Segunda, 03 Fevereiro 2020 15:56

FRUTICULTURA | Governo acompanha processo de produção de melões que serão exportados Destaque

Escrito por ISAQUE SANTIAGO
Avalie este item
(2 votos)
O projeto piloto de melão padrão exportação foi articulado pelo Governo com a Agrícola Famosa e produtores locais O projeto piloto de melão padrão exportação foi articulado pelo Governo com a Agrícola Famosa e produtores locais Ascom Seapa

Pela primeira vez na história, frutas produzidas em solo roraimense vão ganhar mercados internacionais. Um grupo de 10 agricultores dos municípios de Bonfim e Boa Vista, participam de um projeto piloto de produção de melão utilizando tecnologia e seguindo padrões internacionais de exportação.

O trabalho de articulação do governador Antonio Denarium trouxe a Roraima o presidente da Abrafrutas (Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados) Luiz Barcelos, proprietário da Agrícola Famosa, maior produtora da fruta no mundo. Denarium apresentou o potencial do Estado para a produção de frutas, considerando a localização geográfica e as condições climáticas, por exemplo, além de produzir na entressafra brasileira, mesmo período da produção nos países do hemisfério norte.

O projeto iniciou em 2019, com os primeiros contatos entre o governador e Barcelos. Depois, os 10 produtores participantes do projeto foram até o Rio Grande do Norte, conhecer a Agrícola Famosa e a experiência do maior produtor de melão do mundo.

Jorge Lopes foi um dos produtores que participou da experiência. Ele ressaltou que o conhecimento adquirido contribuiu para o desenvolvimento da atividade na propriedade dele no município de Bonfim. “O uso dessa tecnologia é inédito em Roraima. Ela proporciona maior qualidade, produtividade e tudo seguindo padrões internacionais de produção. Nosso melão pode ser vendido em qualquer lugar do mundo, pois a qualidade é atestada”, afirmou.

Em 6 de janeiro deste ano, utilizando estufas da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) as sementes foram cultivadas para gerar frutos uniformes. No dia 17, as mudas seguiram para o plantio nas propriedades rurais.

 Neste final de semana, o governador Antonio Denarium e uma de técnicos da Secretaria de Agricultura estiveram em uma das propriedades onde o melão está sendo produzido. Denarium disse que esse é um momento histórico e que vai marcar o desenvolvimento de Roraima, com exportação de frutas. “O nosso objetivo é transformar Roraima em um grande produtor de alimentos, pois essa é a nossa vocação natural, mas para isso precisa de incentivo do Governo e a nossa gestão veio com essa finalidade”, ressaltou o governador.

O titular da Seapa (Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento), Emerson Baú, explicou que técnicos e engenheiros da pasta acompanham o projeto desde o início. “Nós estivemos presentes em todos os momentos, desde as negociações até o acompanhamento do cultivo. Este projeto foi articulado pelo próprio governador Antonio Denarium. Este é um teste inicial, o foco é vender para o mercado exterior, em especial o mercado inglês”, explicou.

Ele informou ainda que o acompanhamento técnico é constante e feito pala Seapa e demais secretarias do Governo do Estado envolvidas no setor. Com as visitas é possível acompanhar o desenvolvimento do projeto. “O [Governo do] Estado acreditou nesse projeto, trabalhou a articulação, está trabalhando na assistência técnica e também na parte de financiamento e acompanhamento para que esses produtores consigam ter resultados”, pontuou.

O presidente da Desenvolve-RR (Agência de Desenvolvimento de Roraima), Adailton Fernandes destacou que alguns dos agricultores envolvidos no projeto fizeram financiamentos junto à instituição para investirem na atividade. Para ele, esse acompanhamento e orientações quanto ao uso do crédito são fundamentais.

 “Esse é um dos principais projetos do Governo do Estado dentro do setor produtivo. O objetivo é fazer com que esses frutos cheguem a Europa, Ásia e em todo o mundo. Nesse primeiro momento o projeto é piloto, é algo experimental, mas tem tudo para dar muito certo e trazer sucesso ao nosso Estado, proporcionando desenvolvimento e colocando Roraima no cenário da exportação com um produto de excelente qualidade”, afirmou Fernandes.

Um dos 10 produtores envolvidos no projeto piloto é Ricardo Macedo Braga. Ele já produzia melancia no município de Bonfim quando decidiu participar do projeto experimental do melão. Ele afirmou que todo o trabalho só se tornou realidade devido à articulação e o acompanhamento do Governo do Estado.

 “É uma parceria, tudo intermediado pelo Governo do Estado. O Governo está articulando a comercialização, exportação e todo o restante do processo. É disso que precisamos: condições de produzir e comercializar para que possamos colaborar com o desenvolvimento do Estado”, declarou.

 

 Produção será escoada pela Guiana

Para chegar ao mercado Europeu, os melões produzidos em Roraima serão escoados pela rodovia que liga o Brasil ao porto de Georgetown, na Guiana. De lá, a produção deve seguir de navio até o canal do Panamá e partir daí, Europa.

Em 2017, Brasil e Guiana assinaram um termo de cooperação técnica em que o governo brasileiro se comprometia em viabilizar o projeto de engenharia do trecho da rodovia que não é asfaltado, que vai de Lethen, primeira cidade guianense após a fronteira com o Brasil, até Linden, última cidade antes de Georgetown.

A pavimentação dessa estrada vai favorecer a interligação entre os dois países concretizando a criação de um corredor de escoamento da produção roraimense, facilitando a chegada dos produtos a mercados internacionais por meio do Porto de Georgetown.

 Governo incentiva empresário a aderirem à Lei de Incentivo Fiscal

 Para tornar o investimento em Roraima ainda mais atrativo e lucrativo, o Governo do Estado por meio da Seplan (Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento) tem incentivado os empresários e produtores a aderirem à Lei de Incentivos Fiscais N° 1.150, a antiga Lei Estadual N° 215.

A lei garante a desoneração do ICMS (Imposto sob a Circulação de Mercadorias e Serviços) na aquisição de insumos, máquinas, implementos e combustíveis. Ela faz com o que o custo de produção em Roraima fique mais em conta.

 “No final, o produto produzido aqui tem uma competitividade com produtos de outros Estados. Nossa ideia é essa, fortalecer o setor produtivo por meio de um cenário que possa proporcionar condições para isso”, disse o diretor de Agronegócios da Seplan, Regis Monteiro.

Ele explicou que a habilitação às leis de incentivos fiscais é somente por meio de pessoa jurídica, Associação ou Cooperativa. “O benefício chega ao produtor, porém por meio de Associação ou Cooperativa. Na região onde os produtores de melão estão localizados já existe a Associação do Mel e a Cooperativa, que é a Roraifrutas, criada junta com esse projeto”, detalhou.

 Para se habilitar e receber os incentivos proporcionados pela Lei 1.150 é necessário a apresentação da documentação da Cooperativa. Em seguida eles devem entrar com o Projeto Anual de Exploração Agropecuária, que deve ser elaborado por um técnico habilitado. “Eles devem demonstrar o que pretendem fazer na área deles e para que item eles pretendem fazer essa isenção. Com isso finalizado é feito uma vistoria in loco para habilitação junto a Sefaz [Secretaria de Fazenda]”, explicou Monteiro.

Após a apresentação da documentação necessária para a adesão aos benefícios da Lei de Incentivos Fiscais, é dado um prazo de 45 dias úteis para que o produtor possa começar a usufruir. “Hoje temos uma meta de atender o produtor em 45 dias úteis. Antes essa espera era de oito meses e conseguimos reduzir drasticamente o tempo de espera. Estamos tendo um resgate de credibilidade e a adesão tem sido muito boa”, disse Monteiro.

 

Ler 1371 vezes