VIGILÂNCIA EM SAÚDE – Sesau discute ações para Roraima em reunião internacional sobre sarampo

27
Coordenadora-geral de Vigilância em Saúde após reunião com a consultora regional da OPAS para o sarampo em Washington, Desiree Pastor

Foto: Arquivo Pessoal

 

Roraima está em alerta epidemiológico devido a um surto de sarampo no estado de Bolívar (Venezuela), na fronteira com o Brasil. Para reforçar as ações para manter o país livre da doença, a Sesau (Secretaria Estadual de Saúde) foi representada em uma reunião promovida pela Opas (Organização Pan-Americana da Saúde), em Buenos Aires, na Argentina.

Entre os dias 2 e 8 deste mês a coordenadora estadual de Vigilância em Saúde, Daniela Souza, discutiu as ações adotadas para conter o avanço da doença. O vírus circula no país vizinho há mais de quatro meses e até outubro, 38 casos haviam sido confirmados.

Durante o encontro, um surto ocorrido no Ceará, entre 2013 e 2015, serviu como base para as discussões. À época, foram confirmados pelo menos 125 casos, a maior parte deles (109) em Fortaleza. A partir desta experiência, os profissionais analisaram os resultados positivos e as ações que podem ser melhoradas para aplicação em várias regiões, inclusive em Roraima.

Além disso, foram realizadas reuniões específicas sobre a realidade local, nas quais a organização se prontificou a ajudar o Estado. “A Opas já manifestou total apoio para as ações a serem implantadas pelo Estado, sobretudo para melhorar nossa cobertura vacinal. Sem dúvida, este encontro traz um resultado muito positivo para Roraima”, destacou Daniela.

AÇÕES – A coordenadora adiantou que o Estado está mobilizado desde o início do surto. Uma Sala de Situação está sendo montada para concentrar o máximo de informações sobre imigrantes venezuelanos. A pedido do Governo do Estado, técnicos do Ministério da Saúde vieram a Roraima para ajudar a elaborar proposta de ações contra esta e outras doenças.

Uma das principais formas de conter a doença é manter a população imunizada. Por isso, a Sesau também está incentivando os municípios a reforçarem estas ações. Recentemente foi realizado, pela primeira vez no Estado, treinamento em um método para supervisionar as ações de vacinação e melhorar adesão da população às campanhas.

No início deste mês o governo emitiu uma nota para os municípios e gestores das unidades de saúde, alertando para a necessidade de detectar e notificar rapidamente qualquer caso suspeito de sarampo, o que possibilitará que as medidas de controle sejam realizadas oportunamente interrompendo a cadeia de transmissão.

Nesta sexta-feira, 10, a coordenadora-geral estará no Ministério da Saúde em Brasília, para articular um treinamento para os médicos, que busca reforçar o diagnóstico do sarampo, pois os sintomas são similares a arboviroses como dengue, chikungunya e zika. Além disso, também será feito um treinamento sobre eventos adversos pós vacinação, também como forma de reforçar as ações de imunização junto aos municípios.