POLÍTICAS PARA IDOSOS – Seminário Estadual discute desafios e perspectivas do envelhecimento populacional

75

SIMONE CESÁRIO

Foto: Vinícius Félix

Com 44 anos de união, o casal Paulo Roberto Henriques, de 67 anos, e Lúcia de Jesus Freitas Henriques, de 60 anos, representam o perfil atual de muitas pessoas que já passaram dos 60. São ativos, mantêm a qualidade física e mental, assim como a alegria de viver.

“A aposentadoria não é o fim da vida, é o reconhecimento de tudo o que já foi realizado e o início de uma nova etapa, com novas oportunidades. Foi depois de aposentados que começamos a viajar, praticar corrida e fizemos nosso primeiro book fotográfico. O importante é cuidar da saúde, porque, assim, conseguimos fazer o que quisermos”, disse Lúcia.

Paulo compartilha da opinião da esposa e reforçou o principal desafio dessa população: “Os idosos precisam ser ouvidos e não ficar à margem da sociedade, mas sim ser parte integrante”.

O casal integra as mais de 200 pessoas que estão reunidas no auditório da Setrabes (Secretaria do Trabalho e Bem-Estar Social) nesta quinta-feira (28) para debater “Rede Estadual de Proteção e Defesa da Pessoa Idosa: Um desafio de todos”, durante o II Seminário Estadual da Pessoa Idosa, promovido pelo Ceddir (Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa Idosa) em parceria com a Setrabes.

Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a população acima de 60 anos no País é de 23,5 milhões de habitantes e a perspectiva é de que, em 2030, a população idosa seja maior do que a população jovem. Em Roraima, os idosos representam em torno de 28 mil habitantes. Portanto, o crescimento dessa população estabelece desafios tanto no contexto demográfico, epidemiológico e social, tornando o tema cada vez mais pertinente.

A secretária-adjunta da Setrabes, Edilania Mangueira, ressaltou que o Governo do Estado tem trabalhado de forma efetiva em políticas que promovam a qualidade de vida da pessoa idosa. “Chegamos a essa fase com vivência e experiência adquiridas, por isso temos que fazer bom uso disso. E é isso que o Governo do Estado faz: dar oportunidade para que os idosos de Roraima vivenciem essa fase com qualidade de vida”, afirmou.

A secretária-adjunta apresentou ainda os números que comprovam esse compromisso da Setrabes. Desde 2015, por exemplo, expandiu de 320 para 800 a quantidade de idosos atendidos pela Rede Cidadania Melhor Idade, com novos projetos e oficinas que garantam uma vida ativa e saudável dos usuários.

PROGRAMAÇÃO – A programação do Seminário será realizada até às 17h, discutindo temas como Rede Estadual de Proteção e Defesa da Pessoa Idosa: Desafios e Perspectivas; Envelhecimento e Qualidade de Vida e Políticas Públicas para a População Idosa no Estado de Roraima (Saúde, Previdência e Assistência Social).

A presidente do Ceddir, Leila Magalhães, ressaltou que o evento “propõe sensibilizar a sociedade e agentes públicos quanto às demandas que atendam de forma humanizada e respeitosa essa população, tendo em vista que esta é uma preocupação de todos, já que o jovem de hoje será o idoso de amanhã”.

A abertura do evento foi realizada por Euler Ribeiro, médico geriatra e reitor da Unati/AM (Universidade Aberta da Terceira Idade do Amazonas) que falou sobre ‘A Pessoa Idosa no Contexto Amazônico’. O especialista alertou que não só a estrutura governamental, mas toda a sociedade precisa estar preparada para o envelhecimento populacional. “É preciso oferecer uma estrutura que garanta qualidade de vida a essa população. Além disso, é preciso que sejam mais respeitados e, nesse sentido, o principal desafio é a educação, para que as crianças sejam orientadas desde cedo sobre a importância de respeitar a pessoa idosa”.

O especialista é o único da região Norte com doutorado em geriatria e, visando capacitar mais médicos nessa especialidade, ele fez um anúncio durante o evento. “A Universidade está de braços abertos para compartilhar experiências e oferecer a Roraima curso de pós-graduação na área. No Amazonas, já formamos 360 gerontólogos”.