ORIENTAÇÃO – Oficina trabalha autoestima da família e potencialidades da criança com deficiência

121
O trabalho é voltado para pais da Rede Cidadania Atenção Especial

SIMONE CESÁRIO

Foto: Vinícius Félix

A gravidez é um dos momentos mais felizes para um casal e o filho a representação do amor incondicional. Mas descobrir que a criança tão esperada possui uma deficiência é uma notícia que, muitas vezes, traz insegurança e muitos questionamentos aos pais. Para auxiliar nesse processo, a Rede Cidadania Atenção Especial, unidade da Setrabes (Secretaria do Trabalho e Bem-Estar Social), realiza durante os meses de outubro e novembro, uma oficina com vários temas esclarecedores para os pais dos usuários.

Nesta terça-feira (24) foi realizado o segundo encontro com o tema “Aceitação das Diferenças”, ministrado pela psicóloga Rosana Luz. “No primeiro encontro abordamos o impacto do diagnóstico e neste falamos sobre as diferenças. Abordaremos vários assuntos até chegar às potencialidades da criança, mostrando quanto esses pais são fortes e quanto essas crianças são capazes”.

“É uma ação que busca fortalecer a autoestima dos pais para facilitar os cuidados e incentivar a adesão ao tratamento da criança com deficiência”, esclareceu a diretora da Rede Cidadania Atenção Especial, Patrícia Lima.

A manicure Rosanira Mota de Souza, de 27 anos, é mãe do Enzo, de três anos. Ela descobriu que o filho tinha hidrocefalia com poucos meses de vida e o levou para a Rede Cidadania Atenção Especial por encaminhamento médico. “Quando cheguei aqui meu filho não falava nem sentava. Hoje ele fala de tudo e já está se movimentando muito bem. Daqui a pouco vai estar andando, se Deus quiser”, explicou a mãe, acrescentando que “os pais precisam acreditar nos filhos. Eles têm potencial, eles conseguem”.

A oficina é realizada às terças-feiras, das 8h às 10h e das 14h às 16h, até o dia 28 de novembro. Os próximos encontros abordarão os seguintes temas: ‘Cuidar de si e dos outros’, ‘Dividir cuidados’, ‘Fortalezas adquiridas’, ‘Fortalezas a adquirir’.