MEIO AMBIENTE – Moradores de Caicubi produzem iscas artesanais como fonte de renda

49

JOHANN BARBOSA

Fotos: Johann Barbosa

 

Uma região cortada por rios não poderia deixar de lado a pescaria como fonte de renda. E não apenas a pesca para a comercialização dos peixes, mas também a pesca esportiva, que atrai turistas do mundo inteiro para a região do Baixo Rio Branco, ao Sul de Roraima.

Foi de olho na mão de obra local a na preservação da natureza, que a Liga de Eco Pousadas da Amazônia montou uma parceria com algumas comunidades ribeirinhas para a produção das iscas.

O material utilizado são as árvores que caem naturalmente na floresta ou nos rios, por conta de temporais. Cada isca é vendida por até 30 dólares para os turistas que vão à região praticar a pesca esportiva.

“Essa madeira é recolhida e transformada em obra de arte. Foi um investimento de R$ 180 mil para a compra dos equipamentos e treinamento dos moradores, com instrutores da Argentina e do Uruguai, em um curso intensivo de três meses”, pontuou Marialdo Cordeiro, morador e professor da comunidade, e que acompanhou de perto a implantação do projeto.

PESCA ESPORTIVA – É uma modalidade de pesca cada vez mais praticada na região do Baixo Rio Branco, que abrange os municípios de Caracaraí e Rorainópolis. O principal alvo desses pescadores é o Tucunaré, peixe bastante característico da região.

A presença de hoteis de selva em algumas localidades serve o ponto de apoio para os turistas que visitam a região. Geralmente a partida é logo cedo, de voadeira, para percorrer os rios em busca do local mais propício para a pesca do tucunaré, que é devolvido para a natureza depois de capturado.

CARAVANA – Durante 15 dias, uma equipe com 50 servidores do Governo do Estado está percorrendo as comunidades ribeirinhas do Baixo Rio Branco levando atendimentos médicos e de cidadania para a população.

Essa é a segunda edição da Caravana do Povo no Baixo Rio Branco. Seis médicos fazem consultas nas áreas de oftalmologia, pediatria, cardiologia, clínica geral e ginecologia. Logo na consulta o paciente recebe a medicação prescrita pelo médico. Uma equipe vai confeccionar os óculos e em outro momento serão entregues aos pacientes.

A Caravana já passou por Canauini, Santa Maria do Boiaçú, às margens do rio Branco, em Rorainópolis; Terra Preta e Lago Grande, as duas no rio Xeriuini, em Caracaraí; Cachoeirinha, no rio Amajaú, em Caracaraí e Caicubi, no rio Jufariz, um braço do rio Negro, no município de Caracaraí.