secom

O dia 13 de fevereiro de 2020 ficará marcado na história do Esporte Roraimense. A reinauguração do Estádio Flamarion Vasconcelos, obra que iniciou em 2012, e passou por diversos governos sem ser finalizada, foi concluída, graças a determinação da atual gestão, que aceitou o desafio e em apenas oito meses, entregou o principal estádio de Roraima de volta para a população. O evento contou com a presença dos filhos do homenageado, o jornalista esportivo Flamarion Vasconcelos, que dá nome ao estádio.

Carinhosamente apelidado de Canarinho em homenagem a Seleção Brasileira de Futebol, imortalizada pela camisa “amarelo canarinho”, o estádio também deu nome ao bairro em que está situado.

"O Estádio era para ser sub sede da Copa do Mundo de 2014, onde recursos públicos foram aplicados e o benefício não chegou à sociedade, então é uma honra, como gestor, ver que estamos aplicando de forma correta o dinheiro público", ponderou o governador Antonio Denarium.

E o reencontro da torcida com o novo Canarinho, não poderia ser melhor: com o jogo pela primeira fase da Copa do Brasil entre São Raimundo e Cruzeiro. Pelo menos 5 mil pessoas estarão presentes na arquibancada do Estádio para acompanhar a partida. É a primeira vez que o time mineiro joga em Roraima.

A secretária de Educação, Leila Perussolo frisou a importância que o Canarinho terá para o Estado. "Recebemos tudo com muita satisfação! É um estádio que está voltando para a comunidade, alimentando o sonho dos nossos alunos e juventude roraimense. A Secretaria passa a fazer a administração com foco nos jogos e treinamentos oficiais. Teremos belíssimas partidas daqui para frente", comemorou Leila.

HOMENAGEM- Não só a partida marca esse dia especial. Especialmente para Nattacha Vasconcelos, filha do homenageado, este é um momento para honrar o legado do pai.

 "Além da família, atletas e profissionais da imprensa se sentem presenteados porque meu pai usou a profissão dele para valorizar o esporte local e ver o nome dele eternizado no Estádio é emocionante", pontuou.

Primeiramente, o Estádio tinha o nome 13 de Setembro, quando foi inaugurado em 1975. Anos depois, foi rebatizado com o nome do jornalista que ficou conhecido pelas coberturas esportivas.

 INVESTIMENTO- A obra custou R$ 34 milhões, sendo R$ 27 milhões provenientes da União e outros R$ 7 milhões do Governo do Estado. O novo estádio representa um marco para o futebol roraimense, conforme frisou o secretário de Infraestrutura, Edilson Damião.

“Entre as obras paradas ela era até um símbolo e todos estavam descrentes, mas hoje estamos entregando essa obra para a população”, disse.