Imprimir esta página
Quarta, 12 Fevereiro 2020 18:55

IMIGRAÇÃO | Forças de segurança se reúnem em busca de soluções para combater a criminalidade em Pacaraima Destaque

Escrito por ASCOM/PCRR
Patrulhamento mais intenso na cidade, aumento do efetivo e investigações qualificadas são ações a serem implementadas em Pacaraima Patrulhamento mais intenso na cidade, aumento do efetivo e investigações qualificadas são ações a serem implementadas em Pacaraima Ascom/PCRR

Após as manifestações dos últimos dias em Pacaraima, município roraimense localizado na fronteira com a Venezuela, representantes das esferas municipal, estadual, federal e sociedade civil organizada se reuniram nesta quarta-feira, dia 12, em busca de soluções para os problemas relacionados à imigração. A PCRR (Polícia Civil de Roraima) vai aumentar o efetivo de policiais na cidade e anunciou o projeto de construção da nova Delegacia de Pacaraima.

O estopim da manifestação em Pacaraima foi devido aos últimos registros de crimes praticados por imigrantes na cidade, especificamente o estupro sofrido por uma adolescente de 15 anos, de origem venezuelana, que estava a caminho da escola.

De acordo com o delegado geral, Herbert de Amorim Cardoso, há uma preocupação do governador Antonio Denarium para resolver os problemas enfrentados pelos moradores de Pacaraima.

“O governador determinou que as instituições de segurança do Estado estejam integradas em suas ações e operações, visando levar um ambiente de paz para aquela região”, disse.

A reunião com as autoridades ocorreu na sede do MPRR (Ministério Público de Roraima) em Pacaraima e contou com a presença de representantes das Polícias Federal, Civil e Militar, Procuradoria de Justiça, Secretaria de Segurança Pública, comando da Operação Acolhida, além do prefeito de Pacaraima, Juliano Torquato, e a presidente da Câmara Municipal da cidade.

O grande fluxo de imigrantes que entram no Brasil por estradas usadas comumente por criminosos, sem passar pela fiscalização da Polícia Federal, foi apontado pelos moradores da cidade como sendo um dos principais problemas enfrentados na região.

Segundo Herbert de Amorim Cardoso, Pacaraima é a entrada principal de pessoas vindas da Venezuela, fugindo dos problemas sociais enfrentados naquele país.

“A carga maior tem sido em Pacaraima, que passou a enfrentar grandes problemas sociais com reflexos graves na saúde, na educação, mas principalmente na segurança. A principal reclamação dos moradores é em relação ao grande trânsito de pessoas que moram em Santa Elena e vêm para Pacaraima, entrando na cidade por rotas clandestinas, praticam crimes, espalham o terror e depois retornam para Santa Elena”, detalhou o delegado.

Para Cardoso, os moradores destacaram que há um grande número de criminosos da Venezuela que entram diariamente em Pacaraima, cometem crimes e retornam ao país pelas estradas de chão, usadas especificamente com esse fim.

“Muitos desses criminosos que atravessam a fronteira para cometer crimes aqui em Pacaraima foram soltos das prisões venezuelanas devido à escassez de recursos. Foi identificado que esses criminosos são pessoas que já têm condenação naquele país e foram liberados porque os presídios de lá estão passando por grandes dificuldades”, afirmou.

Foco é coibir entrada de criminosos

O delegado geral destacou que as ações a serem executadas não têm como foco o imigrante que entra de forma legal no Brasil, passando pela triagem e é encaminhado pela Operação Acolhida. Ele destaca que o foco principal é coibir a entrada de criminosos, que entram de forma irregular no Brasil, praticam crimes e retornam para a Venezuela.

“São essas pessoas que não passam pela fronteira, mas sim pelas passagens clandestinas. Eles vêm até Pacaraima durante a noite ou dia, praticam crimes e aterrorizam a cidade no retorno para Venezuela”, disse.

Cardoso disse que participou da reunião em Pacaraima e que presenciou, logo depois, um grupo grande de pessoas, no lado venezuelano, com rostos cobertos atacando brasileiros com pedras e pedaços de pau.

“Eram grupos de pessoas, com os rostos encobertos com camisas, muitos estavam descalços e jogando paus e pedras contra os brasileiros. Uma afronta. Vamos fortalecer o efetivo da Polícia Civil na cidade e focar nas investigações mais qualificadas, de forma a identificar todos esses criminosos e representar pelas prisões deles”, enfatizou.

Quanto à Operação Acolhida, foram apresentados pedidos para que o processo de acolhimento ficasse a 50 km de distância da cidade, mas conforme o delegado geral, essa medida iria trazer mais transtornos para a população.

“Essa medida, caso fosse adotada, somente pioraria as coisas por causa da triagem a ser feita. Com esse campo de triagem mais distante da cidade, as pessoas oriundas da Venezuela talvez não passassem pela triagem e ficariam mais longe dos olhares das autoridades”, afirmou.

ACORDO - Ao final da reunião, ficou acordada que as ações da Ficco (Força Integrada de Combate ao Crime Organizado) serão intensificadas, com a instalação de um posto avançado e ainda a ampliação das operações na região, visando desarticular o crime organizado.

“Além disso, ficou acertado ainda que será realizada outra reunião com a coordenação da Operação acolhida para planejar ações integradas entre a Polícia Militar, Força Nacional e Exercito para o patrulhamento das rotas clandestinas. A ideia é fortalecer o trabalho ostensivo no município, utilizando profissionais da Força Nacional e da Polícia Militar. Com a vinda do vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, e do ministro da Justiça, Sérgio Moro, a Roraima, a ideia é apresentar essa proposta, visando levar mais segurança a Pacaraima”, destacou o delegado geral.

EFETIVO - Cardoso destacou ainda que aumentará o efetivo de policiais civis em Pacaraima, para reforçar ainda mais os trabalhos na região. Disse também que está em fase de conclusão o projeto de construção de uma nova Delegacia da Polícia Civil em Pacaraima, no terreno onde funcionava antes a unidade Policial, nos mesmos moldes do prédio do 5º DP de Boa Vista. A Delegacia será construída e mobiliada com recurso na ordem de R$ 1.467.000,00, alocado de emenda parlamentar, previsto para 2020.