ESCOLAS MILITARIZADAS | Gestores participam de encontro para troca de experiências

DINA VIEIRA Foto: Ramilso dos Santos

136

Dando continuidade ao processo de militarização de Escolas Estaduais, a Seed (Secretaria Estadual de Educação e Desporto) participou na manhã desta segunda-feira, 22, de uma reunião no Comando Geral da Polícia Militar, com os gestores e membros da equipe de Corpo de Aluno das escolas que estão sendo militarizadas este ano.

A pauta da reunião tratou dos desafios da militarização nas escolas públicas, metas para o ano letivo, e troca de experiências com os gestores das unidades de ensino que já são militarizadas.

A diretora do Departamento de Educação Básica, Graciela Ziebert, explicou que o encontro foi necessário para alinhar o trabalho que será desenvolvido nas escolas. “Cada um já sabe em qual escola vai trabalhar, e a partir desta terça-feira eles serão apresentados nas escolas para que comecem os preparativos para o início do ano letivo em fevereiro”, destacou.

No fim do ano passado, a governadora Suely Campos anunciou a militarização de mais 15 escolas no Estado. São elas: Jaceguai Reis Cunha, no bairro Asa Branca, Luiz Ribeiro de Lima, no bairro Equatorial, Maria de Lourdes Neves, no bairro Doutor Silvio Botelho, Maria dos Prazeres Mota, no bairro Santa Teresa, Maria Nilce Brandão, no bairro Cauamé, Pedro Elias, no Jóquei Clube, Conceição Costa e Silva, no bairro Hélio Campos eWanda David Aguiar, no Raiar do Sol.

Além de Maria Mariselma, em Mucajai, João Rogélio, em Caracaraí, Antônia Tavares da Silva, em Rorainópolis, João de Azevedo Cruz, em Nova Colina, Cícero Vieira Neto, em Pacaraima, Aldébaro José Alcântara, em Bonfim e Sadoc Pereira, em Alto Alegre.

As escolas militarizadas estão localizadas em área de vulnerabilidade social, econômica e cultural, apresentam problemas de furtos, roubos, assaltos e drogas, fatores que comprometem o espaço social das escolas quando se trata de segurança e desenvolvimento do trabalho educacional.